Número de legendas com representação na Câmara dos Deputados subiu de 22 para 28 nesta eleição, de acordo com o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar

Gabriel Chalita, um dos deputados mais bem votados de São Paulo, vota em Higienópolis, bairro da zona oeste
Vitor Sorano/iG
Gabriel Chalita, um dos deputados mais bem votados de São Paulo, vota em Higienópolis, bairro da zona oeste

Um dos deputados federais eleitos por São Paulo com maior votação, Gabriel Chalita (PMDB) prevê dificuldades na relação do novo governo com o Congresso. 

LEIA MAIS: Disputa acirrada deixará oposição ferrenha ao próximo presidente, diz analista

"Independentemente de quem for eleito, vai ser difícil governar com um Congresso com tantos partidos. Há poucos países no mundo que têm essa experiência. Imagina você se reunir com as lideranças de tantos partidos para discutir isso", disse logo após votar, na manhã deste domingo (26), no Colégio Sion, em Higienópolis, bairro nobre de São Paulo.

O número de legendas com representação na Câmara dos Deputados subiu de 22 para 28 nesta eleição, de acordo com o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap).

Para Chalita, além da fragmentação do Congresso, o elevado número de legendas impõe dificuldades aos eleitores. "Para o eleitor fica muito confuso para imaginar a ideologia de todos esses partidos."

O parlamentar avaliou positivamente a reta final da eleição. "Teve um pouco essa agressão dos dois lados. PT e PSDB sempre disputam com muita intensidade, PSDB ganhando em alguns estados e o PT em outros. Houve muita agressão, sem dúvida, mas no final muitas propostas apareceram", disse Chalita.

FOTOS: Veja imagens de políticos no segundo turno das Eleições 2014:



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.