Aborto, união gay, reformas: opção por ataques tira temas polêmicos do 2º turno

Por Wanderley Preite Sobrinho | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Para não perder votos, PT e PSDB estimularam rivalidade ideológica para abafar a semelhança de projetos

Depois de um primeiro turno marcado por propostas polêmicas, como a legalização das drogas e o casamento gay, as três semanas do segundo turno das eleições presidenciais se transformaram em um campo de guerra com pouco espaço para propostas, substituídas por agressões mútuas entre tucanos e petistas.

Com mais semelhanças nos projetos para o social e mais divergências no campo econômico, os partidos que polarizam a campanha pela sexta eleição seguida apostaram no acirramento da rivalidade para ganhar o voto indeciso, deixando em segundo plano assuntos como reformas política e tributária, modelo de desenvolvimento, crise ambiental, ampliação de direitos, segurança pública, investimentos em infraestrutura e soluções para o Brasil voltar a crescer.

Divulgação
Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) disputam o segundo turno das eleições presidenciais

Aborto, casamento igualitário e legalização das drogas dominaram boa parte das discussões do primeiro turno em razão da insistência dos candidatos nanicos Eduardo Jorge (PV) e Luciana Genro (PSOL). A tese da “nova política” pregada por Marina Silva (PSB) também estimulou discussões sobre a reforma política, apoiada pela maioria dos candidatos. Cientes de que a polarização no segundo turno se transformaria em uma disputa apaixonada, os caciques de PT e PSDB decidiram estimular a estigmatização e a desconstrução do adversário.

Dilma e Aécio notaram cedo que a divisão do eleitorado seria o assunto do segundo turno. "O que eles fizeram foi estimular essa divisão para aumentar a rejeição do oponente. É o que chamamos de 'soma zero': no segundo turno, o voto ganho por um é perdido pelo outro", avalia o cientista político da
Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Waldir Campinelli. "O PT poupou Aécio no primeiro turno, mas com as taxas de rejeição agora equilibradas, o debate virou embate."

Leia também: 2º turno testa força do PSB e da família de Campos em Pernambuco

O professor faz parte do grupo que acha que tucanos e petistas são parecidos no campo econômico, “o que inviabiliza discussões sobre investimento em infraestrutura e crescimento econômico, por exemplo”. Para ele, “os dois partidos seguem a receita neoliberal inaugurada por Fernando Henrique Cardoso e continuada por Luiz Inácio Lula da Silva. Mesmo assim, o PT conseguiu pregar um selo de ‘neoliberal’ no PSDB, um partido que causaria desemprego se chegasse ao poder. "Já o PSDB conseguiu colar no PT a marca de partido corrupto."

Veja imagens da corrida presidencial no segundo turno:

Aécio aparece na janela da casa da família em São João Del Rei com a mulher Letícia, os gêmeos Julia e Bernardo e a mãe Inês (25/10). Foto: Igo Estrela/Coligação Muda BrasilAécio visita o túmulo de seu avô, o presidente Tancredo Neves, e de sua avó Risoleta Neves, na Igreja de São Francisco de Assis, em São João Del Rei (25/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilNo último dia de campanha das eleições 2014, Aécio Neves faz uma caminhada em São João Del Rei (25/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilDilma encerra a campanha nas eleições 2014 em Porto Alegre (25/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma faz campanha ao lado de Tarso Genro, que concorre ao governo do Rio Grande do Sul, na véspera das eleições (25/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Aécio e Dilma posam juntos pouco antes do debate da TV Globo (24/10). Foto: ReutersDilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) participaram na noite desta sexta-feira (24) de um debate presidencial na Rede Globo. Foto: Reuters/Ricardo MoraesAo lado da filha Gabriela, Aécio Neves (PSDB) concede entrevista coletiva no Rio de Janeiro (23/10). Foto: Divulgação/PSDBDilma Rousseff sorri durante entrevista coletiva no Rio de Janeiro (23/10). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13Aécio se enrola em bandeira do Brasil em comício na praça da Estação, em Belo Horizonte, Minas Gerais (22/10). Foto: Bruno Magalhães/Coligação Muda BrasilDupla Cesar Menotti e Fabiano sobe no palanque ao lado de Aécio Neves em ato na praça da Estação, em Belo Horizonte, Minas Gerais (22/10). Foto: Bruno Magalhães/Coligação Muda BrasilCom uma faixa com os dizeres 'Diga não a violência contra a mulher', Dilma participa de caminhada em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro (22/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Ao lado de Fernando Pimentel, governador eleito em Minas, e políticos do PT, Dilma faz campanha em Uberaba (22/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Aécio Neves faz campanha em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e reúne eleitores nesta terça-feira (21/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilLula também acompanha Dilma Rousseff em carreata no Recife (21/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Ao lado de Lula, Dilma visita fábrica em Goiana, em Pernambuco (21/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff manda coraçãozinho para eleitores em comício em Petrolina, em Pernambuco (21/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff recebe apoio de artistas e jovens em ato político em São Paulo (20/10). Foto: Divulgação/PTDilma Rousseff recebe apoio do ator Henri Castelli em ato político em São Paulo (20/10). Foto: Divulgação/PTAo lado da cantora Fafá de Belém e do ex-jogador Ronaldo, Aécio faz ato de campanha em Belém do Pará (20/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilAécio visita o Santuário Nossa Senhora da Piedade, em Caeté (MG) (20/10). Foto: Igo Estrela/Coligação Muda BrasilCandidatos Dilma Rousseff e Aécio Neves a postos para o debate da Rede Record na noite deste domingo (19/10). Foto: Nacho Doce/ ReutersReação de Aécio Neves durante terceiro debate entre os candidatos à Presidência no segundo turno das eleições (19/10). Foto: Andre Penner/APReação de Dilma Rousseff durante o terceiro debate do segundo turno das eleições presidenciais (19/10). Foto: Andre Penner/APAécio Neves faz caminhada e carreata por Copacabana, no Rio de Janeiro, neste domingo (19/10). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilAo lado da mulher Letícia, Aécio neves faz carreata em Copacabana, no Rio de Janeiro, e distribui autógrafos (19/10). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilEleitores tentam se aproximar de Dilma em ato de campanha em Curitiba, no Paraná (17/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma cumprimenta eleitores em agenda de campanha em Florianópolis (17/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Em agenda de campanha em Florianópolis, Dilma Rousseff (PT) voltou a atacar o adversário Aécio e seu partido, o PSDB (17/10). Foto: ReutersAécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) participam do segundo debate presidencial do segundo turno, realizado pelo SBT na noite desta quinta-feira (16/10). Foto: ReproduçãoAécio neves durante intervalo do debate no SBT, o segundo do segundo turno das eleições (16/10). Foto: AP Photo/Andre PennerAssessores e profissionais arrumam Dilma durante intervalo de debate no SBT (16/10). Foto: AP Photo/Andre PennerAécio atende jornalistas em São Paulo (16/10). Foto: Vitor Sorano/iGAécio faz ato político em São Paulo e assina Termo de Compromisso do Projeto Presidente Amigo da Criança (15/10). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilDilma participa de ato de apoio aos professores em São Paulo (15/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma e Aécio durante o primeiro debate do segundo turno das eleições, na Band (14/10) . Foto: ReutersDilma dá entrevista coletiva em São Paulo antes do primeiro debate na TV no segundo turno das eleições (14/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Aécio Neves também atende à imprensa antes de debate em São Paulo (14/10). Foto: Marcos Fernandes/ Coligação Muda BrasilAécio Neves durante ato político em Curitiba, no Paraná (13/10). Foto: Igo Estrela/PSDB - 13.10.2014Dilma faz ato de apoio a sua candidatura em Brasília (13/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Também em Brasília, Dilma Rousseff recebe Roberto Amaral, líder do PSB (13/10). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13No dia das crianças, Dilma visita Centro Educacional Unificado (CEU) Jambeiro, em Guaianases, São Paulo, e assiste à apresentação de ginástica (12/11). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Fernando Pimentel, governador eleito em Minas, faz carreata com Dilma Rousseff em Contagem e ataca de fotógrafo (11/10). Foto: Ichiro Guerra/PTEleitores se apertam para chegar perto de 
Dilma Rousseff depois de caminhada e carreata na cidade mineira de Contagem (11/10). Foto: Ichiro Guerra/PTMarcelo Crivella, que concorre ao segundo turno do governo do Rio de Janeiro contra Pezão, faz campanha por Dilma em São João de Meriti (10/10). Foto: Edvaldo Reis/Crivella 10Dilma participa de ato de mobilização com prefeitos e representantes dos movimentos sociais em Alagoas (9/10). Foto: Ichiro Guerra/PTDilma em campanha na zona sul de SP. Foto: Fotos PúblicasAécio faz carreata ao lado de políticos em Sirinhaém, em Pernambuco (11/10). Foto: Igo Estrela/Coligação Muda BrasilAécio assiste à missa na Basílica de Nossa Senhora Aparecida com a esposa Letícia, Geraldo Alckmin e a esposa do governador, Lu Alckmin (12/10). Foto: Marcos Fernandes/Colig. Muda BrasilAo lado da filha Gabriela, Aécio visita Renata Campos e a família de Eduardo Campos no Recife (11/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilFilho de Eduardo Campos discursa ao lado de Aécio Neves no Recife. PSB e família Campos apoiam tucano no segundo turno das eleições (11/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilAécio recebeu apoio formal do PSB de Pernambuco e de família de Eduardo Campos. Foto: DivugaçãoMais de 10 mil pessoas lotaram a Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, para manifestação em apoio à candidatura de Aécio Neves (11/10). Foto: Bruno Magalhães/Coligação Muda BrasilAécio Neves se reúne com Armínio Fraga no Rio de Janeiro. Se eleito, tucano já disse que ex-presidente do Banco Central será ministro da Fazenda (10/10). Foto: Marcos Fernandes/Colig. Muda BrasilAécio Neves durante a primeira inserção de TV do segundo turno (9/10). Foto: ReproduçãoAécio Neves participa de entrevista coletiva depois de dia de compromissos no Rio de Janeiro (9/10). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilDilma Rousseff abriu o horário eleitoral na televisão no segundo turno das eleições (9/10). Foto: ReproduçãoDilma Rousseff (PT) participa de encontro com apoiadores no Museu du Ritmo em Salvador nesta quinta-feira (9/10). Foto: Divulgação/PTDilma Rousseff (PT) posa junto com eleitora em evento de campanha em Teresina, no Piauí (8/10) . Foto: Dilvulgação/PTCorreligionários do PT participaram de evento com Dilma Rousseff no Piauí (8/10). Foto: Divulgação/PTPresidente Dilma cumprimenta eleitores em ato político com lideranças e prefeitos em Teresina (PI) (8/10). Foto: Divulgação/PTAécio Neves(PSDB) recebe apoio dos dirigente do PSB, partido de Marina Silva (8/10). Foto: Divulgação/PSDBAécio Neves (PSDB) relança sua campanha à Presidência da República no Memorial JK em Brasília (08/10). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaPastor Everaldo declara apoio ao tucano no segundo turno (8/10). Foto: PSDB/ DIVULGACAO - 8.10.14A presidente Dilma Rousseff se reuniu nesta terça-feira com senadores e governadores eleitos da base aliada (7/10) . Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma Rousseff (PT) em reunião de mobilização  para a campanha de segundo turno  (7/10). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma Rousseff (PT) participa de reunião de mobilização em Brasília, nesta terça-feira (7/10). Foto: Divulgação/PTAécio Neves participa de encontro com trabalhadores da construção civil na manhã desta terça-feira, em São Paulo (7/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilGeraldo Alckmin, governador reeleito no primeiro turno em São Paulo, participa de dia de campanha de Aécio Neves na capital paulista (7/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilAécio Neves faz campanha para o segundo turno e visita obras na Chácara Santo Antônio, em São Paulo, ao lado de José Serra, eleito senador, e José Aníbal (7/10). Foto: Vitor Sorano/iGAécio Neves (PSDB) cumprimenta Geraldo Alckmin, governador reeleito de São Paulo, em coletiva de imprensa na capital paulista (6/10) . Foto: Divulgação/PSDBUm dia depois das eleições, Dilma Rousseff, que disputa o segundo turno com Aécio Neves, recebe jornalistas em Brasília (6/10). Foto: Cadu Gomes/ Dilma 13Dilma chega para coletiva de imprensa depois do resultado do primeiro turno das eleições ao lado de Michel Temmer, vice em sua chapa para a Presidência (5/10). Foto: Agência BrasilPresidente e candidata Dilma Rousseff fala com a imprensa após apuração de votos que a levou para o segundo turno com Aécio Neves. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaAécio Neves (PSDB) comemora chegada ao segundo turno das eleições presidenciais em Belo Horizonte neste domingo (05). Foto: Divulgação/PSDBAo lado da esposa Letícia e de partidários, Aécio Neves participa de coletiva depois de chegar ao segundo turno das eleições presidenciais (5/10). Foto: Agência BrasilAécio Neves, candidato à Presidência pelo PSDB, em votação em Belo Horizonte (5/10). Foto: Agência BrasilDilma volta para Brasília depois de votar em Porto Alegre (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersDilma Rousseff, presidente e candidata à reeleição pelo PT, vota na manhã deste domingo em Porto Alegre. Ela foi a primeira presidenciável a votar (5/10). Foto: Felipe Dana/AP

A tese da convergência econômica entre os dois partidos e as duas candidaturas, no entanto, não chega a ser consensual entre analistas. Principalmente na gestão do PT na economia a partir da crise internacional de 2008, quando o governo Lula saiu da cartilha, pondo o pé no acelerador do crédito, no intervencionismo estatal e no estímulo ao mercado interno. Essa estratégia econômica a partir do segundo mandato de Lula e continuado na gestão de Dilma Rousseff recebe elogios e críticas, conforme a linha teórica do economista que se pronuncie.

Para Leda Paulani, economista da USP, temos neste ano dois projetos diferentes não apenas em relação à condução da política econômica, mas também na visão de como entender a economia, seu funcionamento e sua dinâmica. Outra linha – defendida por economistas como Bernardo Guimarães, da FGV-SP, acha que mais intervencionismo não deu, nem dará, certo.

Mais: Lima Duarte, Caetano Veloso e outros. Saiba o voto de mais de 50 famosos

Leia tudo sobre: eleiçõeseleições 2014políticadilmaaéciopropostasPTPSDB

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas