“Estamos prontos para vencer e dar ao Brasil um governo decente", diz Aécio

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

No último dia de campanha, tucano lembrou melhores e piores momentos da corrida eleitoral e fez homenagem a Eduardo Campos

Agência Brasil

No último dia de campanha, o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, visitou hoje (25) túmulo de seu avô materno, o ex-presidente Tancredo Neves, na Igreja de São Francisco de Assis, em São João Del Rei. Antes, acompanhado da esposa e dos dois filhos bebês, o candidato concedeu entrevista à imprensa na casa onde Tancredo morou. Ele agradeceu o apoio de eleitores nos últimos meses e disse que já se sente um vitorioso pela caminhada que fez.

Coligação Muda Brasil
Em São João Del Rei, Aécio visita túmulo de Tancredo e encerra campanha

“Encerro essa caminhada onde tudo começou para mim: em São João Del Rei, na casa do meu avô, e trazendo, depois de 30 anos, os mesmos valores com os quais comecei essa caminhada. A mesma fé cristã que sempre me acompanhou e a mesma confiança de que a política feita com dignidade, com responsabilidade, com amor ao próximo, é uma atividade extremamente digna e insubstituível”, disse.

Aécio voltou a dizer que tem confiança na vitória. “Estamos prontos para vencer as eleições e dar ao Brasil um governo decente, um governo honrado, um governo generoso, um governo que não trate o adversário como um inimigo a ser abatido a qualquer custo.”

O candidato disse que amanhã (26) aguardará o resultado com “muita serenidade” ao lado da família, em Belo Horizonte. Em relação às pesquisas eleitorais, que deram resultados bem diferentes, Aécio disse que os institutos “vão ter que se reciclar, vão ter que tentar compreender internamente o que aconteceu, porque os erros foram grosseiros em todo o primeiro turno, até para se qualificar um pouco mais para as outras eleições”.

Aécio disse que não se desesperou quando as pesquisas o colocaram atrás de sua adversária nem se iludiu quando o colocaram à frente, mas se mostrou otimista. “O que eu chego é vivo, porque tenho uma pesquisa muito própria, que é o que eu estou vendo pelo Brasil. Eu não tenho um instituto, mas tenho a percepção, a sensibilidade para saber que estamos vencendo. Estamos crescendo em todas as regiões do Brasil. E acho que podemos vencer com uma margem surpreendente.”

O candidato ressaltou que a morte de Eduardo Campos, que concorria à Presidência pelo PSB no primeiro turno, foi o pior momento da campanha. “Era óbvio que eu transferisse para mim também a possibilidade daquela tragédia”, disse, ao acrescentar que demorou um tempo para se recuperar e teve de ficar firme para mostrar a mesma determinação.

Aécio também agradeceu o apoio de Marina Silva, a quem chamou de “amiga”, e Renata Campos, viúva de Eduardo, que declararam apoio ao tucano no segundo turno. Quanto ao ataque à sede da Editora Abril, que teve a faixada depredada na noite de ontem, o candidato os chamou de “atentado contra a democracia e a liberdade e expressão” e “que deve receber o repúdio de todos os brasileiros da forma mais veemente possível”. Após o compromisso político em São João Del Rei, Aécio seguiu para Belo Horizonte, onde votará amanhã por volta das 10h. Ele não tem mais compromissos políticos hoje.

Leia tudo sobre: Aécio NevesEleições 2014

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas