Quase 80 mil eleitores optaram pelo voto em trânsito

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais foram os estados mais procurados pelos eleitores que votam fora de seu Estado

Agência Brasil

Crianças acompanham o pai e fogem das votos em local de votação em Belo Horizonte. Foto: Andre Penner/APEm clima de Fla x Flu, eleitores fazem campanha na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Foto: Nina Ramos/iGEm clima de Fla x Flu, eleitores fazem campanha na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Foto: Nina Ramos/iGHomem passa por rua repleta de santinhos em Fortaleza, no Ceará. Camilo (PT) e Eunício (PMDB) disputam o segundo turno para o governo estadual. Foto: Marcelo Camargo/ABr Por conta das eleições, praias cariocas ficaram vazias neste domingo. Foto: Nina Ramos/iG RioMulher carrega bandeira para Dilma Rousseff pelas ruas do Rio de Janeiro neste domingo de votação . Foto: Pilar Olivares/ReutersMulher faz festa depois de votar em escola na Ceilândia, em Brasília. Foto: Eraldo Peres/APSoldado reforça a segurança em colégio eleitoral na Favela da Maré, no Rio de Janeiro, no segundo turno das eleições. Foto: Leo Correa/APExército também vai às ruas em Fortaleza. No Ceará, além da votação para presidente, há disputa de 2º turno entre Camilo (PT) e Eunício (PMDB) para o governo . Foto: Marcelo Camargo/ABr Eleitora procura sua seção em colégio eleitoral no Complexo da Maré, zona norte do Rio de Janeiro. Foto: Tomaz Silva / Agência BrasilMulher anota números de candidatos na mão de outra em colégio eleitoral na Rocinha, no Rio de Janeiro. Foto: Silvia Izquierdo/APEleitora deficiente visual leva seu cão-guia para seção de votação neste domingo em Belo Horizonte, Minas Gerais. Foto: Sergio Moraes/ReutersEleitor Gabriel Takemoto, 24 anos, vota com camiseta de Sergio K em apoio a Aecio Neves nesta manhã em São Paulo. Foto: Vitor Sorano/iGEleitor exibe seu título no Colégio Otoniel Motta, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Foto: Piton/Futura PressIdosa vota na manhã deste domingo em faculdade em São Paulo. Foto: Leonardo Benassatto/Futura PressAglomeração no maior colégio eleitoral de Natal no momento da abertura das urnas neste domingo, segundo turno das eleições no Brasil. Foto: Agência BrasilHomem leva criança para votação na Rocinha, no Rio de Janeiro. Foto: Silvia Izquierdo/APEleitor usa camisa do Flamengo na votação do segundo turno das eleições no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Foto: Leo Correa/APFila de eleitores logo pela manhã deste domingo na Favela da Maré, no Rio de Janeiro. Foto: Leo Correa/APFila de eleitores também na Rocinha, no Rio de Janeiro. Foto: Pilar Olivares/ReutersSantinhos são espalhados pelo chão da favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. Os eleitores cariocas votam para presidente e para governador neste segundo turno . Foto: Pilar Olivares/Reuters


A distância do domicílio eleitoral não impediu que milhares de eleitores fossem às urnas para escolher o próximo presidente do Brasil. De acordo com Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nestas eleições, quase 80 mil eleitores solicitaram o direito de votar em trânsito. Neste domingo, aqueles que se habilitaram para votar fora do estado de origem também voltaram às urnas.

A jornalista Caroline Ferraz elogiou a possibilidade de votar em trânsito. Paulistana radicada em Brasília há seis anos, disse que soube da possibilidade de votar mesmo estando fora do domicílio eleitoral pelo rádio. “Perdi o prazo para transferir meu título e ouvi no rádio que havia possibilidade do voto em trânsito. No primeiro turno, tive que viajar a trabalho e acabei tendo que justificar. Mas agora consegui [estar em Brasília] e decidi participar. Acho uma ótima iniciativa”, disse.

“Como Brasília é uma cidade que tem muitas pessoas de outros estados, a possibilidade do voto em trânsito permite que quem realmente quer votar vote”, acrescentou.

A estudante Gerssiany Nayara Calavtance, cujo título eleitoral é do Piauí, não abre mão do direito de votar. "Moro em Brasília há quatro anos, mas não mudei meu domicílio porque eu e minha família votamos lá, de vez em quando. Além disso, as eleições são uma oportunidade de rever a família. Também estamos decidindo ainda se ficaremos definitivamente aqui”, explicou Gerssiany.

A dona de casa Divina de Fátima Santos Borges também optou pelo voto em trânsito. “Tenho que exercer o meu direito”. Ela contou à Agência Brasil que tem “dupla cidadania”, já que mora parte do ano em Brasília e parte do ano em Rondônia. “Lá [nas últimas eleições] votei para prefeito e vereador. Aqui voto para escolher o futuro presidente.”

No Distrito Federal, 5.449 eleitores de outros estados se habilitaram para votar em trânsito, segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). No primeiro turno, 90% deles votaram em uma das 15 urnas reservadas para esse tipo de voto.

Segundo o TSE, em 91 cidades foram montadas seções para voto em trânsito, mas o eleitor que opta por essa modalidade só pode votar para presidente. Maior colégio eleitoral do país, São Paulo foi o estado que registrou mais pedidos de eleitores interessados em votar fora do domicílio eleitoral. No segundo turno, serão 17.591 eleitores que votarão em trânsito.

Ainda de acordo com o TSE, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais foram os estados mais procurados pelos eleitores que votam fora de seu Estado. Em São Paulo, houve 23.393 pedidos de eleitores no segundo turno. Nestas eleições, o voto em trânsito ocorreu pela primeira vez em cidades que não eram capitais. O critério adotado foi o município ter mais de 200 mil eleitores, sendo que a seção destinada à recepção do voto deverá conter no mínimo 50 e no máximo 600 eleitores.

Leia tudo sobre: EleiçõesEleições2014

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas