Graça Foster desmente Venina e diz que não recebeu denúncia

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Em entrevista à TV Globo, presidente da Petrobras disse que ex-gerente da estatal "poderia ter feito denúncia, mas não fez"

A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, disse em entrevista exibida nesta segunda-feira (22) ao Jornal Nacional (TV Globo) que a ex-gerente de abastecimento da estatal Venina Velosa da Fonseca esteve algumas vezes com ela, mas nunca fez qualquer denúncia sobre corrupção, fraude, conluio ou cartel.

LEIA TAMBÉM:
Veja lista de políticos que podem estar envolvidos na Operação Lava Jato

Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
Foster negou ter recebido denúncias de Venina

A executiva conta que logo que assumiu a presidência da Petrobras, as duas conversaram sobre os vários desafios que Foster tinha pela frente. "O que nós conversamos muito era sobre custos de projetos mais altos, previstos. Prazos de projetos e as atitudes que eu tinha de tomar. Essas foram as grandes partes das nossas conversas."

Quando o repórter José Renato Soares pergunta "por que você não deu crédito para as denúncias?", a executiva rebate: "Não é que eu não dei crédito para a Venina. A Venina falou de assuntos que eram da nossa agenda do dia a dia. De que os projetos precisam ser conduzidos de forma diferenciada. Precisavam ser gerenciados, monitorados, coordenados de maneira diferenciados. Esse era o tema de reuniões com grupos de trabalho. Em nenhum momento ela fala em corrupção, fraude, cartel."

Graça Foster relata ainda que tenha havido denúncia em reunião presidida por ela ou por José Sérgio Gabrieli, antecessor de Graça Foster na presidência da Petrobras. 

Sobre os e-mails que a ex-gerente diz ter enviado, denunciando corrupção na estatal, Graça conta que foram mensagens de feliz aniversário ou relativos a sua posse na presidência da Petrobras.

"Um primeiro e-mail, que foi o primeiro que ela cita, que fala de abril de 2009, simples compreensão. E este quarto e-mail, de outubro de 2011. Ele é um e-mail longo, bastante emocionado, cheio de preocupações dela. Em quatro linhas, ela faz alguns comentários que me pareceram bastante cifrados, quando ela fala em licitações ineficientes. Ontem [em entrevista ao Fantástico, da TV Globo], ela explicou o que é o projeto esquartejado. Em nenhum momento, nenhum momento, ela fala em corrupção, conluio, cartel. São palavras muito simples de serem entendidas", explica Graça.

A executiva ressalta ainda que quando se manda e-mails importantes, o recomendável é que se confirme que o receptor recebeu e leu a mensagem.

"Eu também acho que quando a gente manda um e-mail pra alguém tão importante, telefona, manda uns anexos, chama o chefe de gabinete, não é? Também não houve isso. Então, logo depois, em fevereiro, ela pediu para falar comigo e a gente conversou sobre diversos assuntos", destacou Graça.

Em outro momento da entrevista, ao ser indagada sobre se houve espaço para a ex-gerente fazer denúncias, Graça repetiu quatro vezes seguidas que "ela não fez denúncias". "Ela poderia ter feito denúncia, mas ela não fez."

Graça afirmou que Venina é muito organizada e era uma boa funcionária. "O que Venina diz, e eu espero que ela tenha todos os documentos, pode ajudar muito a Petrobras, se tiver todos os documentos. Ela é muito organizada, deve ter."

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas