Campanha de Dilma acusa governo de Minas de descumprir decisão do TSE

Por iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Decisão acatou argumentação da campanha petista de que propaganda tinha objetivo de beneficiar tucano Aécio Neves

A campanha da presidente Dilma Rousseff entrou com uma nova representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acusando o governo de Minas Gerais de descumprir a decisão da Corte de suspender a veiculação do informe publicitário com explicações a respeito dos investimentos governamentais nas áreas de Saúde e Educação.

A decisão acolheu a argumentação da campanha petista de que a propaganda tinha o objetivo de beneficiar o candidato tucano, Aécio Neves. No entanto, após a decisão a campanha identificou a continuidade do anúncio.

No último debate, Dilma acusou Aécio de não cumprir em Minas os percentuais exigidos pela Constituição Federal de investimentos na Educação e Saúde.

Na publicidade governamental, veiculada em alguns jornais e rádios, o governo argumentava que “de acordo com o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, Minas cumpriu integralmente os percentuais de investimento em Saúde e Educação definidos pela Constituição Federal. Prova disso é que as contas de Governo dos exercícios de 2003 a 2010 foram aprovadas por unanimidade”, dizia o informe que remetia para o site do TCE-MG.

"Defiro o pedido liminar no sentido de determinar a imediata suspensão da veiculação do ‘informe publicitário’ em comento e, ainda, que forneça todos os documentos relacionados à contratação da publicidade, informando as datas e mídias em que foram veiculadas", afirmou o ministro Admar Gonzaga.

Durante o debate, Dilma chegou a sugerir que as pessoas entrassem no site para conferir o termo de ajustamente de gestão firmado pelo governo de Minas, na gestão de Aécio. No entanto, o site ficou fora do ar.

Leia também: TSE suspende mais uma propaganda de Aécio


Leia tudo sobre: Eleições 2014TSE

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas