Gabrielli prestará depoimento à Justiça Federal na condição de testemunha de defesa, em 25 de março, mas não precisará ir a Curitiba porque poderá falar por meio de videoconferência

Agência Brasil

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, intimou o ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli a depor, nesta quinta-feira (19). Gabrielli prestará depoimento à Justiça Federal na condição de testemunha de defesa, em 25 de março, mas não precisará ir a Curitiba porque poderá falar por meio de videoconferência.

Veja fotos do desenrolar da Operação Lava Jato:

O ex-presidente da estatal foi arrolado como testemunha de defesa por dois réus da Lava Jato: o ex-diretor Internacional da Petrobras Nestor Cerveró e o lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano. O despacho de Sérgio Moro não explica as razões por que os acusados pediram o depoimento de Gabrielli.

Leia mais:
Investigado na Lava Jato se entrega em Curitiba
Tesoureiro do PT é ouvido em nova fase da Lava Jato que investiga 26 empresas
Esquema da Lava Jato foi raiz de escândalos de corrupção no Brasil

Cerveró e Baiano respondem por lavagem de dinheiro e corrupção contra o sistema financeiro. Segundo a denúncia do Ministério Público, eles são acusados de ter recebido propinas entre 2006 e 2012. Em um dos casos, na contratação de navios-sonda pela Petrobras para a perfuração em águas profundas na costa da África e do México, os dois teriam recebido US$ 40 milhões em propina em 2006 e 2007.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.