Vice-presidente comenta a capa da revista 'Veja' sobre desvio público da Petrobras para caixa dois de campanha: "A revista tem um público que naturalmente não é o eleitor de Dilma"

O vice-presidente Michel Temer (PMDB) disse na manhã deste domingo (26) que a publicação da revista "Veja", que liga a presidente Dilma Rousseff (PT) e seu antecessor Luiz Inácio Lula da Silva ao esquema de desvio público da Petrobras para um caixa dois de campanha, não deve influenciar no resultado destas eleições.

Michel Temer, candidato a vice na chapa de Dilma Rousseff, vota logo pela manhã em São Paulo
Ana Flávia Oliveira/iG São Paulo
Michel Temer, candidato a vice na chapa de Dilma Rousseff, vota logo pela manhã em São Paulo

"Eu não creio (que vá influenciar). A "Veja" tem um público que naturalmente não é o eleitor da Dilma", disse Temer. Na última sexta-feira (24), a publicação antecipada da revista trouxe um depoimento do doleiro Alberto Youssef à policia federal, em que ele teria ligado Dilma e Lula aos esquemas de corrupção da Petrobras.

Temer falou com os jornalistas ao chegar na Pontifícia Universidade Católica (PUC), em Perdizes, zona oeste de São Paulo, onde vota. O vice-presidente esteve no local por volta das 8h e demorou cerca de cinco minutos para votar.

Sobre o resultado das eleições, Temer falou que neste momento, apesar das boas expectativas apontadas pelas pesquisas, "só é possível ter esperança".

"A expectativa é positiva. O percentual favorece a nossa candidatura. Vamos esperar até o fim do dia para ver o que acontece. Hoje não adianta mais ter expectativa, só esperança e nada mais", completou o vice, que vai acompanhar a apuração dos votos ao lado de Dilma, em Brasília.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.