Afilhado de Cid Gomes, petista Camilo Santana é favorito no Ceará

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Última pesquisa Ibope divulgada sábado mostra petista com 52% das intenções de voto; Eunício Oliveira (PMDB) tem 48%

Com ajuda preciosa do governador licenciado Cid Gomes (PROS), o petista Camilo Santana assumiu a dianteira nos últimos dias nas pesquisas de intenção de voto deve ser eleito o novo governador do Ceará neste domingo (26).

Montagem/iG
Camilo (esq) tem o apoio do atual governador Cid Gomes; Eunício liderou boa parte do primeiro turno

De acordo com o último levantamento Ibope, divulgado neste sábado (25), o petista tem 52% das intenções de voto e o senador Eunício Oliveira (PMDB) tem 48%.

Leia também: Próximo governador do Ceará administrará economia em ascensão e PIB de R$ 105 bi

Processo de R$ 116 milhões, por improbidade, fica parado na Justiça do Ceará 

O apoio de Gomes, que se licenciou do cargo no último dia 22 para cuidar da campanha de Camilo, foi fundamental. Cid Gomes é governador desde 2007 e seu irmão, Ciro Gomes, governou o Estado entre 1991 e 1994.

O peemedebista liderou toda a corrida e era apontado para ganhar a eleição já no primeiro turno. Mas foi ultrapassado pelo petista na reta final, que terminou o primeiro turno com 47,81% dos votos, contra 46,41% do seu adversário. As primeiras pesquisas do segundo turno já colocavam o petista à frente, mas com uma pequena margem de diferença, com 53% para Camilo, contra 47% de Camilo. Os levantamentos seguintes apontavam empate técnico com 51% para o petista e 49% para o peemedebista.

Com trajetórias bem distintas, os dois candidatos disputam voto a voto o apoio do eleitor. Camilo começou sua carreira política em 2007 e exerceu poucos cargos políticos. Afilhado de Cid Gomes, ele começou como secretário Estadual do Desenvolvimento Agrário, em 2007. Três anos depois, foi eleito deputado estadual e, no ano seguinte, assumiu o cargo de secretário Estadual das Cidades.

Seu adversário tem muito mais bagagem. Começou como líder estudantil e se filiou ao PMDB em 1981. Pelo partido, exerceu o cargo de deputado federal por dois mandatos. Também foi nomeado ministro das Comunicações do governo Lula, entre 2004 e 2005. Em 2010, foi eleito senador e é líder do PMDB na Casa.

Assim como seu adversário, Eunício já foi aliado da família Gomes. Eles trabalharam juntos para eleger o candidato à Prefeitura de Fortaleza em 2012, mas romperam após o peemedebista lançar candidatura própria ao governo estadual.

PM

Neste segundo turno, a Polícia Militar tem se tornado centro das principais disputas entre os dois grupos. O governador Cid Gomes chegou a chamar de “milícia” um grupo de PMs, que de acordo com ele tem usado a corporação para “fins politiqueiros”. O grupo apoia o candidato Eunício e é liderado pelo capitão Wagner (PR), eleito deputado estadual neste ano, de quem Cid é desafeto. De acordo com policiais, membros do grupo já sofreram represália, como perda de cargos gratificados e instauração de inquérito administrativo.

Para manter a segurança durante o processo de votação, Fortaleza e mais quatro cidades cearenses (Caucaia, Maracanaú, Maranguape e Crateús) terão reforço de 2,5 mil militares do Exército.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas