Objetivo central é aumentar competitividade das empresas nacionais, diz Monteiro

Por iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ministro defende simplificação de impostos para destravar investimentos e exportações e redução de custo para indústria

Em entrevista coletiva após ser confirmado como novo titular do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior (MDIC), Armando Monteiro disse que o objetivo central do governo será promover a competitividade das empresas brasileiras no cenário internacional.

Agência Brasil
Armando Monteiro discursa após ser anunciado ministro do Desenvolvimento, nesta segunda-feira

De acordo com Monteiro, para isso, o governo terá de adotar medidas que reduzam o “custo sistêmico e elevem a produtividade” das empresas nacionais. "Nosso país ainda apresenta elevados custos, com sistema tributário complexo, que onera investimentos e exportações", disse o ministro.

Leia mais:
Senador Armando Monteiro é nomeado ministro do Desenvolvimento

“O desafio central é promover a competitividade. O que significa reduzir custos sistêmicos e elevar a produtividade. A agenda da competitividade envolve várias áreas dentro do governo e demanda intensa articulação e coordenação. É papel primordial do Ministério do Desenvolvimento realizar essa tarefa. E colocar o tema da competitividade no centro da agenda política do País", acrescentou.

Leia também:
Dilma poderá ser recordista em indicações de ministros no Supremo
Quem é Nelson Barbosa, o novo ministro do Planejamento
Conheça mais sobre Joaquim Levy, novo ministro da Fazenda
Veja o que o mercado diz sobre a nova equipe econômica do governo Dilma

Monteiro, que já presidiu a Confederação Nacional da Indústria (CNI), ponderou que mesmo com as “turbulências”, a atividade industrial no Brasil foi capaz de manter baixa a taxa de desemprego.

Agência Brasil
Senador Armando Monteiro já presidiu a Confederação Nacional das Indústrias

O novo ministro também se mostrou disposto a atuar “em consonância” com a nova equipe econômica, anunciada na semana passada, e que indicou uma política para reequilibrar as contas do governo e de incentivar o investimento privado.

"O reequilíbrio macroeconômico é condição fundamental para fortalecimento da confiança e da retomada de um crescimento mais vigoroso", disse o novo ministro.

Monteiro também se mostrou disposto a fortalecer acordos comerciais no âmbito do Mercosul, com a União Europeia e outros países sul-americanos. "Precisamos envidar esforços para concluir o acordo, que está avançado. Podemos promover um acordo com os países da América do Sul que integram a aliança do pacífico, como o Chile e Colômbia. Isso oferece perspectivas ao País."

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas