Voto de indecisos deve decidir eleição nas últimas 48 horas

Por Brasil Econômico - Gilberto Nascimento* |

compartilhe

Tamanho do texto

Para petistas, escolha do próximo presidente será decidida na última hora pelo eleitor que ainda não escolheu seu candidato

Brasil Econômico

Um grupo de eleitores que deve se decidir somente nas últimas 48 horas garantirá a vitória da petista Dilma Rousseff ou do tucano Aécio Neves nestas eleições. Essa é a avaliação de integrantes da campanha do PT à Presidência. Segundo eles, a tendência é aumentar o número de indecisos na reta final.

Aécio Neves, segundo pesquisas internas do PT, teria começado a perder votos, mas eles não estão indo necessariamente para Dilma. A tendência de queda de Aécio, de acordo com essa amostragem, tem ocorrido, principalmente, entre jovens acima de 24 anos, de áreas de periferia. As pesquisas dos petistas indicam a mesma disputa acirrada, com um empate técnico entre os dois candidatos, mas com uma vantagem de dois pontos para a presidenta Dilma.

Debate: Dilma obriga Aécio a se explicar sobre recusa a bafômetro e nepotismo

"Tentamos falar de propostas, a candidata oficial não conseguiu", diz Aécio

O resultado em São Paulo dará a vitória a Dilma ou Aécio. A tendência é de que a petista perca no Estado — como ocorreu no primeiro turno —, mas diminua a diferença, equilibrando o resultado com a larga vantagem no Norte e Nordeste. Em Minas, Aécio tem melhorado.

Nas pesquisas qualitativas, foi detectado que Dilma, nos primeiros debates, passou a imagem de “arrogância” e Aécio, de “desconfiança”, principalmente por causa de “sorrisos irônicos” dirigidos à adversária. Segundo as pesquisas internas do PT, eleitores que teriam desistindo de votar no tucano mostraram-se contrariados com explicações do candidato sobre investimentos em saúde e educação, a situação dos professores, contratação de parentes e a construção de um aeroporto em terreno de sua família em Minas Gerais. Aécio negou denúncias sobre esses temas, mas foi contestado nas redes sociais.

Veja fotos dos presidenciáveis na campanha no segundo turno

Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) participam do segundo debate presidencial do segundo turno, realizado pelo SBT na noite desta quinta-feira (16/10). Foto: ReproduçãoAécio neves durante intervalo do debate no SBT, o segundo do segundo turno das eleições (16/10). Foto: AP Photo/Andre PennerAssessores e profissionais arrumam Dilma durante intervalo de debate no SBT (16/10). Foto: AP Photo/Andre PennerAécio atende jornalistas em São Paulo (16/10). Foto: Vitor Sorano/iGAécio faz ato político em São Paulo e assina Termo de Compromisso do Projeto Presidente Amigo da Criança (15/10). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilDilma participa de ato de apoio aos professores em São Paulo (15/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma e Aécio durante o primeiro debate do segundo turno das eleições, na Band (14/10) . Foto: ReutersDilma dá entrevista coletiva em São Paulo antes do primeiro debate na TV no segundo turno das eleições (14/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Aécio Neves também atende à imprensa antes de debate em São Paulo (14/10). Foto: Marcos Fernandes/ Coligação Muda BrasilAécio Neves durante ato político em Curitiba, no Paraná (13/10). Foto: Igo Estrela/PSDB - 13.10.2014Dilma faz ato de apoio a sua candidatura em Brasília (13/10). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Também em Brasília, Dilma Rousseff recebe Roberto Amaral, líder do PSB (13/10). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13No dia das crianças, Dilma visita Centro Educacional Unificado (CEU) Jambeiro, em Guaianases, São Paulo, e assiste à apresentação de ginástica (12/11). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Fernando Pimentel, governador eleito em Minas, faz carreata com Dilma Rousseff em Contagem e ataca de fotógrafo (11/10). Foto: Ichiro Guerra/PTEleitores se apertam para chegar perto de 
Dilma Rousseff depois de caminhada e carreata na cidade mineira de Contagem (11/10). Foto: Ichiro Guerra/PTMarcelo Crivella, que concorre ao segundo turno do governo do Rio de Janeiro contra Pezão, faz campanha por Dilma em São João de Meriti (10/10). Foto: Edvaldo Reis/Crivella 10Dilma participa de ato de mobilização com prefeitos e representantes dos movimentos sociais em Alagoas (9/10). Foto: Ichiro Guerra/PTDilma em campanha na zona sul de SP. Foto: Fotos PúblicasAécio faz carreata ao lado de políticos em Sirinhaém, em Pernambuco (11/10). Foto: Igo Estrela/Coligação Muda BrasilAécio assiste à missa na Basílica de Nossa Senhora Aparecida com a esposa Letícia, Geraldo Alckmin e a esposa do governador, Lu Alckmin (12/10). Foto: Marcos Fernandes/Colig. Muda BrasilAo lado da filha Gabriela, Aécio visita Renata Campos e a família de Eduardo Campos no Recife (11/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilFilho de Eduardo Campos discursa ao lado de Aécio Neves no Recife. PSB e família Campos apoiam tucano no segundo turno das eleições (11/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilAécio recebeu apoio formal do PSB de Pernambuco e de família de Eduardo Campos. Foto: DivugaçãoMais de 10 mil pessoas lotaram a Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, para manifestação em apoio à candidatura de Aécio Neves (11/10). Foto: Bruno Magalhães/Coligação Muda BrasilAécio Neves se reúne com Armínio Fraga no Rio de Janeiro. Se eleito, tucano já disse que ex-presidente do Banco Central será ministro da Fazenda (10/10). Foto: Marcos Fernandes/Colig. Muda BrasilAécio Neves durante a primeira inserção de TV do segundo turno (9/10). Foto: ReproduçãoAécio Neves participa de entrevista coletiva depois de dia de compromissos no Rio de Janeiro (9/10). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilDilma Rousseff abriu o horário eleitoral na televisão no segundo turno das eleições (9/10). Foto: ReproduçãoDilma Rousseff (PT) participa de encontro com apoiadores no Museu du Ritmo em Salvador nesta quinta-feira (9/10). Foto: Divulgação/PTDilma Rousseff (PT) posa junto com eleitora em evento de campanha em Teresina, no Piauí (8/10) . Foto: Dilvulgação/PTCorreligionários do PT participaram de evento com Dilma Rousseff no Piauí (8/10). Foto: Divulgação/PTPresidente Dilma cumprimenta eleitores em ato político com lideranças e prefeitos em Teresina (PI) (8/10). Foto: Divulgação/PTAécio Neves(PSDB) recebe apoio dos dirigente do PSB, partido de Marina Silva (8/10). Foto: Divulgação/PSDBAécio Neves (PSDB) relança sua campanha à Presidência da República no Memorial JK em Brasília (08/10). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaPastor Everaldo declara apoio ao tucano no segundo turno (8/10). Foto: PSDB/ DIVULGACAO - 8.10.14A presidente Dilma Rousseff se reuniu nesta terça-feira com senadores e governadores eleitos da base aliada (7/10) . Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma Rousseff (PT) em reunião de mobilização  para a campanha de segundo turno  (7/10). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma Rousseff (PT) participa de reunião de mobilização em Brasília, nesta terça-feira (7/10). Foto: Divulgação/PTAécio Neves participa de encontro com trabalhadores da construção civil na manhã desta terça-feira, em São Paulo (7/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilGeraldo Alckmin, governador reeleito no primeiro turno em São Paulo, participa de dia de campanha de Aécio Neves na capital paulista (7/10). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilAécio Neves faz campanha para o segundo turno e visita obras na Chácara Santo Antônio, em São Paulo, ao lado de José Serra, eleito senador, e José Aníbal (7/10). Foto: Vitor Sorano/iGAécio Neves (PSDB) cumprimenta Geraldo Alckmin, governador reeleito de São Paulo, em coletiva de imprensa na capital paulista (6/10) . Foto: Divulgação/PSDBUm dia depois das eleições, Dilma Rousseff, que disputa o segundo turno com Aécio Neves, recebe jornalistas em Brasília (6/10). Foto: Cadu Gomes/ Dilma 13Dilma chega para coletiva de imprensa depois do resultado do primeiro turno das eleições ao lado de Michel Temmer, vice em sua chapa para a Presidência (5/10). Foto: Agência BrasilPresidente e candidata Dilma Rousseff fala com a imprensa após apuração de votos que a levou para o segundo turno com Aécio Neves. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaAécio Neves (PSDB) comemora chegada ao segundo turno das eleições presidenciais em Belo Horizonte neste domingo (05). Foto: Divulgação/PSDBAo lado da esposa Letícia e de partidários, Aécio Neves participa de coletiva depois de chegar ao segundo turno das eleições presidenciais (5/10). Foto: Agência BrasilAécio Neves, candidato à Presidência pelo PSDB, em votação em Belo Horizonte (5/10). Foto: Agência BrasilDilma volta para Brasília depois de votar em Porto Alegre (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersDilma Rousseff, presidente e candidata à reeleição pelo PT, vota na manhã deste domingo em Porto Alegre. Ela foi a primeira presidenciável a votar (5/10). Foto: Felipe Dana/AP


Irmão sem defesa

A presidenta Dilma não defendeu a nomeação para um cargo comissionado na Prefeitura de Belo Horizonte do único irmão dela vivo, Igor, na gestão de Fernando Pimentel. Mas os petistas rapidamente postaram um perfil dele, publicado no jornal O Globo em 2011. Nele, Márcio Lacerda, aliado de Aécio Neves e sucessor de Pimentel, fala que Igor não continuou no cargo após o término da gestão do petista porque não quis.

Aécio se confundiu

O candidato do PSDB, Aécio Neves, se confundiu, no debate de ontem, ao dizer que o o PT foi contra as eleições diretas. Os petistas foram contra a eleição indireta, em 1985, de Tancredo Neves, avô do candidato tucano. Tancredo havia sido indicado por uma coligação de partidos.

Vereador nega agressão

A assessoria do vereador de São Paulo Coronel Telhada (PSDB) afirmou, por meio de nota, que nenhum de seus assistentes parlamentares compareceu ao debate da TV Bandeirantes, na terça-feira, e “não procede a informação que um deles teria ofendido a presidenta Dilma Rousseff”.

Recursos para portos não são aplicados

O governo destinou R$ 19 bilhões para melhorias nos acessos terrestres e aquaviários aos portos, entre 2003 a 2013, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Mas só foram efetivamente aplicados 48%, ou seja, R$ 9 bilhões - o menor percentual entre os investimentos destinados a modais. Entre os motivos, está o chamado "custo Brasil".

Indefinições no setor inibem investimentos

Outras questões ajudam a inibir investimentos. Entre elas, os retrocessos do novo marco regulatório; inconsistências na elaboração e execução de projetos e contratos para dragagens e acessos aos portos; lei de licitações defasada e insegurança jurídica. Wilen Manteli, presidente da Associação Brasileira dos Terminais Portuários, encaminhou documento com propostas de melhoria para o setor aos candidatos Dilma Rousseff e Aécio Neves.

“Só vou para arquibancada quando é jogo do Corinthians”

Lula, ex-presidente da República, ao explicar porque não acompanha os debates na plateia

*Com Leonardo Fuhrmann

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas