Em vídeo, Alckmin condena uso político da falta d'água em SP

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Vídeo do governador paulista foi enviado via Whatsapp; tucano argumenta que estado vive maior seca em 84 anos

Em estratégia semelhante adotada por Aécio Neves (PSDB) na campanha presidencial, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) usou o Whatsapp para divulgar um vídeo no qual condena o uso político da crise do abastecimento de água no estado.

Divulgação
Geraldo Alckmin usou aplicativo para defender gestão da água em SP

Leia mais: Alckmin anuncia novo bônus para quem economizar água

Dilma compara falta de água em SP ao apagão de energia no governo FHC

Dilma diz que alertou Alckmin sobre obras para conter falta de água

Datafolha: Vantagem de Aécio para Dilma cai no Sudeste; petista sobe no Nordeste


"É lamentável que num momento desses, onde há necessidade de união de todos, alguns queiram tirar proveito político deste fato. Este não é o espírito de São Paulo ", disse o governador no vídeo de pouco mais de um minuto de duração. O tucano aproveitou para referir que a maior causa do problema é a seca vivida pelo estado, a maior dos últimos 84 anos.

Veja o vídeo postado pelo governador paulista Geraldo Alckmin:




Alckmin reforçou que a crise de abastecimento de água exige solidariedade e que seu governo vem trabalhando para interligar sistemas e investindo em obras de novos sistemas de abastecimento de água no estado. O tucano paulista enfatizou também que a Sabesp - empresa de saneamento paulista - aumentou a concessão de bônus na conta dos consumidores que economizarem água.

A questão da falta d'água no estado de São Paulo ganhou dimensão nacional depois que a presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) resolveu explorar o assunto na campanha presidencial, o que resultou em aumento da preferência de votos da petista em relação a Aécio Neves (PSDB) no estado, segundo pesquisas de opinião.

Água ou lodo

Ontem, em nota oficial, o secretário da Casa Civil, Saulo de Castro Abreu Filho condenou manifestação do presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), vicente Andreu, que declarou que o governo paulista iria retirar água do lodo se não voltar a chover no estado.

"É lamentável que o presidente de um órgão federal, financiado com o dinheiro do contribuinte, venha disseminar pânico em São Paulo. E pior: em horário de trabalho, participando de um evento patrocinado por um partido em plena campanha eleitoral. Em vez de solidarizar-se com o esforço do povo de São Paulo, o dirigente da agência tenta tirar proveito político de uma crise que se enfrenta com critérios técnicos e a união de todos. São Paulo enfrenta com união, planejamento e obras a maior seca já registrada na região Sudeste do país", reclamou o secretário.


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas