SP pode elevar punição a quem aumentar gasto de água

Por Vitor Sorano - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Secretário de Saneamento anunciou troca de comando na Sabesp; Jerson Kelman, ex-diretor-presidente da ANA, assume

As punições a clientes da Sabesp  que elevarem o consumo de água podem ser elevadas no futuro próximo, indicou o novo secretário de Saneamento, Benedito Braga. 

A partir desta quinta-feira (1º), quem elevar o consumo em 20% em relação à média de fevereiro de 2013 a janeiro de 2014 pagará uma sobretaxa de 20%. Acima de 20% de aumento, a sobretaxa é de 50%.

"Nós vamos ver como é que [a população] reage. Vamos observar o processo [durante] um mês, dois e aí, a partir da observação, nós vamos tomar medidas de maior incentivo [de redução de consumo]", disse Braga ao tomar posse nesta quinta, no Palácio dos Bandeirantes.

Veja imagens da posse do secretariado de Geraldo Alckmin: 

Geraldo Alckmin alfinetou o PT no discurso de posse de seus secretários . Foto: DivulgaçãoGeraldo Alckmin (PSDB) chega ao Palácio dos Bandeirantes com a mulher Lu Alckmin para cerimônia de posse dos secretários. Foto: Luiz Claudio Barbosa/Futura PressAlckmin é cumprimentado por uma convidada da cerimônia de posse dos secretários . Foto: DivulgaçãoGeraldo Alckmin, governador de São Paulo, dá posse a equipe de secretários de seu quarto mandato no Palácio dos Bandeirantes . Foto: Vitor SoranoAlckmin e outras autoridades participam da cerimônia de execução do Hino Nacional . Foto: Vitor SoranoSenador eleito por São Paulo, José Serra, cumprimenta deputado estadual Barros Munhoz . Foto: Vitor SoranoEquipe de secretário de Alckmin aguarda cerimônia de posse . Foto: Vitor SoranoGeraldo Alckmin posa com a primeira-dama Lu Alckmin e com seus três filhos. Foto: DivulgaçãoO governador Geraldo Alckmin (PSDB) deixa o Palácio do Bandeirantes em direção à Assembleia Legislativa para tomar posse ao quarto mandato para governar o Estado. Foto: DivulgaçãoDe mãos dadas com a mulher Lu Alckmin, Geraldo Alckmin acena para convidados ao chegar na Assembleia Legislativa de São Paulo . Foto: Vitor SoranoPresidente da Alesp, Samuel Moreira, dá início à sessão de posse. Foto: Vitor SoranoMilitares desfilam na frente da Assembleia Legislativa na chegada do governador Alckmin . Foto: Vitor Sorano


Questionado se isso poderia significar novas sobretaxas ou aumento nas já existentes, Braga afirmou que 'isso vai ser estudado também'. O novo secretário indicou que atacar os que têm elevado o consumo em meio à crise hídrica será a principal estratégia de curto prazo de sua gestão.

"Nós temos a questão dos usuários que ao invés de reduzir o consumo, aumentaram. Nós não podemos continuar com uma situação como essa em que muitos fazem o dever de casa e outros, não", disse Braga.

Para o médio prazo, a estratégia é explorar água de reúso, mas o novo titular da pasta não deu detalhes sobre isso. "São Paulo nunca usou essa alternativa e nós vamos considerar seriamente."

No longo prazo, a solução para a Grande São Paulo, onde se concentra a maioria dos clientes da Sabesp, é investir na captação de águas do Juru-Mirim ou do Juquiá. Para o secretário, o fenômeno climático que tem reduzido a quantidade de chuvas neste ano em São Paulo não deve terminar tão cedo.

"Como a água [do Oceano Pacífico] está fria, você tem menos formação de chuvas, principalmente na região sudeste [da América do Sul]", afirmou. " A curto prazo, não [há previsão de o fenômeno que causa o esfriamento das águas do Pacífico terminar]. Por isso que a palavra é de atenção, de conscientização de que temos um problema sério e temos de economizar água."

Benedito Braga é anunciado como novo secretário de Saneamento e recursos Hídricos pela Sabesp, em 11 de dezembro passado
Divulgação/Governo de São Paulo - 11.12.14
Benedito Braga é anunciado como novo secretário de Saneamento e recursos Hídricos pela Sabesp, em 11 de dezembro passado


Troca de comando na Sabesp

Braga anunciou a troca de comando na Sabesp. Dilma Pena, que segundo o novo secretário sai por razão pessoal, será substituída por Jerson Kelman, ex-diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA).

A busca de um nome no setor é condizente com a estratégia do governo Alckmin para a gestão do abastecimento de água após o agravamento da crise hídrica. O próprio Braga é professor da USP e preside o Conselho Mundial da Água.

Para o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) o nome escolhido é o de Ricardo Borsari, que já trabalhou para o governo tucano em São Paulo, no Departamento de Águas e Esgoto. 

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas