Presidente Dilma lamenta morte de Márcio Thomaz Bastos

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

O advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, de 79 anos, morreu no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo

A presidente Dilma Rousseff divulgou uma nota lamentando a morte de Márcio Thomaz Bastos. O ex-ministro foi internado na região central de São Paulo, no início da tarde de terça-feira (18), para tratar de uma descompensação de fibrose pulmonar.

Ivone Perez
Bastos: admirado por seus pares, foi criticado por defender réus como Roger Abdelmassih

O corpo do ex-ministro é velado desde às 15h na Assembleia Legislativa de São Paulo. A presidente Dilma Rousseff confirmou presença no velório, assim como outras autoridades.

Leia a nota da presidente:

Rendemos hoje as nossas homenagens a um grande brasileiro. O País perdeu um grande homem, o Direito brasileiro perdeu um renomado advogado e eu perdi um grande amigo.

Márcio Thomas Bastos era um defensor intransigente do direito de defesa e considerava o exercício da advocacia um pilar da sociedade livre. Como ministro da Justiça, foi responsável por avanços institucionais, como a reestruturação que ampliou autonomia à Polícia Federal, a aprovação da emenda constitucional da reforma do Poder Judiciário e o Estatuto do Desarmamento.

Quem teve o privilégio de conviver com ele, como eu tive, conheceu também um amigo espirituoso, de caráter e lealdade ímpares.

A seus familiares, amigos, alunos e admiradores, meus sentimentos nessa hora de dor.

Leia mais:
Morre em São Paulo o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos

Veja repercussão da morte de Márcio Thomaz Bastos:

Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia:

"O Brasil perde hoje não apenas um de seus melhores advogados criminalistas, mas um dos homens que mais lutou pela democracia e pelo estado de direito em nosso país. Em particular, nós perdemos um amigo.

Márcio Thomaz Bastos foi um corajoso defensor da lei e um advogado apaixonado pela ideia de um Brasil melhor. Foi um homem raro e que muito contribuiu para mudar a história do país. Sua atuação como ministro foi fundamental para o combate ao crime e a garantia do cumprimento da Lei.

Compartilhamos este sentimento de perda com sua esposa Maria Leonor de Castro Bastos, sua família, amigos e tantos admiradores que Márcio Thomaz Bastos fez ao longo da vida."

Senadora Marta Suplicy (PT-SP):

"Marcio Thomaz Bastos deixa um legado de competência, coragem e exemplo de lealdade ao amigos. Um homem de ideias progressistas, serenidade e bom senso. Como ministro da Justiça e presidente da OAB mostrou espírito público. Meus sentimentos à Leonor. Marcio fará falta a todos nós."

Após dois dias internado, o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos morreu, nesta quinta-feira (20), em São Paulo. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABrThomaz Bastos foi um dos mais renomados advogados criminalistas do País; ele morreu aos 79 anos. Foto: Nelson Jr./SCO/STFThomaz Bastos foi ministro da Justiça do governo Lula entre 2003 e 2007. Foto: Ivone PerezApós deixar o ministério, atuou em casos de grande repercussão nacional, sendo muitas vezes criticado por suas escolhas. Foto: Nelson Jr./SCO/STFDefendeu, entre outros, o ex-médico Roger Abdelmassih, condenado por estupro de pacientes, preso em agosto. Foto: Ivone PerezTambém defendeu o bicheiro Carlinhos Cachoeira, suspeito de participar de esquema de jogos ilegais. Foto: Futura PressDilma Rousseff: o País perdeu um grande homem, o Direito brasileiro perdeu um renomado advogado e eu perdi um grande amigo. Foto: Fotos PúblicasMorreu o melhor advogado de todos os tempos do Brasil, uma das melhores cabeças que o Brasil tinha, disse o advogado Celso Sanchez Vilardi. Foto: Dida Sampaio/AEcachoeira. Foto: André Dusek/AEMarcio Thomaz Bastos foi ministro da Justiça no governo Lula. Foto: Agência BrasilMarcio Thomaz Bastos. Foto: Agência BrasilMarcio Thomaz Bastos, advogado do ex-diretor do banco rural José Roberto Salgado. Foto: Alan Sampaio / iG Brasília

Delegado Protógenes, twitter:
O Adv. Marcio Thomaz Bastos cunhou a frase a "PF é Republicana" e a Satiagraha foi iniciada qdo era MJ do Lula. Descanse em paz!

Celso Amorim, Ministro da Defesa:
O País perdeu hoje um de seus mais ilustres juristas. Valioso colaborador na gestão do ex-presidente Lula, Márcio Thomaz Bastos foi, como colega e companheiro de Esplanada, uma personalidade que sempre inspirou confiança, admiração e respeito.

Contribuições como a reforma do Poder Judiciário e o Estatuto do Desarmamento ilustram um legado de transformações em favor da melhoria do Estado e evolução da própria sociedade brasileira.

Apresento meus sinceros votos de pesar a familiares e amigos, neste momento de comoção e tristeza.

Geraldo Alckmin:

“O ex-ministro foi um dos mais aguerridos defensores do retorno do Estado de Direito ao Brasil. Pautou-se, na advocacia, pelas mesmas convicções democráticas e pelo mesmo esforço conciliatório que marcaram suas ações ao longo de uma vida brilhante. Meus sentimentos aos familiares e amigos”.

Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL):

“O Brasil perdeu, na manhã de hoje, um de seus mais ilustres advogados, Márcio Thomaz Bastos, que por mais de 50 anos exerceu com brilhantismo e dedicação o ofício da advocacia. Ex-ministro da Justiça, criminalista, Thomaz Bastos enalteceu nossas mais altas cortes de Justiça pela paixão com que defendia suas teses.”

Leia também:
Chamado de ‘God’ no meio jurídico, Thomaz Bastos era tietado pelos colegas
Relembre a atuação do ex-ministro Márcio Thomaz Bastos

Presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves (PMDB-RN):

“Desde sua participação no Movimento das Diretas-Já, como presidente da OAB [Ordem dos Advogados do Brasil] de São Paulo, passando por sua atuação no Ministério da Justiça entre 2003 e 2007, até suas ações em movimentos pelo voto consciente dos eleitores, pela transparência no financiamento das campanhas e pelo direito amplo de defesa e acesso à Justiça de todos os cidadãos, Márcio Thomaz Bastos, se tornou um símbolo da advocacia cidadã.”

Presidente da Câmara Municipal de São Paulo, José Américo Dias (PT):

É com profundo pesar que lamento o falecimento do advogado, ex-presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em São Paulo e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos. O Brasil perde um defensor da Democracia, dos Direitos Humanos e do combate às injustiças. Como ministro da Justiça, ele se empenhou no fortalecimento das instituições do Estado, como a Polícia Federal, e no desenvolvimento de mecanismos institucionais de combate à corrupção e ao crime organizado. Sua vida como advogado militante e homem público foi, e continuará sendo, um símbolo da integridade, generosidade e coragem. Minha solidariedade à sua família.

Ivone Perez
Thomaz Bastos sob imagem de Dilma: em nota, presidente disse ter perdido um grande amigo

José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro, presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP)

A morte de Márcio Thomaz Bastos encerra um ciclo para a advocacia. Defensor incansável do direito de defesa, escreveu a história de forma indelével.

Celso Sanchez Vilardi, advogado criminalista:

Morreu o melhor advogado de todos os tempos do Brasil, uma das melhores cabeças que o Brasil tinha. Ele vai fazer muita falta, principalmente para mim e para a advocacia brasileira.

José Luís Oliveira Lima, advogado criminalista:

Foi o maior estrategista conhecido e um grande orador. No lado pessoal, era generoso, gentil, divertido e sempre tinha uma palavra amiga. Estou muito triste com a morte dele.

Edgard Hermelino Leite Junior, ex-presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP):

Uma figura ímpar, uma referência na advocacia nacional. Um verdadeiro gentleman, que sempre se dedicou a todas as causas e aos amigos de forma intensa.

Leia tudo sobre: Márcio Thomaz BastosmorteDilmanotafalecimento

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas