Eleitores se aglomeram para entrar no maior local de votação de Natal

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Como o estado não aderiu ao horário de verão, a votação começou uma hora mais tarde

Agência Brasil

Vitor Abdala/Agência Brasil
Abertura do maior local de votação do Rio Grande do Norte, a Universidade Potiguar, em Natal

Dezenas de eleitores se aglomeraram antes da abertura do portão da Universidade Potiguar, no bairro do Capim Macio, em Natal, no maior local de votação do Rio Grande do Norte, com 21 urnas e cerca de 9,6 mil eleitores. Como o estado não aderiu ao horário de verão, a votação começou uma hora mais tarde.

Leia mais: Aécio é mudança como Obama, diz jovem com camiseta "Uai, we can"

A comerciária Camila Oliveira, de 22 anos, chegou antes das 7h ao local de votação, para conseguir entrar no trabalho às 9h. “Tive que chegar cedo para garantir que ia conseguir chegar no trabalho, mas é muito cansativo”, conta a jovem que, no primeiro turno, estava de folga do trabalho e não precisou votar cedo.

MAIS: Filas, santinhos e segurança reforçada. Veja o clima da votação do 2º turno

Homem passa por rua repleta de santinhos em Fortaleza, no Ceará. Camilo (PT) e Eunício (PMDB) disputam o segundo turno para o governo estadual. Foto: Marcelo Camargo/ABr Soldado reforça a segurança em colégio eleitoral na Favela da Maré, no Rio de Janeiro, no segundo turno das eleições. Foto: Leo Correa/APExército também vai às ruas em Fortaleza. No Ceará, além da votação para presidente, há disputa de 2º turno entre Camilo (PT) e Eunício (PMDB) para o governo . Foto: Marcelo Camargo/ABr Eleitora procura sua seção em colégio eleitoral no Complexo da Maré, zona norte do Rio de Janeiro. Foto: Tomaz Silva / Agência BrasilEleitora deficiente visual leva seu cão-guia para seção de votação neste domingo em Belo Horizonte, Minas Gerais. Foto: Sergio Moraes/ReutersEleitor Gabriel Takemoto, 24 anos, vota com camiseta de Sergio K em apoio a Aecio Neves nesta manhã em São Paulo. Foto: Vitor Sorano/iGEleitor exibe seu título no Colégio Otoniel Motta, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Foto: Piton/Futura PressIdosa vota na manhã deste domingo em faculdade em São Paulo. Foto: Leonardo Benassatto/Futura PressEleitor usa camisa do Flamengo na votação do segundo turno das eleições no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Foto: Leo Correa/APFila de eleitores logo pela manhã deste domingo na Favela da Maré, no Rio de Janeiro. Foto: Leo Correa/APFila de eleitores também na Rocinha, no Rio de Janeiro. Foto: Pilar Olivares/ReutersSantinhos são espalhados pelo chão da favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. Os eleitores cariocas votam para presidente e para governador neste segundo turno . Foto: Pilar Olivares/Reuters

Já o aposentado Ivan da Silva, de 54 anos, chegou às 6h40 achando que a votação começaria no horário de Brasília, ou seja, às 7h em Natal. “Cheguei cedo para me ver livre logo. Acho que o voto não deveria ser obrigatório. Estou aqui em vez de estar na praia”, disse o eleitor.

No entanto, a tentativa desses eleitores de chegar cedo para serem os primeiros a votar não deu certo. Pouco antes das 8h, várias pessoas chegaram e se posicionar em frente ao portão, sem respeitar a ordem de chegada. Por isso, quando o local foi aberto, as pessoas se espremeram para passar pela porta de correr de vidro.

Segundo o coordenador do local de votação, Adriano Bezerra Gomes, o tumulto foi só na hora de entrar: “como são 21 seções eleitorais, essas pessoas se dispersam e não há grandes filas. Aqui costuma ser tranquilo ao longo do dia, porque o local é espaçoso, todas as salas têm ar condicionado”, afirma Gomes, que coordena o local desde as eleições de 2008.

Pela cidade de Natal, há pouca sujeira nas ruas. Apenas poucos panfletos podem ser vistos em algumas calçadas. A reportagem tampouco presenciou boca de urna ou pessoas com bandeiras de candidatos no início de manhã.

A votação no Rio Grande do Norte termina uma hora depois de Brasília. Meia hora depois (às 18h30 no horário de Brasília), o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) deve começar a divulgar os resultados parciais da disputa para o governo do estado.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas