Janot diz que é contra pedido do PSDB para auditar resultado das eleições

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Partido protocolou na semana passada pedido para conferência dos votos do pleito que reelegeu Dilma presidente

Agência Brasil

O procurador-geral Eleitoral, Rodrigo Janot, enviou nesta segunda-feira (3) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) parecer contrário ao pedido do PSDB para auditar o resultado das eleições presidenciais. Segundo o procurador, o partido “visa a promover gravíssimo procedimento de auditoria sem que exista qualquer elemento concreto que a justifique”.

Agência Brasil
O procurador-geral Eleitoral, Rodrigo Janot: para ele, não há elementos que justifiquem auditoria

No entendimento de Janot, o pedido do PSDB é baseado em especulações de usuários das redes sociais, sem nenhum indício de fraude. "Não se pode justificar postura de um partido político do tamanho e da representatividade do requerente de, em baseando-se unicamente em comentários formulados em redes sociais, em boatos muitas vezes camuflados pelo anonimato, pretender a instauração de um procedimento que, a par de não previsto em lei, pode comprometer a credibilidade do sistema eleitoral deste País. Tal medida é de uma imprudência a toda prova, dada a real possibilidade de criar uma situação de instabilidade social e institucional", justificou.

Leia mais:
PSDB pede auditoria do resultado da eleição presidencial ao TSE

O procurador-geral também ressaltou no parecer que medidas de fiscalização, públicas a todos os partidos, foram disponibilizadas ao PSDB como cópias dos boletins de urna, de arquivos eletrônicos, além de acesso aos programas de totalização dos votos.

“Vê-se, pois, a partir de tais exemplos, que o sistema eleitoral brasileiro, ao qual o partido requerente empresta tão pouca credibilidade, por conta de boatos postados em redes sociais, pode ser amplamente acompanhado e fiscalizado, em suas mais diversas fases, pelos partidos políticos, circunstância que, aliada à ausência de indícios mínimos de irregularidade apontados pelo requerente impõem o indeferimento do pleito."

No pedido de auditoria, protocolado na semana passada, o PSDB diz ter “absoluta confiança” de que o tribunal garantiu a segurança do pleito, mas pretende tranquilizar eleitores que levantaram, por meio das redes sociais, dúvidas em relação à lisura da apuração dos votos. O partido solicitou que o TSE crie uma comissão formada por integrantes dos partidos políticos para fiscalizar todo o processo eleitoral, desde a captação até a totalização dos votos. O partido não pede a recontagem dos votos. O pedido deve ser julgado pelo plenário do TSE nesta semana.

Leia tudo sobre: rodrigo janottsepsdbeleiçõesdilma rousseffaécio nevespt

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas