Senador do PSOL pede regulamentação de imposto sobre grandes fortunas

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Randolfe Rodrigues ressaltou que imposto, aprovado em 1988, privilegia cerca de 10 mil famílias que concentram fortunas equivalentes a 40% do Produto Interno Bruto do Brasil

Em discurso no Senado Federal, nesta quinta-feira (12), o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) classificou o ajuste fiscal anunciado por Dilma Rousseff como um "pacote de maldades" – por reduzir benefícios de trabalhadores e aposentados – e propôs que o governo federal apoie a regulamentação do Imposto sobre Grandes Fortunas.

O senador Randolfe Rodrigues:
Agência Senado
O senador Randolfe Rodrigues: "26 anos se passaram e o Brasil ainda não regulamentou regra"

Apesar de ter sido aprovado pela Constituição de 1988, o imposto até hoje não foi regulamentado. Segundo Rodrigues, aproximadamente 10 mil famílias no País se enquadram na categoria, concentrando sozinhas US$ 900 bilhões (o equivalente a 40% do Produto Interno Bruto – PIB – brasileiro).

"Passaram-se mais de 26 anos e o Brasil ainda não estabeleceu as regras que tornariam viável este imposto ainda intocado pelo Fisco”, disse o senador, ressaltando contradições que vê entre os discursos de Dilma na campanha eleitoral e de suas ações recentes.

"O povo que foi às ruas em 2013 e em 2014 com certeza retomará as ruas em 2015 por mais e melhores direitos", discursou. "A sociedade não aceita mais pagar, com os impostos mais caros do mundo, por uma estrutura política apodrecida que frauda e corrói seus direitos mais elementares."

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas