Se confirmado, escândalo na Petrobras é tragédia para o País, diz ex-diretor

Por iG São Paulo * | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Pouco antes, Ildon Sauer, que dirigiu a área de Gás e Energia da empresa, garantiu desconhecer casos de propina na estatal

Apesar ter sido suspensa a sessão da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) desta quarta-feira (3), parlamentares da oposição optaram por ouvir informalmente o depoimento de Ildo Sauer, ex-diretor de Gás e Energia da Petrobras, a respeito dos desvios na estatal.

Veja a sessão da CPMI que colocou ex-diretores da empresa frente a frente:

Os ex-diretores da Petrobras frente a frente no Senado Federal, na tarde desta terça-feira, na CPMI que investiga a estatal. Foto: Jefferson Rudy/Agência SenadoO ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa durante a acareação desta terça. Foto: Jefferson Rudy/Agência SenadoO ex-diretor da área internacional da estatal Nestor Cerveró durante acareação no Senado, nesta terça-feira. Foto: Pedro França/Agência SenadoOs ex-diretores da Petrobras frente a frente no Senado Federal, na tarde desta terça-feira. Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Sauer chegou a afirmar pouco antes a jornalistas não ter qualquer conhecimento a respeito de casos de propina empresa. Mas concordou que, caso as denúncias de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef sejam confirmadas, o escândalo é uma tragédia para a estatal e para o País.

Leia também:
Cerveró reafirma em acareação que Pasadena foi bom negócio para Petrobras
Ex-diretor diz que "dezenas de políticos" participaram de esquema na Petrobras
Esquema como o da Petrobras ocorre em todos os setores no País, diz ex-diretor

A sessão extraoficial foi feita com microfones desligados, com a presença de parlamentares da oposição e alguns jornalistas. 

O dia de depoimentos da CPMI sequer chegou a ser aberta nesta quarta, com o argumento de seu presidente, Gim Argello (PTB-SE), de que haveria votação no Senado no mesmo período – em relação às mudanças da meta fiscal.

*Com Reuters

Leia tudo sobre: operação lava jatopetrobrascpmiildo sauerex-diretor

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas