PT sonha com Lula, mas mantém fila de cotados para 2018

Por Clarissa Oliveira , iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Visto com um misto de ânimo e desconfiança, ideia de trazer de volta o ex-presidente pode dar lugar à construção de uma nova candidatura petista ao Palácio do Planalto

Quem convive de perto com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva resume em uma frase a ideia de um projeto eleitoral em 2018: “Se me encherem o saco, eu volto”. A declaração, feita por Lula meses atrás, levou muito petista ao delírio. Na época, o que não faltava no partido era gente defendendo que ele disputasse a Presidência da República no lugar de Dilma Rousseff. Os meses se passaram, o ex-presidente empenhou-se pessoalmente em abafar o “Volta, Lula”, deu sustentação à reeleição da sucessora e mandou mais um recado à militância petista: pediu a interlocutores que repetissem para quem quisesse ouvir que é pré-candidato à Presidência na próxima eleição.

A mensagem foi recebida com um misto de entusiasmo e desconfiança no PT. Em tese, ninguém duvida que Lula gostaria de colocar novamente os pés no Palácio do Planalto. “Ele se morde toda vez que ela faz alguma coisa da qual ele discorda”, brinca um ministro que já circulou muito ao lado do ex-presidente, ao falar sobre a “dificuldade” que ele tem de lidar com a “autonomia” cada vez maior demonstrada por Dilma. Mas quem é próximo de Lula sabe uma candidatura não está tão consolidada assim.

Mais: Em campanha mais acirrada da história, Dilma é reeleita presidente da República

Ricardo Stuckert/ Instituto Lula
Lula em Minas Gerais, dias antes do segundo turno de 2014

Em 2018, o ex-presidente contará 73 anos e terá passado oito anos longe da cadeira de presidente. Na prática, sua entrada na disputa só deve de fato se concretizar se o cenário político e a realidade eleitoral do momento forem favoráveis. O próprio Lula repete com frequência aos amigos que não tem a menor intenção de se transformar numa espécie de “Michael Schumacher”. Ou seja, não quer saber de voltar se não tiver a certeza de que será “pole position”.

A ideia de deixar correr solta a notícia da candidatura teve um objetivo claro nos últimos meses: motivar a militância petista a trabalhar pela reeleição de Dilma. A tese difundida no partido era a de que a recondução da presidente seria o caminho mais curto para ter Lula de volta no Planalto num futuro não tão distante. Essa premissa foi repetida à exaustão justamente quando a ex-senadora Marina Silva (PSB) disparava nas pesquisas de opinião, na esteira da comoção provocada pelo acidente aéreo que matou o ex-governador de Pernambuco e então candidato do PSB ao Planalto, Eduardo Campos.

Veja imagens da campanha de Dilma Rousseff pela reeleição

Dilma Rousseff é reeleita presidente da República e comemora em Brasília (26/10). Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIADilma faz primeiro discurso em Brasília depois de vencer as eleições presidenciais (26/10). Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIALula comemora com Dilma a reeleição da presidente (26/10). Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIACumprimento de Dilma e Lula na festa da vitória na petista nas eleições para Presidente (26/10). Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIAAinda bebendo chimarrão, Dilma Rousseff exibe comprovante de votação (26/10). Foto: Felipe Dana/ APDilma Rousseff vota na manhã deste domingo em Porto Alegre por volta de 8h40 da manhã (26/10). Foto: Felipe Dana/APDilma Rousseff, presidente e candidata à reeleição, bebe chimarrão antes de votar na manhã deste domingo em Porto Alegre (26/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma ganha beijo de Tarso Genro, que disputa o segundo turno do governo do Rio Grande do Sul, em colégio eleitoral (26/10). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13Depois da votação, Dilma brinca com o neto Gabriel em Porto Alegre (26/10). Foto: Edison Vara/ReutersAntes de votar, Dilma Rousseff tomou um café da manhã com políticos do PT em Porto Alegre. Tarso Genro, que concorre ao governo do RS, estava presente (26/10). Foto: Fernando Teixeira/Futura PressDilma é abraçada por eleitora que a esperava na casa de Tarso Genro, candidato ao governo do Rio Grande do Sul pelo PT (26/10). Foto: Edison Vara/ReutersDepois de votar em Porto Alegre, Dilma Rousseff embarca em avião da FAB e vai para Brasília, de onde irá acompanhar a apuração (26/10). Foto: Felipe Dana/APDilma encerra a campanha nas eleições 2014 em Porto Alegre (25/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma faz campanha ao lado de Tarso Genro, que concorre ao governo do Rio Grande do Sul, na véspera das eleições (25/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Com uma faixa com os dizeres 'Diga não a violência contra a mulher', Dilma participa de caminhada em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro (22/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Ao lado de Lula, Dilma visita fábrica em Goiana, em Pernambuco (21/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Lula também acompanha Dilma Rousseff em carreata no Recife (21/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Lula e Dilma aparecem lado a lado em adesivo de campanha da presidente e candidata à reeleição pelo PT. Foto: BBCDilma Rousseff manda coraçãozinho para eleitores em comício em Petrolina, em Pernambuco (21/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma recebe apoio de jovens e artistas em evento em Itaquera, zona leste de São Paulo (20/10). Foto: Divulgação/PTAtor Henri Castelli vai a evento de apoio a Dilma Rousseff em São Paulo (20/10). Foto: Divulgação/PTNegra Li também participa de ato de apoio a Dilma em São Paulo (20/10). Foto: Divulgação/PTDeputado federal pelo PSOL, Jean Wyllys é mais no ato de apoio a candidata do PT na capital paulista (20/10). Foto: Divulgação/PTDilma Rousseff tira uma selfie com eleitora em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro (20/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma foi a primeira a fazer perguntas no debate da noite deste domingo na Record (19/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma chega para o debate da Record, o terceiro encontro com Aécio no segundo turno das eleições (19/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma participa de entrevista coletiva em São Paulo neste domingo (19/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Eleitores tentam se aproximar de Dilma em ato de campanha em Curitiba, no Paraná (17/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma cumprimenta eleitores em agenda de campanha em Florianópolis (17/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma participa de ato de apoio aos professores em São Paulo (15/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Presidenciáveis Dilma e Aécio trocam cumprimentos depois do debate (14/10). Foto: APDilma e Aécio durante o primeiro debate do segundo turno das eleições, na Band (14/10) . Foto: ReutersDilma Rousseff (PT) chega a Rede Band para participar do debate presidencial (14/10). Foto: Marcos Bezerra/Futura PressDilma dá entrevista coletiva em São Paulo antes do primeiro debate na TV no segundo turno das eleições (14/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13No dia das crianças, Dilma visita Centro Educacional Unificado (CEU) Jambeiro, em Guaianases, São Paulo, e assiste à apresentação de ginástica (12/11). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Fernando Pimentel, governador eleito em Minas, faz carreata com Dilma Rousseff em Contagem e ataca de fotógrafo (11/10). Foto: Ichiro Guerra/PTEleitores se apertam para chegar perto de 
Dilma Rousseff depois de caminhada e carreata na cidade mineira de Contagem (11/10). Foto: Ichiro Guerra/PTMarcelo Crivella, que concorre ao segundo turno do governo do Rio de Janeiro contra Pezão, faz campanha por Dilma em São João de Meriti (10/10). Foto: Edvaldo Reis/Crivella 10Dilma participa de ato de mobilização com prefeitos e representantes dos movimentos sociais em Alagoas (9/10). Foto: Ichiro Guerra/PTDilma ganha uma rosa de criança manhã de campanha pelo segundo turno das eleições em Salvador (9/10). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13Dilma conversa com garotinha em encontro com apoiadores em Salvador, na Bahia (9/10). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13Dilma tem encontro com apoiadores e partidários no museu do ritmo em Salvador, na Bahia, na manhã desta quinta-feira (9/10). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13Presidente Dilma cumprimenta eleitores em ato político com lideranças e prefeitos em Teresina (PI) (08/10). Foto: Divulgação/PTPresidenciável Dilma Rousseff (PT) e seu vice, Michel Temer (PMDB), se reúnem com governadores e senadores eleitos  (07/10). Foto: Allan Sampaio/iG Brasília Dilma Rousseff, candidata do PT à Presidência, se reúne com governadores e senadores eleitos (07/10). Foto: Allan Sampaio/iG Brasília Um dia depois das eleições, Dilma Rousseff, que disputa o segundo turno com Aécio Neves, recebe jornalistas em Brasília (6/10). Foto: Cadu Gomes/ Dilma 13Dilma chega para coletiva de imprensa depois do resultado do primeiro turno das eleições ao lado de Michel Temmer, vice em sua chapa para a Presidência (5/10). Foto: Agência BrasilPresidente e candidata Dilma Rousseff fala com a imprensa após apuração de votos que a levou para o segundo turno com Aécio Neves (5/10). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma volta para Brasília depois de votar em Porto Alegre (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersDilma, na companhia do neto Gabriel, pega voo para Brasília depois de votar em Porto Alegre (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersDilma Rousseff, presidente e candidata à reeleição pelo PT, vota na manhã deste domingo em Porto Alegre. Ela foi a primeira presidenciável a votar (5/10). Foto: Felipe Dana/APTarso Genro, candidato do governo do Rio Grande do Sul pelo PT, acompanhou Dilma Rousseff na votação (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersV da vitória de Dilma Rousseff na urna em Porto Alegre (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersDilma exibe comprovante de votação (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersDilma acena ao deixar o local de votação em Porto Alegre. A presidente e candidata à reeleição pelo PT passará a tarde e irá acompanhar a apuração em Brasília (5/10). Foto: Felipe Dana/APNo dia da eleição, presidente e candidata à reeleição pelo PT Dilma Rousseff toma café da manhã com políticos em Porto Alegre (5/10). Foto: Fernando Teixeira/Futura PressDilma Rousseff participa de carreata em Porto Alegre no último dia de campanha para o primeiro turno (4/10). Foto: Felipe Dana/APDilma Rousseff faz carreata em São Paulo ao lado de Lula, Suplicy, Fernando Haddad e Alexandre Padilha (3/10). Foto: Ricardo Stuckert/PRPadilha, candidato ao governo de São Paulo pelo PT, acompanha Dilma em manhã de campanha em São José dos Campos (3/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma tira foto ao lado de Marcelo Negrão, medalhista de ouro com o vôlei nas Olimpíadas de Barcelona, em 1992, em encontro com atletas no Rio (30/9). Foto: Ichiro Guerra/PTDilma tem encontro com atletas no Rio de Janeiro (30/9). Foto: Ichiro Guerra/PTDilma faz campanha em Santos e na Baixada (30/9). Foto: Ichiro Guerra/PTDilma Rousseff (PT) faz campanha no bairro paulista do Campo Limpo com Alexandre Padilha, candidato petista ao governo de SP, e com o ex-presidente Lula (29/09). Foto: Divulgação/PTDilma Rousseff recebe apoio de eleitor durante caminhada e carreata em Belo Horizonte (29/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma elegeu Marina como seu alvo principal no debate, mas também atacou Aécio (28/9) . Foto: ReutersAo lado de Agnelo Queiroz, Dilma anda de BRT Expresso em Brasília e conversa com eleitores (27/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma recebe uma flor durante carreata em Feira da Santana, na Bahia (25/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff,  candidata à reeleição  pelo PT, durante dia de campanha em Ribeirão das Neves, em Minas Gerais (22/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff faz campanha em São Paulo ao lado dos petistas Alexandre Padilha, candidato ao governo, e Eduardo Suplicy, candidato ao Senado (20/9). Foto: Paulo Pinto/AnaliticaDilma faz campanha ao lado de Marcelo Crivella, candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PRB, em Duque de Caxias (19/9)
. Foto: Ichiro Guerra/PTDilma posa para fotos durante campanha em Campinas, em São Paulo (17/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma tem dia de campanha em Campinas, interior de São Paulo, com carreata e encontro com intelectuais (17/9). Foto: Ichiro Guerra/PTDilma Rousseff, ao lado de Marina Silva e Aécio Neves, no debate na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, na cidade paulista de Aparecida (16/09). Foto: DIVULGAção/PSBEvento no Rio de Janeiro reúne artistas e intelectuais em apoio a Dilma Rousseff (16/9). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasCantora Alcione cumprimenta Dilma no evento 'artistas de coração valente' (16/9). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasAtor Chico Diaz também apoia a candidatura de Dilma Rousseff à reeleição (16/9). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasTeólogo Leonardo Boff, Dilma, Lula e a economista Maria da Conceição Tavares em ato de apoio à Presidente (16/9). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasDilma faz discurso diante de artistas em evento no Rio de Janeiro (15/9). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasLindberg Farias, candidato do PT ao governo do Rio, também participa de encontro com artistas a favor de Dilma (16/9). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasDilma vai ao lançamento do Livro “Um país chamado favela”, no Rio de Janeiro, e arrisca passos de funk com membros da comunidade (15/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma também acompanhou apresentação de capoeira na comunidade carioca (15/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff posa ao lado de jovens no lançamento do Livro “Um país chamado favela”, no Rio de Janeiro (15/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma tem encontro com juventude em Belo Horizonte, Minas Gerais (13/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff participa de ato Público com Movimentos Negros, em Nova Lima, em Minas Gerais (13/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff sai em carreata em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, ao lado de Lindgerb Farias, candidato ao governo do estado pelo PT (12/9). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasDilma Rousseff (PT) é entrevistada por Tales Faria, publisher e vice-presidente editoral do iG, e Amanda Klein, apresentadora do RedeTV! News (11/09). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma tratou das denúncias sobre um suposto esquema de pagamento de propina na Petrobras. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaPresidente atribuiu à adversária Marina Silva (PSB) problemas no andamento de usinas de Jirau e Santo Antonio . Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaCartazes para Dilma Rousseff são exibidos durante comício em Belém, no Pará (10/9). Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaLula participa de comício de Dilma Rousseff em Belém, no Pará (10/9). Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaDepois do desfile de 7 de setembro, Dilma se reúne com juventude no Palácio da Alvorada (7/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Presidente Dilma Rousseff chega para o início do desfile pelo dia 7 de Setembro no DF (7/9). Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIADilma Rousseff posa para fotos visita o Residencial Cidade Jardim, construído pelo Minha Casa Minha Vida, em Fortaleza (6/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma ganha miniatura de taxi em encontro com taxistas em São Paulo (6/9). Foto: Ichiro Guerra/PTOs candidatos Dilma Rousseff e Alexandre Padilha participam de encontro com mulheres em São Paulo (6/9). Foto: Paulo Pinto/ AnalíticaLula coloca chapéu em Dilma durante comício no Recife (4/9). Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaAo lado do ex-presidente Lula, a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) participou de carreata em São Bernardo do Campo, em São Paulo (02/09). Foto: Divulgação/PTAmbos com o chapéu do Corinthians, Dilma e Lula fazem carreata em São Bernardo do Campo, nesta terça-feira (02). Foto: Divulgação/PTDilma Rousseff participa de encontro com prefeitos paulistas em Jales, no interior de São Paulo (30/8). Foto: Ichiro Guerra/PTDilma Rousseff visita a Casa de Cultura do Pelourinho, em Salvador, e se arrisca ao lado de ritmistas (29/8). Foto: Ichiro Guerra/PTCandidata do PT à reeleição para a Presidência da república, Dilma Rousseff, visita a escola Senai Simatec, em Salvador (29/8). Foto: Ichiro Guerra/PTDilma Rousseff participa de encontro com trabalhadores da agricultura, em Brasília, nesta quinta-feira (28). Foto: Divulgação/PTDilma Rousseff chega para debate TV Band, o primeiro dos presidenciáveis nestas eleições (22/08). Foto: Marcos Bezerra/Futura PressAo lado de Aécio Neves, Dilma cumprimenta Marina Silva no debate da TV Band (26/8). Foto: Marcos Bezerra/Futura PressCandidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff visita vistoria obras da transposição do Rio São Francisco com ex-presidente Lula (21/08). Foto: Divulgação/PTDilma faz uma refeição durante visita à Usina Hidroelétrica Santo Antônio, em Porto Velho (19/8). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13No Palácio da Alvorada,  Dilma Rousseff é entrevistada por Willian Bonner e Patrícia Poeta para o Jornal Nacional (18/08). Foto:  Globo/ Gabriel SoutoPresidente Dilma Roussef, Lula e outros políticos vão ao velório de Eduardo Campos e vítimas de acidente aéreo (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersDilma Rousseff cumprimenta Marina Silva, que era candidata à vice na chapa de Eduardo Campos (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersDilma Rousseff cumprimenta o presidenciável pelo PSDB Aécio Neves no velório de Eduardo Campos e vítimas do acidente aéreo (17/8). Foto: Paulo Whitaker/ReutersPresidente Dilma Rousseff conforta filhos de Eduardo Campos durante velório na manhã deste domingo na sede do governo de Pernambuco (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersDilma Rousseff faz pronunciamento sobre a morte de Eduardo Campos em Brasília, nesta quarta-feira (13). Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom /Agência Brasil)Presidente e candidata à releição Dilma Rousseff visita trecho da Ferrovia Norte-Sul, na cidade goiana de Anápolis (11/08). Foto: Divulgação/PTDilma e Padilha, candidato ao governo de São Paulo, fazem encontro com juventude na capital paulista (11/8). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Presidente Dilma Rousseff durante entrevista para RBS (11/8). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff conversa com jornalistas em Brasília no Palácio da Alvorada (10/8). Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIADilma faz carreata ao lado de Padilha, candidato ao governo de São Paulo, pelas ruas de Osasco e aproveita para comer um cachorro-quente (9/8). Foto: Ichiro Guerra/PTComitiva do PT em carreata por Osasco. Na foto aparecem Dilma, Padilha, Marta e Eduardo Suplicy (9/8). Foto: Paulo Pinto/AnaliticaDilma visita ferrovia em Iturama, Minas Gerais (8/8). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff participa de ato de sindicalistas em apoio a sua candidatura, em São Paulo (7/8). Foto: Futura PressDilma durante ato com sindicalistas da CUT, UGT, CTB, NCST, CSB e Força Sindical (7/8). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff participa de encontro e sabatina da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (6/8). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma Rousseff visita sas obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira (PA)em semana se campanha (5/8). Foto: Ichiro Guerra/Fotos PúblicasDilma almoça na Usina de Belo Monte (5/8). Foto: Ichiro Guerra/Fotos PúblicasEm campanha pela reeleição à Presidência, Dilma visita obra em Belo Monte e posa para fotos e as tradicionais selfies com operários (5/8). Foto: Ichiro Guerra/Fotos PúblicasPresidente Dilma Rousseff é vista durante visita à Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Jardim Jacy, em Guarulhos (4/8). Foto: Ichiro Guerra/PTPerfil de Dilma Rousseff no Instagram. Foto: Instagram/dilmarousseffDilma Rousseff usa suas contas em outras redes sociais, como o Facebook, para anunciar a entrada no Instragram (4/8). Foto: Facebook/Dilma RousseffAo lado de Lula, Dilma participa do lançamento da campanha de Josué Alencar, candidato ao Senado Federal pelo PT (1/8). Foto: Ichiro Guerra/PTPose para foto ao lado de eleitores no lançamento da campanha de Josué Alencar ao Senado. Foto: Ichiro Guerra/ PTCom candidato do PT em São Paulo, Alexandre Padilha (D), presidente Dilma Rousseff, participa da 14ª Plenária da CUT, em Guarulhos (31/7). Foto: Futura PressA presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, participa da 14ª Plenária Nacional da Central Única dos Trabalhadores (31/7). Foto: Futura PressPresidente Dilma Rousseff é vista em palco durante evento da CUT em Guarulhos (31/7). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGPresidente Dilma Rousseff sorri durante encontro com empresários promovido pela CNI em Brasília (30/7). Foto: Ichiro Guerra/PTPresidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, participa de encontro com empresários na CNI (30/7)
. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma tem encontro com prefeitos em churrascaria em São João de Miriti, no Rio de Janeiro (24/7). Foto: Ichiro Guerra/PTDilma presta homenagem a Neymar, que sofreu uma fratura na 3ª vértebra lombar e acabou fora da Copa do Mundo (7/7). Foto: Reprodução/InstagramAo lado de Lula, Dilma participa da convenção estadual do PT no Paraná. Evento lança a candidatura de Gleisi Hoffmann no Estado (3/7). Foto: Heinrich Aikawa/Instituto LulaDilma Rousseff discursa na convenção estadual do PT do Paraná, em Curitiba (3/7). Foto: Heinrich Aikawa / Instituto LulaPresidente e candidata à reeleição participa também da convenção estadual do PT da Bahia (27/6). Foto: Heinrich Aikawa/Instituto LulaDilma cumprimenta baiana em convenção do PT em Salvador (27/6). Foto: Heinrich Aikawa/Instituto LulaDilma e Lula participam do lançamento da candidatura de Rui Costa (esquerda) ao governo da Bahia (27/6). Foto: Heinrich Aikawa/Instituto LulaJorge Wagner, atual governador da Bahia, também sobe ao palanque ao lado de Rui Costa, Lula e Dilma (27/6). Foto: Heinrich Aikawa/Instituto LulaPROS (Partido Republicano da Ordem Social) anuncia apoio à candidatura a reeleição de Dilma (24/6). Foto: Alan Sampaio / iG Brasília94,5% dos filiados do partido decidem apoiar a reeleição de Dilma (24/6). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma Rousseff discursa na convenção nacional do PROS (24/6). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaPT realiza convenção que homologa a candidatura de Dilma à reeleição em Brasília (21/6). Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaEx-presidente Lula participa da convenção do Partido dos Trabalhadores em Brasília (21/6). Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaMichel Temer, candidato a vice na chapa de Dilma, também marca presença na convenção ao lado da presidente e de Lula (21/6). Foto: Cadu Gomes/DivulgaçãoFesta na convenção do PT que oficializou Dilma como candidata a reeleição para Presidência (21/6). Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaLula faz questão de afirmar que não há divergências entre ele e a candidata. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaDilma Rousseff posa para fotos na convenção nacional do PT que oficializa a sua candidatura à reeleição (21/6). Foto: Cadu Gomes/Divulgação

Agora com Dilma reeleita, o motivo para colocar Lula como candidato é outro, de acordo com líderes da legenda: conter a disputa interna entre possíveis interessados na vaga e criar as condições para que a indicação de um sucessor se dê no momento certo. “Por tudo o que ele já fez, é uma segurança ter no Lula esse fator de continuidade. Mas é também um elemento de estabilidade, garantindo que não haja uma disputa dentro do próprio governo entre os demais cotados. E aí, no momento devido, o PT vai se sentar e discutir a sucessão da presidente Dilma Rousseff”, diz o presidente nacional do partido, Rui Falcão, que coordenou a campanha presidencial petista.

Um exemplo do que o PT tenta evitar é a briga que se formou lá atrás entre o então ministro da Casa Civil, José Dirceu, e o titular da Fazenda na época, Antonio Palocci. Muito antes de se verem envolvidos em escândalos de corrupção, os dois encabeçavam a lista de potenciais sucessores de Lula. Dirceu acabou abatido pelo escândalo do mensalão, enquanto Palocci deixou o cargo em meio ao episódio da quebra de sigilo do caseiro Francenildo Santos Costa. Palocci virou chefe da Casa Civil no governo Dilma, mas caiu mais uma vez, em meio a suspeitas de enriquecimento ilícito.

Com as alternativas óbvias fora do cenário, restou a Lula a opção de construir uma nova candidatura presidencial para sucedê-lo em 2010. Mas o PT custa a acreditar que Dilma e Lula tenham condições de repetir o feito que levou a então ministra da Casa Civil ao Palácio do Planalto, sem nunca ter disputado uma eleição sequer. Na época, Lula era presidente e ostentava um recorde de popularidade ao fim de seu segundo mandato. Sem contar que, nos próximos anos, o que se espera no PT é um aumento da pressão na base aliada e uma tensão maior na esfera econômica.

Vitrine

Com a disputa interna sob controle, a ideia é alocar os potenciais candidatos do PT à Presidência no primeiro escalão deste segundo governo. Ministérios considerados estratégicos devem ser transformados em vitrines de projetos que possam embalar os discursos de campanha no futuro.

Um que aparece com frequência na lista de potenciais candidatos é Aloizio Mercadante. O chefe da Casa Civil, que já sonhou com o Ministério da Fazenda, hoje sinaliza aos mais próximos que prefere mesmo é ficar onde está. Nas palavras de um interlocutor, “vitrine melhor do que esta não há”. Afinal, diz o aliado, é ali que fica concentrada a execução de todos os maiores projetos do governo. Sem contar que a Casa Civil o coloca na condição de braço direito da presidente, explica o aliado.

Mercadante, entretanto, já enfrentou e ainda enfrenta muita resistência dentro do PT. Perto dele, há quem diga que o perfil do ministro nunca agradou muito ao próprio Lula quando o assunto é sucessão presidencial. Afinal, sua relação com o ex-presidente vem de longa data. Ainda assim, Lula optou por lançar Dilma como sucessora em 2010. Mas, desta vez, joga a seu favor a relação construída com a presidente nos últimos anos. Aos poucos, Mercadante foi subindo degraus na Esplanada, até se tornar um dos homens da confiança de Dilma. E petistas concordam que ela terá voz na escolha de seu sucessor.

Mas a presidente também tem outros fiéis escudeiros na lista. Um deles é o governador da Bahia, Jaques Wagner, que encerra neste ano seu segundo mandato e é tido como nome certo na Esplanada em 2015. Parte do PT afirma que, justamente por se tratar de uma aposta para 2018, Wagner tende a ser alocado numa pasta importante, com expressão política e econômica.

A lista de opções inclui pelo menos um nome do chamado “novo PT”: o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Mesmo enfrentando a resistência de vários setores do partido e abalado pela avaliação ruim que marcou o início de sua gestão, ele continua sendo visto como uma aposta pessoal de Lula. O destino de Haddad, segundo líderes petistas, dependerá muito da evolução da administração municipal. Se for mantida a tendência de recuperação da imagem do governo e se o prefeito se reeleger com bom desempenho, seu nome automaticamente sobe na lista de cotados ao Planalto.

Embora não demonstrem hoje a mesma força na disputa interna do PT, alguns nomes cogitados no passado como possíveis candidatos à Presidência podem voltar a ocupar um lugar na lista. É o caso de Tarso Genro, governador do Rio Grande do Sul, que saiu derrotado das urnas neste domingo. Hoje, entretanto, líderes petistas dizem ter dúvidas sobre a capacidade do ex-ministro e ex-presidente do PT de se fortalecer internamente a ponto de disputar a indicação.

Alternância

O PT torce o nariz para a ideia, mas deve ser cobrado nos próximos anos pelo apoio que recebeu de outros partidos para eleger Lula e Dilma. O ex-presidente sempre alimentou – ao menos da porta para fora – o discurso de que seu partido deveria abrir a cabeça de chapa para um partido aliado no futuro, aceitando o posto de vice. Esse foi, por exemplo, o tom que embalou muitas das conversas entre o ex-presidente e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morto num acidente aéreo durante a corrida presidencial deste ano. Campos não comprou a ideia e optou por deixar a base e lançar a candidatura própria.

Detentor do título de aliado preferencial, o PMDB já começou a cobrar essa fatura. Embora líderes do partido reconheçam que se trata muito mais de pressionar o atual governo do que de desenhar de fato uma candidatura própria, até o vice-presidente Michel Temer dá a linha que deve pautar o discurso peemedebista nos próximos anos. Em entrevista ao iG, o vice-presidente mandou o recado. Disse que o PMDB vai sim trabalhar para lançar um nome na corrida presidencial. E não descarta convidar o PT para ocupar o posto de número dois na chapa.

Leia tudo sobre: eleições 2014ptdilma rousseff

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas