Após votar no Acre, candidata do PSB, que apoia Aécio Neves no 2° turno, reafirmou seu apoio, criticou Dilma e comentou a reportagem da revista "Veja" sobre o escândalo da Petrobrás

Marina Silva, que concorreu à Presidência pelo PSB e agora apoia Aécio Neves no segundo turno, vota em Rio Branco, no Acre
Facebook/Marina Silva
Marina Silva, que concorreu à Presidência pelo PSB e agora apoia Aécio Neves no segundo turno, vota em Rio Branco, no Acre

Derrotada no primeiro turno das eleições presidenciais, a candidata do PSB, Marina Silva , concedeu entrevista na tarde deste domingo, após votar no Acre, e falou sobre o seu futuro na política, dizendo que "perdeu ganhando".

Fique por dentro das eleições 2014

"Agora eu volto para a minha militância sócio-ambiental de cabeça erguida. Nessas eleições, além da maravilhosa votação que o Acre me deu, o Brasil me deu 22 milhões de votos, saímos maiores do que em 2010. Mais uma vez, não foi possível ganhar ganhando, mas perdemos ganhando, mantivemos os princípios, não mentimos, não desconstruímos ninguém, não fizemos campanha do ódio. Fui atacada, desconstruída durante a campanha, mas o povo brasileiro mostrou, com 22 milhões de votos, que ele acredita em um projeto político que une o Brasil."

Leia mais: Minha primeira grande tarefa, se eleito for, será unificar o país

"Sou uma pessoa que, assim que termina a eleição, eu volto para as minhas causas, eu não fico na cadeira cativa de candidata. Política para mim é o ideal, faço política lutando para que o mundo seja melhor, que o Brasil seja melhor", completou Marina.

Leia ainda:  Lula pede tranquilidade e sugere que Youssef recebeu para "ferrar alguém"

Além de reafirmar o apoio a Aécio Neves , candidato do PSDB, Marina atacou a presidente Dilma Rousseff . "No governo da Presidente Dilma, o desmatamento voltou a crescer, ele criou pouquíssimas terras indígenas e unidades de conservação, não há infraestrutura para escoamento de produção. O Brasil quer ganhar produção por ganho de produtividade, não por expansão predatória da fronteira agrícola."

Denúncias da revista "Veja"

Questionada sobre a reportagem da revista "Veja" , que afirma que Lula e Dilma tinham conhecimento do esquema de irregularidades na Petrobrás, Marina evitou entrar no assunto. "Sou favorável à liberdade de expressão. Qualquer denúncia de corrupção deve ser investigada pela Justiça, e a Justiça que dê seu veredicto."

Políticos votam neste domingo. Veja fotos na galeria:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.