Candidatos receberam doações de Bradesco e Itau, da empresa Odebrecht Óleo e Gás S.A e das construtoras OAS e Andrade Gutierrez

Agência Brasil

A prestação de contas das campanhas de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) foi divulgada hoje (25) pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ao todo, os candidatos que disputaram o segundo turno das eleições presidenciais gastaram R$ 570.050.970,85.

Denúncias de corrupção colocam sobre próximo presidente desafio da reforma ética

Em campanha mais acirrada da história, Dilma é reeleita presidente da República

“Aécio, vai chorar na Cantareira”, grita militância do PT na Avenida Paulista

A campanha de Dilma Rousseff foi a que gastou mais. As despesas da campanha petista à presidência somaram R$ 350.575.063,64. Já as receitas foram R$ 350.836.301,70. Os valores informados ao TSE mostram saldo positivo de R$ 261.238,06.

O candidato do PSDB, por sua vez, gastou R$ 223.475.907,21 e arrecadou R$ 222.925.853,17. Um saldo negativo de R$ 550.054,04. De acordo com a legislação eleitoral, as dívidas devem ser assumidas pelos partidos.

Dilma e Aécio no estudio da Globo, para o ultimo debate do segundo turno
Reuters/Ricardo Moraes - 24.10.14
Dilma e Aécio no estudio da Globo, para o ultimo debate do segundo turno

Ambos os candidatos receberam doações dos bancos Bradesco e Itau, da empresa Odebrecht Óleo e Gás S.A e das construtoras OAS e Andrade Gutierrez, dentre outros grupos econômicos.

Os dados foram apresentados nesta terça-feira, último dia estabelecido pelo TSE. As contas da campanha da presidenta reeleita, Dilma Rousseff, estão sob a relatoria do ministro Gilmar Mendes. Já o processo do candidato Aécio Neves será relatado pela ministra Maria Thereza de Assis Moura.

A prestação das contas de todos os candidatos que participaram das eleições é obrigatória, segundo a legislação. Os candidatos à presidência que concorreram apenas no primeiro turno informaram as contas das campanhas no dia 4 deste mês.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.