Votação é tranquila no maior colégio eleitoral de São Paulo

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Mais de 21 mil eleitores votam em faculdade na zone oeste da cidade, e muitos chegaram cedo para evitar as filas. "Agora vou para casa dormir", diz auxiliar de serviços

Agência Brasil

Uma longa fila de eleitores formou-se em frente à Faculdade Anhanguera/Uniban, maior colégio eleitoral da capital paulista, antes mesmo da abertura dos portões para a votação no segundo turno. Nesta zona eleitoral, localizada no bairro do Campo Limpo, região oeste, votam 21.545 eleitores. Os paulistas registram na urna agora apenas o voto para presidente, pois o governador Geraldo Alckmin foi reeleito com 57,31% dos votos válidos no primeiro turno.

Leia mais: Relembre os 28 momentos mais importantes das eleições deste ano

A auxiliar de serviços gerais Rita Alves Santos, 45 anos, saiu do trabalho às 6h e preferiu encarar logo o compromisso cidadão. "Estou um pouco decepcionada com a política. Se pudesse, nem votaria, mas achei melhor largar o serviço e vir direto aqui", declarou. Ela conta que foram necessários apenas alguns segundos para registrar o voto na urna. "Dever cumprido. Agora vou para casa dormir", disse.

Brasil vai às urnas. Veja fotos deste domingo de eleições:

Soldado reforça a segurança em colégio eleitoral na Favela da Maré, no Rio de Janeiro, no segundo turno das eleições. Foto: Leo Correa/APEleitor usa camisa do Flamengo na votação do segundo turno das eleições no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Foto: Leo Correa/APFila de eleitores logo pela manhã deste domingo na Favela da Maré, no Rio de Janeiro. Foto: Leo Correa/APFila de eleitores também na Rocinha, no Rio de Janeiro. Foto: Pilar Olivares/ReutersSantinhos são espalhados pelo chão da favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. Os eleitores cariocas votam para presidente e para governador neste segundo turno . Foto: Pilar Olivares/Reuters

Primeiro na fila, o vigilante Graciano Sérgio, 60 anos, ainda não sabe que horas terá que trabalhar hoje, por isso chegou ao local às 6h10. "Acompanhei os debates e acho que as áreas mais críticas são segurança, saúde e educação", avaliou.

Logo atrás dele, estava a dona de casa Lourdes Coelho, 73 anos. Embora não tenha mais obrigação de votar, ela faz questão de comparecer às urnas. "A gente está viva, é cidadã brasileira, acho que tenho que vir, sim."

Fique por dentro de tudo das eleições 2014

O casal Luís Carlos Espíndola, 62 anos, e Eliete Gonçalves, 47 anos, saiu cedo de casa para evitar as longas filas que encontraram no primeiro turno. "Aqui é muita gente votando. Melhor vir cedo e não perder o dia todo aqui", disse.

Ele, que é administrador de empresas, avalia que o próximo presidente vai encontrar mais dificuldades para governar o país. "Independentemente de quem assuma, devemos ter um crescimento ainda menor", observou.

A cidade de São Paulo tem 8.782.406 eleitores espalhados por 58 zonas eleitorais, de acordo com o Tribunal Regional Eleitoral. O estado paulista tem 31.998.432 eleitores aptos a votar nas eleições deste ano, o que equivale a 22,4% do eleitorado brasileiro.

Leia tudo sobre: eleições 2014são paulo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas