Governistas apostam em novo ministério para se reaproximar de Dilma

Por Brasil Econômico -Gilberto Nascimento |

compartilhe

Tamanho do texto

Depois de semanas difíceis, aliados apostam na escolha dos ministros e de candidato do PT à Presidência da Câmara para retomar a normalidade na relação com a equipe da presidente

Brasil Econômico

A semana legislativa que começa hoje deve ser decisiva na composição do ministério do segundo governo da presidenta Dilma e também para a eleição da Presidência da Câmara. Pelo menos é essa a expectativa entre outros partidos da base aliada.

Parlamentares afirmam  que o governo espera terminar nesta terça  a votação sobre a flexibilização do superávit fiscal para depois começar a discutir 2015. O PT anunciou que indicará  hoje seu candidato ao comando da Câmara. O escolhido deve enfrentar o líder do PMDB, Eduardo Cunha, que já oficializou seu nome na disputa pelo cargo. Ele e o petista devem dividir a base aliada. Por isso, ainda há quem aposte em um acordo entre o peemedebista e o partido da presidenta Dilma.

A oposição também estuda lançar seus candidatos, mas vê com bons olhos uma vitória de Cunha contra um adversário petista. Muito mais pela derrota que representaria para o governo. Partidos da base que estavam mais próximos do líder peemedebista já estudam uma reaproximação com o PT, para apoiar seu candidato. Tudo vai depender, é claro, de qual será o petista escolhido para entrar na disputa e também de uma alteração de humor entre os parlamentares em relação ao governo. Nas últimas semanas, o clima entre Legislativo e Executivo ficou tenso, principalmente por conta da ameaça de corte na liberação de emendas parlamentares. A esperança é que a relação se normalize depois da votação. A presidenta Dilma também pode melhorar o relacionamento com os aliados no Congresso por meio de suas escolhas para compor o ministério.

 PR aguarda nomeação de ministro

 Apesar de ainda não ter uma confirmação oficial, o PR, por exemplo, já dá como certa a escolha de Antonio Carlos Rodrigues para comandar o Ministério dos Transportes. Suplente da ex-ministra da Cultura Marta Suplicy, ele deixou o Senado para que a titular reassumisse o cargo e retornou à Câmara Municipal de São Paulo, onde ainda cumpre mandato como vereador. Rodrigues tem sido um aliado fiel do PT dentro do PR e participou ativamente da campanha da presidenta à reeleição. Enquanto aguarda um chamado para voltar a Brasília, ele ajuda a candidatura do petista Antônio Donato a presidente do Legislativo paulistano. 

MST espera compensação 

Para compensar a indicação de Kátia Abreu (PMDB-TO) para o Ministério da Agricultura, o   MST  quer  que o governo nomeie para o  Desenvolvimento Agrário  “pessoas que representem a vontade de fazer a luta dos camponeses”, segundo Jaime Amorim, da coordenação do   movimento.

 Indicação na Bahia gera reações de petistas

A indicação do jornalista André Curvello para a Secretaria de Comunicação do governo de Rui Costa, na Bahia, gerou reações de petistas e profissinais da área. Assessor de imprensa de Costa durante a campanha, Curvello é dono de uma empresa de comunicação que presta serviços ao Metrô da  Bahia e  à Intermarítima, concessionária pública que  administra o porto de Salvador. É considerado uma figura ligada ao carlismo e sempre trabalhou para o DEM e o antigo PFL.

 Para ONG, projeto agrava crise da água 

A SOS Mata Atlântica convocou protesto para hoje em São Paulo contra o PL 219/2014, em pauta na Assembleia Legislativa. A proposta de regularização ambiental é encabeçada por Barros Munhoz (PSDB). Para o presidente da ONG, Mario Mantovani, o texto paulista é ainda pior do que as mudanças do Código Florestal aprovadas no Congresso. O ponto mais grave, segundo ele, é a menor proteção a rios e nascentes, no momento em que o Estado vive uma crise hídrica.

 “O tom que (a oposição) deve ter é aquele que Carlos Lacerda nos ensinou”, Ronaldo Caiado (DEM-GO), líder da oposição no Congresso, ao recomendar a adoção do estilo do político da UDN, famoso por sua retórica

 *Com Leonardo Fuhrmann

Leia tudo sobre: mosaico politico

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas