Haddad e maior parte da bancada do PT faltam à posse de Alckmin

Por Anderson Passos - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Em seu discurso de posse, governador tucano não citou a grave crise hídrica vivida por todo o Estado de São Paulo

Notório opositor do PSDB em São Paulo e no Brasil, o PT representou a maior ausência na posse do governador tucano Geraldo Alckmin na manhã desta quinta-feira (1º), na Assembleia Legislativa, na zona sul da capital paulista. 

Também ausente, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, foi representado pelo secretário de Governo Municipal, Chico Macena.

Além dele, só havia dois outros petistas presentes: Enio Tatto, primeiro-secretário da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, e Marco Aurélio Souza, deputado estadual. A bancada do PT na Assembleia Legislativa tem 22 parlamentares.  

Apesar da ausência, Haddad tem mantido uma relação de convívio pacifico com o governador. Os dois têm combinado ações conjuntas, como no anunciado aumento das tarifas dos trens, metrô e ônibus na capital. O prefeito deve acompanhar na tarde desta quinta a posse da presidente reeleita, Dilma Rousseff (PT), em Brasília. 

Veja fotos das posses dos governadores pelo Brasil: 

Pedro Taques assume governo do Mato Grosso com a promessa de "nova política de tributação". Foto: José Medeiros/SECOM"São Paulo não pode esperar um dia, um minuto, para oferecer ao país a sua parcela de luta", discursou Geraldo Alckmin na posse. Foto: DivulgaçãoAo lado do presidente da Samuel Moreira (PSDB), Geraldo Alckmin ouve o Hino Nacional antes da posse . Foto: Reprodução/TV CulturaGeraldo Alckmin (PSDB) discursa logo após tomar posse de seu quarto mandato no governo de São Paulo . Foto: Vitor SoranoDe mãos dadas com a mulher Lu Alckmin, Geraldo Alckmin acena para convidados ao chegar na Assembleia Legislativa de São Paulo . Foto: Vitor SoranoO governador Geraldo Alckmin (PSDB) deixa o Palácio do Bandeirantes em direção à Assembleia Legislativa para tomar posse ao quarto mandato para governar o Estado. Foto: DivulgaçãoGeraldo Alckmin posa com a primeira-dama Lu Alckmin e com seus três filhos. Foto: DivulgaçãoGovernador reeleito do Acre, Tião Viana (PT), lê seu juramento durante a cerimônia de posse na Assembleia Legislativa do Acre. Foto: Fotos PúblicasGovernador reeleito do Acre, Tião Viana (PT), lê seu juramento durante a cerimônia de posse na Assembleia Legislativa do Acre. Foto: Fotos Públicasui Costa toma posse do cargo de governador da Bahia na manhã desta quinta-feira (1), em cerimônia realizada na Assembleia Legislativa. Foto: Futura PressFernando Pimentel foi empossado nesta quinta-feira (01) em cerimônia na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Foto: Fotos PúblicasFernando Pimentel toma posse como governador de Minas Gerais na Assembleia Legislativa. Foto: Fotos Públicas Governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB) participa de missa, antes da cerimônia de posse, na manhã desta quinta-feira (1). Foto: Futura PressFrancisco Dornelles assumiu como vice-governador do Estado do Rio na manhã desta quinta-feira, 1º de janeiro de 2014
. Foto: Bruno de Lima / Agência O DiaGovernador eleito no Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão assume seu mandato
. Foto: Bruno de Lima / Agência O Dia


Nada de crise hídrica 

Em seu discurso durante a cerimônia de posse, Alckmin defendeu o histórico de 20 anos dos tucanos à frente do governo paulista.  Ele atribuiu ao seu partido a ‘impecável situação fiscal’ de São Paulo, que teria permitido que o Estado investisse a cifra de R$ 74 bilhões.

Mais: Alckmin toma posse de seu quarto mandato no governo de São Paulo

Alckmin não tocou em seu discurso da grave crise de falta de água que afeta todo o Estado. O único tema delicado citado por ele foi a questão da segurança. O tucano exaltou a queda do número de homicídios em São Paulo. 

Tomando posse de seu quarto mandato, Alckmin encerrou seu discurso citando o seu padrinho político, o ex-governador paulista Mario Covas, dizendo que ‘São Paulo nunca vai virar as costas para o Brasil’. 

 

Leia tudo sobre: PolíticaGeraldo AlckminAlckminalespPTFernando Haddad

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas