Tucano se recusou a comentar sumiço de documento do TCE que supostamente seria desfavorável a sua gestão em Minas

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, comparou nesta quinta-feira (16) a propaganda de Dilma Rousseff (PT) à praticada pelo nazismo. Segundo o tucano, o marqueteiro da petista parece aprendiz de Joseph Goebbels, que foi responsável pela comunicação do regime de Aldof Hitler.

"Ela (Dilma) pode seguir o seu marqueteiro, que na verdade me parece o discípulo de Goebbels, o ministro da informação nazista, que dizia que uma mentira repetida mil vezes se transforma numa verdade, mas aqui eu não vou deixar que isso aconteça", disse Aécio.

Aécio atende jornalistas em São Paulo (16/10)
Vitor Sorano/iG
Aécio atende jornalistas em São Paulo (16/10)


A afirmação foi feita após o candidato ser questionado sobre o porquê de o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais ter supostamente tirado do ar um relatório sobre a gestão de Aécio. Dilma tem acusado o tucano de investir em saúde menos do que a legislação prevê, e orientou os eleitores a comprovar a informação no site do Tribunal.

Datafolha:  Em empate técnico, Aécio tem 45 % e Dilma, 43%

Aécio afirma que a alegação de Dilma é mentirosa, mas se recusou a comentar o suposto sumiço do documento. E voltou a atacar a campanha da adversária. "Esta é a eleição mais vergonhosa da democracia brasileira"

"A campanha dela éuma fraude permanente. São notícias pela metade, inverdades em relação a dados, é uma tentativa criminosa de desconstrução dos seus adversários, porque tentou fazer isso como Eduardo, depois com Marina, mas comigo, não. A reação será na mesma altura."

Aécio se disse tranquilo com os resultados do Datafolha apontou na última quarta-feira (15) estagnação do apoio a sua candidatura em 51% das intenções de votos válidos (excluídos brancos e nulos), mesmo percentual da semana passada.

No intervalo, o tucano ganhou os apoios de Marina Silva (PSB) - terceira colocada no primeiro turno -, e de Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos. Além disso, passou a contar com o mesmo tempo de TV de Dilma, que também ficou estagnada, em 49%.

"Estou extremamente feliz com esse resultado. Há 12, 15 dias atrás, quando veio o resultado das eleições eu tinha, acima de todas as expectativas, 30 e poucos por cento. Tenho 51%. Isso significa um crescimento de mais de 17 pontos percentuais da nossa candidatura em 15 dias. Eu nunca achei que ia ser uma eleição fácil."

O presidenciável também aproveitou a oportunidade para refazer a promessa de pagar um salário mínimo a jovens que não concluíram o ensino fundamental e médio - 20 milhões atualmente, segundo ele - até que eles terminem os estudos; e de dar uma bolsa de estudos para jovens de regiões violentas para que eles concluam o ensino médio.

Também na quarta, o tucano já havia feito um aceno semelhante aos professores, ao se comprometer a ajudar Estados e municípios a pagarem o piso salarial nacional da categoria. Mas não falou em prazo.

Leia também:
Aécio promete auxiliar estados e municípios no pagamento de professores

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.