Dilma pede posse "popular" ao cerimonial do Planalto

Por Luciana Lima - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Telões para que a população possa acompanhar as cerimônias já foram providenciados; no dia 1º de janeiro, todas as cortinas do Palácio do Planalto ficarão abertas

Elza Fiuza/Agência Brasil
Cerimonial do Planalto faz ajustes finais da cerimônia de posse da presidente Dilma

Para a posse como presidente reeleita, marcada para o próximo dia 1º de janeiro, a presidente Dilma Rousseff fez uma única exigência ao cerimonial do Palácio do Planalto. Dilma quer uma posse festiva, popular, na qual as pessoas que se concentrarem na Praça dos Três Poderes ou ao longo da Esplanada possam ver o que acontece dentro do Congresso ou do Planalto, e que os convidados para as cerimônias internas possam ver a população do lado de fora.

Para atender a exigência, vários telões serão instalados na Praça dos Três Poderes e a ordem no cerimonial é de manter abertas todas as cortinas do Planalto, cujas paredes são de vidro. “O objetivo é expor, ao máximo, as cerimônias”, disse o chefe do Cerimonial da Presidência da República, ministro Renato Mosca, em entrevista ao iG.

“Ela nos orientou a fazer a exposição desta posse para que a população possa acompanhar, participar deste dia festivo da democracia brasileira. Nós faremos tudo aqui no Palácio do Planalto para eu os convidados possam ver o que esta acontecendo do lado de fora e os convidados que estão de fora, a população que está na praça, possam acompanhar todas as cerimônias”, informou Mosca.

Leia também:

Posse de Dilma deve reunir 30 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios
Planalto faz ensaio para posse de Dilma

Posse de Dilma deve reunir 30 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios. Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIAAs vias estarão protegidas por grades e a população poderá saudar a presidenta por todo o trajeto até a rampa do Parlamento. Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIAA presidenta entrará na sede do Executivo pela rampa principal e seguirá para o parlatório, onde falará ao povo por volta de 16h30. Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIAO público poderá acompanhar o discurso da Praça dos Três Poderes. Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIAPara o público que for à Esplanada e à Praça dos Três Poderes, a festa continuará com shows de artistas populares contratados pelo PT. Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIAO PT, partido da presidenta, organizou caravanas para atrair militantes para a posse. Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIASão esperadas para a posse de Dilma delegações de 60 países e 27 chefes de Estado e de Governo. Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIAO roteiro do evento de quinta-feira (1°) inclui desfile em carro aberto, cerimônia no Congresso, discurso ao povo no Palácio do Planalto, posse de ministros e termina com uma recepção no Palácio Itamaraty. Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIAÀs 14h30, a presidenta Dilma Rousseff deve sair do Palácio da Alvorada, residência oficial, e seguir em carro fechado até a Catedral Metropolitana de Brasília. Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIAO percurso no Rolls-Royce presidencial até o Congresso Nacional sairá do começo da Esplanada dos Ministérios, às 14h45. Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIAO trajeto será acompanhado por batedores e pela cavalaria do Batalhão da Guarda Presidencial. O vice-presidente da República, Michel Temer, também fará o percurso em carro aberto. Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIA

Dilma deverá vestir a faixa em público, diferente do que ocorreu com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando tomou posse em seu segundo mandato. Após a posse no Congresso, Lula se dirigiu à entrada privativa do Planalto, foi ao gabinete, onde vestiu a faixa, Ao reaparecer no pé da rampa do Planalto, já estava com a faixa.

A chuva, que costuma ser torrencial e diária nos verões brasilienses, condicionou o Planalto a ter dois planos bem ensaiados. Dilma sairá do Palácio da Alvorada, em carro oficial fechado, acompanhada de uma ajudante de ordem e seguirá até a Catedral, onde ela se encontrará com o vice-presidente Michel Temer e sua mulher, Marcela que seguirão em desfile em um segundo carro.

Em frente à Catedral ela tomará o Rolls Royce da Presidência da República que a conduzirá, em carro aberto, até o início da rampa principal do Congresso, onde ocorrerá a posse. Caso esteja chovendo, a capota do conversível será fechada.

Em 2011, uma chuva forte e rápida impediu o desfile em carro aberto rumo Congresso. Assim que a presidente entrou no carro, acompanhada de sua filha, Paula, uma tempestade começou a cair e o cerimonial fez com que a presidente se abrigasse no carro fechado, até que a capota do carro antigo fossem fechadas para só assim conduzir a presidente. “Foi uma chuva tão forte que os seguranças que acompanharam o carro da presidente chegaram ensopados ao Congresso”, lembrou Mosca.

Neste ano, a presidente deverá repetir o ritual de ter só seguranças femininas em sua escolta até o Congresso, uma marca que inaugurou com sua chegada ao poder em 2011.

O plano B do cerimonial também inclui a revista à tropa, que costuma ocorrer em frente ao Congresso. Caso chova, esta revista ocorrerá na Chapelaria do Congresso.

Cerimônia no Congresso

No Congresso, Dilma será recebida pelo presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), e pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). A sessão solene é aberta por Renan. Dilma e Temer prestam compromisso constitucional perante o Congresso Nacional.


O termo de posse será lido pelo primeiro Secretário do Congresso Nacional, o vice-presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) e será assinado pelos empossados e por todos os integrantes da Mesa. Em seguida, caberá a Renan Calheiros declarar empossados a presidente e o vice.

Como manda o protocolo, logo após a assinatura a presidente fará um pronunciamento que deverá durar 45 minutos. Após o discurso, o presidente do Congresso encerrará a sessão.

Reempossados, Dilma e Temer seguem no cumprimento do protocolo da posse. No Salão Negro do Congresso ouvem o Hino Nacional tocado pela Banda do Batalhão da Guarda Presidencial e um salva de 21 tiros. Depois disso, a presidente passa em revista à tropa, em um ritual também marcado. Ela descerá a Rampa principal do Congresso e seguirá até o final da composição de militares, onde prestará reverência à bandeira Após este ritual, seguem para o Palácio do Planalto.

Cerimônia no Planalto

No pé da rampa do Planalto, Dilma e Temer ouvem o Hino Nacional e, na sequência, ela deve receber a faixa presidencial de chefe do Cerimonial, Renato Mosca. No interior do Planalto, Dilma e o vice recebem cumprimentos e vão ao Parlatório, onde Dilma fará o pronunciamento à Nação. A previsão é de que o discurso da presidente ocorra por volta das 17h15. Para a posse, o Planalto espera chefes 27 chefes de Estado e representantes de 60 países.

Após o pronunciamento, os empossados seguem para o Salão Nobre do Palácio do Planalto, onde a presidente dará posse aos novos ministros.

Após as cerimônias oficiais, Dilma e Temer descem juntos a rampa do Planalto e seguem para o Palácio do Itamaraty, onde haverá recepção para convidados, marcada para 18h30.

O esquema de segurança envolverá cerca de quatro mil agentes das Forças Armadas, das polícias Federal, Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros e do Departamento de Trânsito do Distrito Federal. 

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas