Justiça italiana nega extradição, e Henrique Pizzolato será solto

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Governo brasileiro vai recorrer da decisão para tentar repatriar condenado no processo do Mensalão

A Justiça da Itália decidiu nesta terça-feira (28) negar pedido do governo brasileiro para extraditar o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado no processo do Mensalão (Ação Penal 470).

A decisão da Corte de Apelações do Tribunal de Bolonha também determina a soltura de Pizzolato, que está detido no presídio Sant’Anna di Modena, em Modena.

A previsão é de que o ex-servidor do Banco do Brasil seja posto em liberdade até esta quarta-feira (29). O condenado no mensalão tem dupla cidadania (brasileira e italiana) e residência fixa em Maranello, na Itália. Ele foi preso na cidade em fevereiro desse ano portando documento falso.

O julgamento do pedido teve início em 5 de junho. O Ministério Público da Itália, após análise de documentos enviados pela justiça brasileira, deu parecer favorável à extradição.

O governo brasileiro já anunciou que vai recorrer da decisão. O ex-diretor do Banco do Brasil do Brasil foi condenado a 12 anos e 7 meses de prisão no Brasil pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro.


Leia tudo sobre: MensalãoAção Penal 470Henrique Pizzolato

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas