Cerca de 30 chefes e vice-chefes de Estado e de Governo participarão da posse de Dilma

Agência Brasil

O roteiro da posse da presidenta Dilma Rousseff começa com um desfile em carro aberto pela Esplanada dos Ministérios. Às 14h45, a presidenta reeleita vai embarcar no Rolls-Royce presidencial e seguir em carro aberto da Catedral Metropolitana de Brasília à entrada do Congresso Nacional. Em 2010, Dilma fez o percurso ao lado de sua filha, Paula Rousseff.


O vice-presidente da República reeleito, Michel Temer, também participará do cortejo, em um segundo carro aberto. Os veículos serão escoltados por motociclistas e pela cavalaria do Batalhão da Guarda Presidencial. A pista estará protegida por grades, e a população poderá saudar a presidente por todo o trajeto até a rampa do Parlamento.

Na chegada ao Congresso, prevista para as 15h, Dilma e Temer serão recebidos pelos presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), antes de subir a rampa. Na entrada do Salão Negro, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, e lideranças do Congresso se juntarão ao grupo e seguirão para o plenário da Câmara.

A sessão solene será aberta pelo presidente do Congresso, Renan Calheiros, e a presidenta e o vice prestarão o compromisso constitucional perante o Congresso e assinarão o Termo de Posse. Em seguida, o Hino Nacional será executado e Dilma fará um discurso. A estimativa é que o rito dentro do Congresso dure cerca de uma hora.

Na saída do Parlamento, Dilma receberá honras militares com uma salva de 21 tiros de canhão e passará a tropa em revista antes de seguir para o Palácio do Planalto, novamente em carro aberto. A presidenta entrará na sede do Executivo pela rampa principal e seguirá para o parlatório, onde falará ao povo por volta de 16h30. O público poderá acompanhar o discurso da Praça dos Três Poderes.

Após o discurso, Dilma volta ao interior do palácio. No Salão Leste, a presidenta e o vice receberão cumprimentos de chefes de Estado e de Governo que virão a Brasília para a posse. No Salão Nobre, a presidenta dará posse aos 39 ministros de sua equipe, e, em seguida, no Salão Oeste do prédio, posará para fotos oficiais.

No fim das solenidades no Palácio do Planalto, Dilma e Temer descerão a rampa e irão para o Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores, para uma recepção com convidados, que está marcada para as 18h30.

Para o público que for à Esplanada e à Praça dos Três Poderes, a festa vai continuar com showsde artistas populares contratados pelo PT, partido da presidenta, que está organizando caravanas para atrair militantes para a posse.

O esquema de segurança para a posse terá 4 mil agentes das Forças Armadas, das polícias Federal, Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros e do Departamento de Trânsito do Distrito Federal. Além de controles de acesso à Esplanada, o esquema inclui observadores no alto dos prédios dos ministérios e controle do espaço aéreo.

Ao menos 12 Chefes de Estado e de Governo estarão na posse

Representantes de pelo menos 136 Estados e 14 organizações internacionais prestigiarão nesta quinta-ferira (1º) a posse da presidenta Dilma Rousseff. Além de ministros, enviados especiais, embaixadores de vários países, pelo menos 12 Chefes de Estado ou de Governo estarão em Brasília representando seus países e outras 14 nações estão com seus vice-chefes.

Os Chefes de Estado ou de Governo confirmados são os presidentes do Uruguai, José Mujica; do Chile, Michelle Bachelet; da Venezuela, Nicolás Maduro; do Paraguai, Horacio Cartes; da Guiné-Bissau, José Mario Vaz; da Costa Rica, Luis Guilkermo Rivera; de Gana, John Dramani Mahana; da Bolívia, Evo Morales; da Guiné Equatorial, Vicente Tomi; os primeiro-ministro da Suécia, Stefan Löfven, e de Curaçao, Ivar Asjes e o Chefe de Governo do Marrocos, Abdelilah Benkirane. Além de Mujica, o presidente eleito do Uruguai, Tabaré Vasquez, também representará a República Oriental do Uruguai na cerimônia.

Entre os vice-chefes de Estado e de Governo estarão os vice-presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden; da China, Li Yuanchao; do Conselho da Assembleia Federal da Rússia, Alexander Torshin; da Argentina, Amado Boudou; dos Conselhos de Estado e de Ministros de Cuba, José Ramon Ventura; de Angola, Manuel Domingos Vicente; da Colômbia, Germán Vargas Lheras e o vice-primeiro ministro de Portugal, Paulo Portas.

Além dos países representados, importantes organizações internacionais também enviaram representantes. Entre os mais destacados estão os diretores-gerais da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo; a da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Irina Bokova, primeira mulher eleita para o posto; e o da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), José Graziano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.