Campanha petista chama atenção para embates de tucano com a presidente e com a ex-candidata Luciana Genro

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, entrou com representação contra a sua adversária, a presidente Dilma Rousseff (PT) na Procuradoria Geral Eleitoral por injúria e difamação. A candidatura tucana considera que Dilma "atingiu honra [de Aécio] de forma covarde" ao dizer em propaganda que ele não respeita mulheres, agindo com agressividade contra a presidente e contra a ex-candidata Luciana Genro (PSOL).

Leia também:  TSE suspende trecho da propaganda eleitoral de Dilma por ataque a Aécio

De aliados a adversários ferrenhos: a história da polarização entre PT e PSDB

Marca do segundo turno, campanha de denuncismo e ataques é praticada desde 198 9

"O Partido dos Trabalhadores, maliciosamente e com mentiras, acusa o candidato de ser intolerante com o gênero feminino, o que atinge sua honra de forma covarde. Mais uma vez, a candidata Dilma Rousseff age de forma leviana, transformando o que deveria ser a discussão de propostas em ato de terrorismo eleitoral", diz nota do PSDB enviada à imprensa neste sábado (18).

Veja imagens do segundo turno

A propaganda petista foi ao ar na última quinta-feira. Na peça, um locutor chama atenção para um trecho do debate da TV Bandeirantes, em que Aécio aponta o dedo para Luciana Genro. “Aécio tem mostrado dificuldade em respeitar as mulheres. No debate da Globo, no primeiro turno, a agressividade foi contra a candidata Luciana Genro. A propaganda petista também mostra o embate entre Dilma e Aécio em que aparece chamando-a de leviana. “Você acha que um candidato a presidente pode agir dessa maneira?”, questiona o locutor.

A nota ainda reafirma "o respeito [de Aécio Neves] com as mulheres, lembrando suas ações sociais em favor do gênero feminino enquanto governador de Minas Gerais".
Na última sexta-feira (17) Tribunal Superior Eleitoral suspendeu trecho de propaganda petista que fazia referência ao aeroporto contruído por Aécio Neves na cidade de Claudio, em Minas Gerais, a poucos quilometros da fazendo de um tio-avô do candidato.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.