Na reta final, Dilma e Aécio buscam voto do eleitor ‘remediado’

Por Luciana Lima - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Campanhas avaliam que quem conquistar população que ganha entre dois e cinco salários mínimos terá mais chances de vencer

Na reta final da disputa presidencial, as campanhas de Dilma Rousseff e Aécio Neves procuram focar na conquista do chamado eleitor “remediado”, cuja faixa de renda varia entre dois e cinco salários mínimos. Mais dependente das ações do Estado, este eleitor era considerado natural do PT, por ter se beneficiado, ao longo dos governos de Dilma e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de diversos programas sociais, entre eles o Bolsa Família, a maior ação de distribuição de renda dos governos petistas. No entanto, nesta faixa de renda, Dilma tem disputado, com desvantagem em relação ao tucano. Aécio tem investido neste eleitorado com principalmente com o discurso de alta inflação.

“Este eleitor depende muito de seu salário. Ele tem sentido que ele nunca pagou tanto imposto e tem sofrido com a inflação em alta que consome sua renda antes que o mês acabe. Ou seja, sobra mês. É para essas pessoas que o nosso candidato tem falado”, observou Duarte Nogueira, presidente do diretório de São Paulo do PSDB e integrante da coordenação de campanha do tucano.

Datafolha: Dilma ultrapassa Aécio, mas empate técnico permanece

Divulgação
Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB): quem conquistar quem ganha entre dois e cinco salários mínimos terá mais chances de vencer


Já a campanha de Dilma tenta manter os “remediados” com promessas de melhor prestação de serviços nas áreas de Saúde, Educação e, principalmente, mobilidade urbana, uma das áreas consideradas de maior impacto.

O diagnóstico feito pela campanha petista é de que para as pessoas com renda entre dois a cinco salários mínimos, a vida melhorou “para dentro de casa” e agora ele quer ver melhorias nas redondezas.

“Muitos moram em favelas, mas da porta de casa para dentro, passaram a ter televisão de tela plana, acesso a planos populares de internet. O que falta é melhoria da porta de casa para fora”, diagnosticou Alberto Cantalice, vice-presidente do PT e integrante da campanha de Dilma.

Penúltimo debate: Dilma e Aécio trocam agressividade por guerra de números

“Geralmente o eleitor que ganha de dois a cinco salários mínimos não tem carro, não tem plano de saúde e não tem acesso a escola particular, ou seja, depende de transporte público, de atendimento de qualidade nas unidades de saúde e de escola para colocar dos filhos”, detalhou.

A estratégia é “alimentar o sonho” deste eleitor por metrô, ônibus, serviços médicos e escola em tempo integral. “Não basta mostrar o que já deu certo. Nossa estratégia é falar do que já foi feito e precisa manter e mostrar que vamos melhorar. É claro que a gente sabe que sobre nós a cobrança é maior”, analisou Cantalice.

As duas campanhas sabem quem souber melhor traduzir os anseios desta população terá mais chances de vencer as eleições.

A campanha de Aécio já havia identificado entre 2013 e 2014 uma acentuada queda de aprovação do governo de Dilma. Em março do ano passado, antes das manifestações, levantamento do Datafolha apontava que 63% desta população definia o governo como ótimo ou bom. Este percentual experimentou uma linha decrescente e no último levantamento somente 35% desses eleitores mantiveram esta mesma avaliação.

Veja imagens da campanha presidencial: 

Candidatos Dilma Rousseff e Aécio Neves a postos para o debate da Rede Record na noite deste domingo (19/10). Foto: Nacho Doce/ ReutersReação de Aécio Neves durante terceiro debate entre os candidatos à Presidência no segundo turno das eleições (19/10). Foto: Andre Penner/APReação de Dilma Rousseff durante o terceiro debate do segundo turno das eleições presidenciais (19/10). Foto: Andre Penner/APAécio Neves faz caminhada e carreata por Copacabana, no Rio de Janeiro, neste domingo (19/10). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilAo lado da mulher Letícia, Aécio neves faz carreata em Copacabana, no Rio de Janeiro, e distribui autógrafos (19/10). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilEleitores tentam se aproximar de Dilma em ato de campanha em Curitiba, no Paraná (17/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma cumprimenta eleitores em agenda de campanha em Florianópolis (17/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Em agenda de campanha em Florianópolis, Dilma Rousseff (PT) voltou a atacar o adversário Aécio e seu partido, o PSDB (17/10). Foto: ReutersAécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) participam do segundo debate presidencial do segundo turno, realizado pelo SBT na noite desta quinta-feira (16/10). Foto: ReproduçãoAécio neves durante intervalo do debate no SBT, o segundo do segundo turno das eleições (16/10). Foto: AP Photo/Andre PennerAssessores e profissionais arrumam Dilma durante intervalo de debate no SBT (16/10). Foto: AP Photo/Andre PennerAécio atende jornalistas em São Paulo (16/10). Foto: Vitor Sorano/iGAécio faz ato político em São Paulo e assina Termo de Compromisso do Projeto Presidente Amigo da Criança (15/10). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilDilma participa de ato de apoio aos professores em São Paulo (15/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma e Aécio durante o primeiro debate do segundo turno das eleições, na Band (14/10) . Foto: ReutersDilma dá entrevista coletiva em São Paulo antes do primeiro debate na TV no segundo turno das eleições (14/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Aécio Neves também atende à imprensa antes de debate em São Paulo (14/10). Foto: Marcos Fernandes/ Coligação Muda BrasilAécio Neves durante ato político em Curitiba, no Paraná (13/10). Foto: Igo Estrela/PSDB - 13.10.2014Dilma faz ato de apoio a sua candidatura em Brasília (13/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Também em Brasília, Dilma Rousseff recebe Roberto Amaral, líder do PSB (13/10). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13No dia das crianças, Dilma visita Centro Educacional Unificado (CEU) Jambeiro, em Guaianases, São Paulo, e assiste à apresentação de ginástica (12/11). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Fernando Pimentel, governador eleito em Minas, faz carreata com Dilma Rousseff em Contagem e ataca de fotógrafo (11/10). Foto: Ichiro Guerra/PTEleitores se apertam para chegar perto de 
Dilma Rousseff depois de caminhada e carreata na cidade mineira de Contagem (11/10). Foto: Ichiro Guerra/PTMarcelo Crivella, que concorre ao segundo turno do governo do Rio de Janeiro contra Pezão, faz campanha por Dilma em São João de Meriti (10/10). Foto: Edvaldo Reis/Crivella 10Dilma participa de ato de mobilização com prefeitos e representantes dos movimentos sociais em Alagoas (9/10). Foto: Ichiro Guerra/PTDilma em campanha na zona sul de SP. Foto: Fotos PúblicasAécio faz carreata ao lado de políticos em Sirinhaém, em Pernambuco (11/10). Foto: Igo Estrela/Coligação Muda BrasilAécio assiste à missa na Basílica de Nossa Senhora Aparecida com a esposa Letícia, Geraldo Alckmin e a esposa do governador, Lu Alckmin (12/10). Foto: Marcos Fernandes/Colig. Muda BrasilAo lado da filha Gabriela, Aécio visita Renata Campos e a família de Eduardo Campos no Recife (11/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilFilho de Eduardo Campos discursa ao lado de Aécio Neves no Recife. PSB e família Campos apoiam tucano no segundo turno das eleições (11/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilAécio recebeu apoio formal do PSB de Pernambuco e de família de Eduardo Campos. Foto: DivugaçãoMais de 10 mil pessoas lotaram a Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, para manifestação em apoio à candidatura de Aécio Neves (11/10). Foto: Bruno Magalhães/Coligação Muda BrasilAécio Neves se reúne com Armínio Fraga no Rio de Janeiro. Se eleito, tucano já disse que ex-presidente do Banco Central será ministro da Fazenda (10/10). Foto: Marcos Fernandes/Colig. Muda BrasilAécio Neves durante a primeira inserção de TV do segundo turno (9/10). Foto: ReproduçãoAécio Neves participa de entrevista coletiva depois de dia de compromissos no Rio de Janeiro (9/10). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilDilma Rousseff abriu o horário eleitoral na televisão no segundo turno das eleições (9/10). Foto: ReproduçãoDilma Rousseff (PT) participa de encontro com apoiadores no Museu du Ritmo em Salvador nesta quinta-feira (9/10). Foto: Divulgação/PTDilma Rousseff (PT) posa junto com eleitora em evento de campanha em Teresina, no Piauí (8/10) . Foto: Dilvulgação/PTCorreligionários do PT participaram de evento com Dilma Rousseff no Piauí (8/10). Foto: Divulgação/PTPresidente Dilma cumprimenta eleitores em ato político com lideranças e prefeitos em Teresina (PI) (8/10). Foto: Divulgação/PTAécio Neves(PSDB) recebe apoio dos dirigente do PSB, partido de Marina Silva (8/10). Foto: Divulgação/PSDBAécio Neves (PSDB) relança sua campanha à Presidência da República no Memorial JK em Brasília (08/10). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaPastor Everaldo declara apoio ao tucano no segundo turno (8/10). Foto: PSDB/ DIVULGACAO - 8.10.14A presidente Dilma Rousseff se reuniu nesta terça-feira com senadores e governadores eleitos da base aliada (7/10) . Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma Rousseff (PT) em reunião de mobilização  para a campanha de segundo turno  (7/10). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma Rousseff (PT) participa de reunião de mobilização em Brasília, nesta terça-feira (7/10). Foto: Divulgação/PTAécio Neves participa de encontro com trabalhadores da construção civil na manhã desta terça-feira, em São Paulo (7/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilGeraldo Alckmin, governador reeleito no primeiro turno em São Paulo, participa de dia de campanha de Aécio Neves na capital paulista (7/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilAécio Neves faz campanha para o segundo turno e visita obras na Chácara Santo Antônio, em São Paulo, ao lado de José Serra, eleito senador, e José Aníbal (7/10). Foto: Vitor Sorano/iGAécio Neves (PSDB) cumprimenta Geraldo Alckmin, governador reeleito de São Paulo, em coletiva de imprensa na capital paulista (6/10) . Foto: Divulgação/PSDBUm dia depois das eleições, Dilma Rousseff, que disputa o segundo turno com Aécio Neves, recebe jornalistas em Brasília (6/10). Foto: Cadu Gomes/ Dilma 13Dilma chega para coletiva de imprensa depois do resultado do primeiro turno das eleições ao lado de Michel Temmer, vice em sua chapa para a Presidência (5/10). Foto: Agência BrasilPresidente e candidata Dilma Rousseff fala com a imprensa após apuração de votos que a levou para o segundo turno com Aécio Neves. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaAécio Neves (PSDB) comemora chegada ao segundo turno das eleições presidenciais em Belo Horizonte neste domingo (05). Foto: Divulgação/PSDBAo lado da esposa Letícia e de partidários, Aécio Neves participa de coletiva depois de chegar ao segundo turno das eleições presidenciais (5/10). Foto: Agência BrasilAécio Neves, candidato à Presidência pelo PSDB, em votação em Belo Horizonte (5/10). Foto: Agência BrasilDilma volta para Brasília depois de votar em Porto Alegre (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersDilma Rousseff, presidente e candidata à reeleição pelo PT, vota na manhã deste domingo em Porto Alegre. Ela foi a primeira presidenciável a votar (5/10). Foto: Felipe Dana/AP

Ao direcionar a campanha para esta parcela do eleitorado, Aécio conseguiu angariar 56% das intenções e voto, de acordo com pesquisa divulgada pelo Datafolha na semana passada. Já Dilma, conta com 44% das intenções de votos.

Na avaliação dos tucanos, embora as pesquisas não demonstrem, é nesta faixa do eleitorado que se concentram boa parte dos indecisos a serem conquistados nesta reta final.

“É o eleitor que tem se identificado com a propaganda do PT, que não acha que sua vida está a mil maravilhas como prega o programa de Dilma, mas que ainda está em dúvida se tentará outro caminho, se votará na oposição, Como ele depende muito das ações do Estado, quem está no governo sempre se beneficia deste voto. Fizemos de tudo para vencer isso”, disse Nogueira.

Veja também: Vox Populi tem novo empate técnico: Dilma vai a 52% contra 48% de Aécio

Leia tudo sobre: Eleições 2014Dilma RousseffAécio NevesPTPSDB

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas