Conforme boletim parcial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), maior quantidade de urnas defeituosas e de prisões está no Rio de Janeiro


Um total de 281 pessoas já haviam sido pressas e 2.823 urnas tinham sido substituídas conforme a parcial de ocorrências divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na tarde deste domingo.

Pelos dados do TSE, atualizados às 16h25, o Rio de Janeiro registrou o maior número de substituições de urna: 387. São Paulo havia registrado 335 substituições e Rio Grande do Sul, 257.

Em Roraima, ocorreram apenas nove substituições e no Acre, dez. O volume de urnas substituídas até o momento é 75% superior à quantidade de substituição de urnas em todo o segundo turno de 2010. Nas últimas eleições gerais, o TSE substituiu 1.609 urnas em todo o Brasil.

Ainda pelos dados do TSE, 281 pessoas foram detidas até o momento, 80 delas apenas no Rio de Janeiro. Em Minas Gerais, houve 29 prisões e no Rio Grande do Norte, 25. Em seis Estados, não foram registradas prisões de eleitores: Sergipe, Roraima, Rondônia, Espírito Santo, Amapá e Alagoas.

Das 281 prisões registradas em todo o Brasil, 152 foram por prática de boca de urna, 39 por divulgação irregular de propaganda e apenas uma por tentativa de compra de votos. Esse caso ocorreu no Ceará. O quantitativo de prisões parcial é menor que o registrado nas eleições de 2010, quando, na época, 306 pessoas foram presas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.