Ministro Teori Zavascki homologa delação premiada de Youssef

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Em troca de redução de pena, o doleiro confessou como funcionava o esquema de corrupção na Petrobras e revelou nomes de políticos que receberam propina

Agência Brasil

Jeso Carneiro/Agência Senado
Doleiro Alberto Yousseff

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), homologou nesta sexta-feira (19) os termos do acordo de delação premiada entre o doleiro Alberto Yousseff, Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal nas investigações da Operação Lava Jato.

LEIA MAIS: Políticos negam envolvimento em irregularidades na Petrobras

Em troca de redução de pena, o doleiro confessou como funcionava o esquema de corrupção na Petrobras e revelou nomes de políticos que receberam propina.

Com a homologação, os políticos já podem ser denunciados ao Supremo. No entanto, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve apresentá-las somente em fevereiro do ano que vem, após o recesso do Judiciário, que começa hoje.

Para ter validade, a delação premiada aguardava homologação do ministro Teori Zavascki, responsável pelos processos da operação no Supremo. Os nomes citados estão em segredo de Justiça e ainda não foram revelados oficialmente.

As informações prestadas pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, por meio de delação premiada, também serão analisadas na formulação de denúncia contra os parlamentares.

A parte da investigação da Operação Lava Jato que não envolve pessoas com foro privilegiado tramita na Justiça Federal em Curitiba, onde correm 18 ações penais.

Leia tudo sobre: stfmpfoperação lava jatoalberto yousseff

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas