Ao falar de seu governo, Pezão diz que vai trabalhar para que o Estado seja referência em ensino médio e profissionalizante

Agência Brasil

Governador eleito no Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão assume seu mandato
Bruno de Lima / Agência O Dia
Governador eleito no Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão assume seu mandato

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, tomou posse para o segundo mandato na manhã desta quinta-feira (1º), em cerimônia na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Também foi empossado o vice-governador, Francisco Dornelles.

Ao discursar, Pezão destacou a redução de índices de criminalidade no Estado desde o primeiro governo de Sérgio Cabral, a quem agradeceu pela parceria. Ao falar de seu governo, Pezão voltou a prometer prioridade para a saúde."Temos uma dívida muito grande com a saúde [no Estado do Rio]", afirmou ele, informando que se reunirá no próxima quarta-feira (7) com o ministro da Saúde, Arthur Chioro, e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, para discutir políticas na área.

Sobre educação, o governador afirmou que um de seus objetivos é transformar o Rio de Janeiro no primeiro colocado no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Pezão também afirmou que vai trabalhar para que o Estado seja referência em ensino profissionalizante e no ensino médio.

Outra promessa foi levar o sistema de corredores expressos de ônibus articulados (BRT) para a Baixada Fluminense. Pezão nomeou como secretário estadual de Transporte Carlos Roberto Osório, ex-secretário da prefeitura que trabalhou na instalação dos corredores da cidade.

Ainda tratando da Baixada, Pezão afirmou que haverá investimento em saneamento para aprimorar o abastecimento de água. "Assinamos ontem um empréstimo de R$ 3,2 bilhões com a Caixa Econômica Federal para levar água para a Baixada Fluminense". Segundo o governador, esse foi o maior empréstimo já concedido à Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae).

A cerimônia contou com a presença da presidenta do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargadora Leila Mariano, do procurador-geral de Justiça Estadual, Marfan Vieira, do prefeito Eduardo Paes, e do arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta. O ex-governador Sérgio Cabral acompanhou a cerimônia no plenário da Alerj, e foi homenageado pelo presidente da Casa, Paulo Melo, que conduziu a cerimônia. Melo afirmou que Cabral era um amigo querido, e ressaltou que o governo Pezão é continuidade do trabalho do ex-governador.

"É um orgulho para mim presidir a sessão de posse de um governador, do nosso governador, que materializa a política que nós construímos", disse o paralamentar.

Na saída da cerimônia, Cabral afirmou que não pretende se tornar conselheiro do novo governo, mas disse que dará sua opinião como companheiro, sempre que for solicitado: "O principal desafio do Pezão será a segurança pública. A segurança continuará sendo a mãe de todas as políticas. É a segurança que determina as condições para as políticas de saúde e educação."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.