Petista evitar usar palavra 'guerra' para ilustrar nova fase corrida eleitoral; evento aos professores reuniu líderes do PT

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, disse nesta quarta-feira (15) que o segundo turno das eleições presidenciais terá clima de combate contra Aécio Neves (PSDB). "Não gosto de falar em guerra, mas até o dia 26, vai ser um permanente combate. Nós com a verdade, eles com a mentira. Nós com a esperança e eles com o ódio". A declaração foi dada em evento de apoio aos professores na região central de São Paulo. 

Mais cedo: Dilma diz que Aécio tinha blindagem da imprensa em Minas

Dilma Rousseff durante o ato de apoio dos professores nesta quarta-feira (15) em São Paulo
Ichiro Guerra/ Dilma 13
Dilma Rousseff durante o ato de apoio dos professores nesta quarta-feira (15) em São Paulo

Ela voltou ainda a manifestar repúdio diante de manifestações preconceituosas dos seus adversários tucanos no processo eleitoral. Após o resultado do primeiro turno, que eliminou Marina Silva (PSB) da disputa, um surto de mensagens preconceituosas contra nordestinos e eleitores do PT invadiu as redes sociais. Uma página da suposta comunidade médica, que foi revelada pelo iG , chegou a pregar o holocausto a nordestinos. 

Leia mais sobre as eleições:

- 'Queremos gente linda': o novo (e triste) meme das eleições 2014
- Aécio promete auxiliar estados e municípios no pagamento de professores
- Marina vai participar de ato com Aécio em breve, admite Beto Albuquerque

"Nao podemos deixar que volte aquela política de desprezo por uma parte da nossa população. Recentemente, esse desprezo se manifestou e quero manifestar o meu repúdio à visão preconceituosa contra aqueles que votaram em nós. Nós sabemos que eles são elitistas, ele sempre foram exagerar", defendeu a candidata, que aparece tecnicamente empatada com o tucano nas intenções de voto do último Datafolha.

O evento reuniu grandes nomes do PT e contou com a presença de Jorge Henrique Paim, ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ex-ministro da Saúde e candidato ao governo do Estado, e Fernando Haddad, prefeito de São Paulo.

Ataques em debate

Mais cedo no evento, em coletiva de imprensa, Dilma disse que seu rival precisa se acostumar com as críticas do seu governo em Minas Gerais. “O candidato, de fato, não está acostumado a receber críticas porque, como vocês [jornalistas] divulgam, ele tinha uma certa blindagem quando foi governador de Minas. Eu não vou considerar que seja um certo desespero do candidato”, ironizou.

Veja imagens da candidata Dilma Rousseff em campanha pelo País:

Ela foi questionada por jornalistas se não havia feito ataques muito duros ao adversário no debate da Band, realizado na terça (14). Ela justificou: “Acho engraçado essa história porque eu posso receber todas as críticas durante todo o tempo. Escutar barbaridades a respeito de várias áreas da minha campanha e até da minha atividade governamental. Eu posso passar por isso e ter que achar que isso faz parte da democracia.”

Dilma sublinhou ainda que todos os números sobre a educação e saúde pública de Minas Gerais, usados contra o tucano em debate da Band, foram extraídos de órgãos oficiais do Estado. Em relação aos aeroportos das cidades de Cláudio e Montezuma, que teriam sido construídos em terrenos da família de Aécio, as informações foram amplamente divulgadas pela imprensa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.