Youssef tem alta e retorna para carceragem da PF em Curitiba

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Boato envolvendo doleiro no final de semana dizia que ele fora envenenado; ele é peça chave da investigação da Lava Jato

Agência Brasil

Internado em um hospital de Curitiba desde a tarde do último sábado (25), após um episódio de síncope (perda rápida da consciência), o doleiro Alberto Youssef recebeu alta nesta quarta-feira (29) pela manhã e foi levado para a carceragem da Polícia Federal (PF), também na capital paranaense.

Jeso Carneiro/Agência Senado
Doleiro Alberto Youssef foi pivô de boato de envenenamento na eleição

Leia mais: Doleiro Alberto Youssef está lúcido e orientado, diz boletim médico

CPI Mista cancela depoimento de Youssef

Lula pede tranquilidade e sugere que Youssef recebeu para "ferrar alguém"

PF nega boatos e diz que doleiro Youssef passa bem, mas ficará hospitalizado


De acordo com boletim médico do Hospital Santa Cruz, Youssef deixou o local por volta de 8h30. Foi a terceira vez que ele precisou de atendimento médico desde que foi preso pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), em março. Ainda no sábado, a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba negou boatos de que ele tivesse sido envenenado.

Veja galeria de imagens da Operação Lava Jato:

Doleiro Alberto Yousseff segue preso por outras acusações 21 10 2014. Foto: Jeso Carneiro/Agência SenadoPF apreende farta quantia de reais e dólares no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/Polícia FederalPF apreendeu grande quantidade de dinheiro em cofre na cidade de Londrina, no Paraná. Foto: Divulgação/Polícia FederalEntre os crimes investigados estão contrabando de pedras preciosas e desvios de recursos públicos. Foto: DivulgaçãoSão cumpridas também ordens de seqüestro de imóveis de alto padrão, além da apreensão de patrimônio adquirido por meio de práticas criminosas. Foto: DivulgaçãoCarro de luxo apreendido pela PF. Foto: DivulgaçãoEntre os bens apreendidos, foram encontradas obras de arte no Paraná. Foto: Divulgação/PFPosto de combustível no DF onde foram feitas apreensões. Foto: Divulgação/PFOperação Lava Jato da Polícia Federal. Foto: Divulgação

O doleiro é acusado de participar de um esquema de desvio de recursos públicos da Petrobras, pagamento de propina a agentes políticos e lavagem de dinheiro. Segundo a PF, o esquema movimentou mais de R$ 10 bilhões.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas