Alckmin anuncia novo bônus para quem economizar água

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Governador paulista concedeu entrevista à rádio Jovem Pan e anunciou também nova reserva técnica

O governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) concedeu entrevista na manhã desta terça-feira (21) à rádio Jovem Pan e antecipou que a Sabesp, empresa de saneamento paulista, irá oferecer um novo bônus para consumidores que economizarem água.

Governo de SP
Além da ampliação do bônus, Alckmin diz que Sabesp tem duas reservas técnicas

Leia mais: Dilma compara falta de água em SP ao apagão de energia no governo FHC

Dilma diz que alertou Alckmin sobre obras para conter falta de água

Datafolha: Vantagem de Aécio para Dilma cai no Sudeste; petista sobe no Nordeste

Dilma e Aécio trocam agressividade por guerra de números em penúltimo debate


"Hoje a SABESP aprovará uma novidade no bônus, que irá beneficiar também quem economizar menos que 50%: [quem economizar] até 15%, ganhará 10% de bônus, até 20%, ganhará 15% de bônus. E quem economizar 20% ou mais, ganhará consequentemente mais bônus", disse Alckmin.

O governador paulista destacou também que é preciso "enaltecer a solidariedade da população de São Paulo" e elogiou que os 80% de economia já conseguidos até agora é um índice "fantástico".

Alckmin revelou ainda que a Sabesp tem ainda uma segunda e uma terceira reserva técnicas para suprir o abastecimento de água no estado e descartou a possibilidade de racionamento de água por conta das obras. 

"Temos uma segunda e terceira reserva técnica, que existe para ser utilizada apenas quando precisarmos. Nem a segunda nunca foi utilizada, nunca tivemos nenhuma bomba, equipamento para retirar água. Em 74 dias construímos e agora já está tudo pronto, caso seja preciso utilizar a segunda reserva. E existe ainda uma terceira. Ou seja, a população pode ficar tranquila, pois todas as medidas estão sendo tomadas", explicou.

O governador paulista voltou a atribuir à seca e não à falta de investimentos a escassez de água no estado. "Neste ano tivemos metade da chuva de 1953 (até então maior seca)", sublinhou acrescentando que obras de engenharia vão suprir a falta d'água no sistema Cantareira. "Agora em novembro será retirado mais 1 metro cúbico por segundo do Guarapiranga". 

Eleição

A crise hídrica no estado de São Paulo começou a ser abordada nessa semana nos programas de rádio e televisão da candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT), que apontou que não houve planejamento.

Por sua vez, seu adversário Aécio Neves (PSDB) atribuiu ao governo federal a falta d'água no estado. Já Dilma esclareceu que a questão hídrica é de responsabilidade dos estados e reclamou abertamente que a imprensa dizendo que a crise hídrica só ganhou evidência no noticiário após a reeleição do governador Geraldo Alckmin.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas