Presidente da Câmara não quer ter nome entre prováveis ministros do PMDB

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Depois de 44 anos como deputado federal, Henrique Eduardo Alves deixa a Câmara em 31 de janeiro; ele disputou o governo do RN, mas foi derrotado e ficará sem mandato em 2015

Agência Brasil

O presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), não quer que seu nome seja incluído pelo PMDB como um dos prováveis ministros do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. Alves disse que quer concluir o mandato como presidente da Câmara até 31 de janeiro, quando encerra a atual legislatura e seu mandato parlamentar.

Em nota, a assessoria de imprensa da presidência da Câmara informou nesta terça-feira (23) que Henrique Alves pediu ao vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, “que não considerasse seu nome entre os incluídos pelo PMDB para compor o honroso novo ministério, porque faz questão que sejam esclarecidas as citações absurdas envolvendo seu nome”.

Depois de 44 anos como deputado federal, Henrique Eduardo Alves deixará a Câmara em 31 de janeiro próximo. Ele disputou o governo do Estado e foi derrotado por Robinson Farias. Como Alves estará sem mandato, seu nome tem sido um dos mais citados para ocupar um dos ministérios do novo governo.

O deputado teve o nome citado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa como um dos beneficiários do esquema de corrupção na Petrobras, descoberta pela Polícia Federal na Operação Lava Jato. Alves nega todas as acusações e pede que sejam esclarecidas as citações, consideradas por ele como “absurdas”.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas