Presidente quer evitar troca de farpas na imprensa que a irritaram durante as férias na Bahia. A reunião deverá ocorrer no dia 27, após retorno de viagem à Suíça

Preocupada com as divergências entre ministros com pensamentos antagônicos e com declarações consideradas estabanadas na área econômica, a presidente Dilma chamará todos os titulares das pastas para uma reunião que deverá ocorrer no próximo dia 27, no Palácio do Planalto.

Será a primeira reunião de Dilma com todos os ministros escolhidos para o segundo mandato. O objetivo é unificar o discurso que todo o governo terá de defender nos próximos quatro anos. Se não for possível acabar com as divergências, a ordem da presidente será uma só: evitar discussões em público.

Interlocutores da presidente dizem que ela quer evitar a troca de recados entre ministros na imprensa. De acordo com fontes do Planalto, os recados trocados  entre a ministra da Agricultura Kátia Abreu, e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, irritaram a presidente.

Outro episódio que desagradou Dilma foi a declaração do novo ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, de que o governo poderia rever os critérios de reajuste do salário mínimo. 

Neste caso, Dilma, que estava de férias na Bahia, ligou imediatamente para Barbosa e o fez emitir uma nota voltando atrá s. As declarações de outros ministros da área econômica, de que nada havia sido conversado sobre as regras do mínimo, passaram uma imagem de descontrole que a presidente quer evitar.

Dilma estaria irritada ainda com especulações e vazamentos sobre suas nomeações para cargos do segundo escalão, assunto intimamente ligado à articulação do governo com o Congresso e que afeta diretamente a saúde da coalizão que ajudou a elegê-la para o segundo mandato.

Para retomar o controle das conversas, durante a semana, Dilma ordenou que o ministro de Relações Institucionais viesse a público para falar dos critérios de escolha e dizer que o Planalto não irá interferir nos “assuntos administrativos” da Câmara e do Senado .

O recado mandado pela presidente lista três critérios: não envolvimento em denúncias de corrupção e equilíbrio entre os partidos que a apoiam.

O esboço e a data da reunião foram acertados na última sexta-feira (9) em reunião de Dilma com os ministros mais próximos: Jaques Wagner (Defesa), Aloizio Mercadante (Casa Civil), Pepe Vargas (Relações Institucionais) e Miguel Rossetto (Secretaria-Geral). Os ministros saíram do encontro se reservando o “direito de permanecerem calados”.

A reunião com todos os titulares ocorrerá após o retorno da presidente e de sua equipe econômica do Fórum Mundial Econômico de Davos. Ele deve viajar para a Suíça no próximo dia 21 de janeiro.

++ MAIS: Veja a seguir quem são os ministros de Dilma:


Leia mais notícias

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.