Ex-presidente criticou o candidato do PSDB durante comício em Belo Horizonte; em SP, petistas homenageiam nordestinos

Em comício realizado em Belo Horizonte neste sábado (18), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disparou uma série de críticas ao candidato Aécio Neves (PSDB) e chegou a classificá-lo como "vingativo" e "filhinho de papai".

Apoio: Aécio Neves diz que contará com PMDB e PP em eventual governo tucano

Simpatizante do PT mostra camiseta com estampa da candidata à reeleição, Dilma Rousseff
Ichiro Guerra
Simpatizante do PT mostra camiseta com estampa da candidata à reeleição, Dilma Rousseff

Hoje: Grupos de caciques políticos tentam se reinventar para manter poder

Além disso, Lula disse que o Brasil às vezes comete equívocos como em 1989, quando elegeu o hoje senador Fernando Collor de Mello.

Durante discurso em Belo Horizonte, Lula disse que Aécio "faltou com respeito" com a candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), neste segundo turno ao fazer críticas à gestão petista. Para Lula, Aécio tem sido "agressivo" na análise do governo Dilma.

"Isso não é comportamento de um candidato a presidente. É comportamento de um filhinho de papai, que sempre acha que os outros têm que fazer tudo para ele", afirmou Lula.

Cenário: Atuação no Congresso cai 80% durante período de campanha eleitoral

"Não sei se ele teria coragem de ser tão grosseiro se o adversário dele fosse um homem", analisou o ex-presidente. "Eu fico imaginando se ele trata a presidenta da República desse jeito, como vai ser quando ele encontrar um catador de papel", acrescentou.

Ainda durante o ato político, Lula fez menções ao primeiro emprego de Aécio Neves como assessoria parlamentar do pai, Aécio Cunha, durante os anos de 1980. À época, Aécio morava no Rio de Janeiro e não em Brasília. Ele classificou o primeiro emprego de Aécio como "o melhor do mundo".

O ex-presidente também afirmou que Aécio seria um homem anti-democrático, que perseguiu professores e jornalistas durante sua gestão em Minas Gerais.

Decisão: TSE suspende trecho da propaganda eleitoral de Dilma por ataque a Aécio

Congresso: Defendida por Aécio, redução da maioridade penal pode ser aprovada

"Aécio é um moço vingativo. Não conheço, em nenhum momento da história, nem na ditadura militar, um momento em que os professores tenham sido tão perseguidos", analisou Lula.

Ainda no comício, Lula disse que "por medo" o Brasil cometeu alguns equívocos como a eleição do hoje senador Fernando Collor de Mello, em 1989. Na época, Lula perdeu a eleição presidencial para Collor no segundo turno da disputa.

"Em 1989, o Brasil estava com medo de mim, mas também de Ulysses Guimarães, do Brizola, Mário Covas. E esse medo era muitas vezes instigado pela imprensa", analisou Lula.

Nordestinos

Em São Paulo, o PT realizou ato em apoio à comunidade nordestina na praça do Forró, no bairro de São Miguel Paulista. Entre os participantes da ação estavam o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) e o governador da Bahia, Jacques Wagner (PT-SP).

Durante o ato, os petistas realizaram várias críticas à gestão de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) dizendo que os tucanos têm preconceito contra nordestinos e os mais pobres. A ideia do PT com esse evento foi aumentar sua faixa de eleitorado em São Paulo, onde a presidente teve apenas 25% dos votos válidos.

Além desse evento, os petistas realizaram um almoço do Centro de Tradições Nordestinas na zona norte paulista do qual também participaram outras lideranças petistas como o presidente do partido, Rui Falcão e o governador eleito do Piauí, o senador Wellington Dias.

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.