PT e PSDB se revezam em discurso casuístico sobre a reeleição

Por Luciana Lima - iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Aprovada no governo FHC, reeleição é rejeitada por Aécio. Dilma evita opinar e Lula diz que sempre foi contra

Embora os dois lados da disputa presidencial tenham usufruído em diferentes momentos da reeleição para cargos do Executivo, PT e PSDB estiveram sempre em lados opostos na defesa ou na condenação desta possibilidade. Nesta eleição não é diferente.

O candidato do PSDB Aécio Neves tem usado o fim da reeleição como bandeira. “Essa proposta do fim da reeleição já está nas nossas diretrizes. Eu defendo há muito tempo”, disse o candidato. No entanto, ao ser questionado sobre a possibilidade de abrir mão da própria reeleição, Aécio desconversa: "Estamos falando em teses, em projetos para o Brasil”, disse o tucano que foi reeleito em Minas Gerais como governador, em 2002.

No chumbo trocado das duas campanhas, a proposta de Aécio virou alvo da ironia da presidente Dilma Rousseff. “Eu acho interessante o fim da reeleição. Porque quem está propondo o fim da reeleição é quem criou", disse Dilma, ao ser questionada sobre o que pensa sobre o fim da possibilidade.

Divulgação
O PT de Dilma Rousseff e o PSDB de Aécio Neves se contradizem em suas posições sobre a reeleição para a Presidência da República


Para fugir da contraposição com o tucano, Dilma, por sua vez, tem evitado demonstrar uma posição fechada sobre o assunto. "Eu aceito discussão, mas eu não aceito discussão em que não estejam claros todos os termos da frase. Tem de ter sujeito, predicado, verbo, objeto direto. Quero saber a quem interessa", disse a presidente, que tem instigado a desconfiança em relação as defesas de seu adversário.

“Quero saber que negociação está por trás dessa questão da reeleição. É uma negociação entre os tucanos? É uma negociação para aumentar o mandato para cinco anos e depois prorrogar?”, questionou a presidente nesta semana.

Além do fim da reeleição, Aécio também tem defendido o aumento do mandato para cinco anos e eleições nacionais e municipais coincidentes.

Leia mais: Fim da reeleição precisa passar pelo Congresso, diz Aécio Neves

A presidente Dilma também tem usado o tema para atacar os tucanos ao remontar as suspeitas de compra de votos em 2007 para a aprovação da lei que acabou beneficiando Fernando Henrique Cardoso.

“Teríamos de nos perguntar onde estão todos os acusados de terem sido corrompidos durante o processo de aprovação. Hoje estão todos soltos”, disse Dilma em relação ao esquema que não chegou a ser investigado pelo Ministério Público Federal, segundo a presidente, por ação do “engavetador-geral da República”, apelido dado ao então procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro.

Condição

A defesa do fim da reeleição foi um dos pontos colocados pela candidata do PSB, Marina Silva, derrotada no primeiro turno, para seu apoio a Aécio, anunciado nesta semana.

Marina, que havia se comprometido a não se candidatar novamente, caso fosse eleita, chegou a colocar esta proposta para os tucanos, sem obter, no entanto, o compromisso semelhante ao seu. Mesmo assim, optou pelo apoio à Aécio no segundo turno.

Polêmica

A emenda da reeleição foi aprovada em maio de 1997, apesar dos votos contrários do PT. O primeiro presidente a ser beneficiado foi o tucano Fernando Henrique Cardoso no ano seguinte. No ano passado, quando Aécio, já de olho em na disputa presidencial, disse que encaminharia um projeto de lei para acabar com a reeleição, o ex-presidente tucano disse que não compartilhava da mesma opinião que Aécio.

"Não é a minha opinião", disse FHC, na época. "É cedo para julgar a experiência brasileira, mas há exemplos no mundo todo de que havendo uma interrupção aos quatro anos é razoável", disse o ex-presidente.

Veja mais: Dilma ironiza proposta de Aécio sobre fim da reeleição

"Quatro anos é muito pouco tempo para você fazer alguma coisa de mais duradouro. Seis anos é razoável, mas pode ser que seja errado para uma pessoa que não esteja fazendo o que o país quer”, disse. “Não vejo razão para ele estar dizendo isso agora”, criticou FHC a ideia colocada por Aécio.

Já o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após ter sido reeleito em 2006, tentou se esquivar de emitir opinião. Lula disse que não queria comentar, mas já comentando. "Não me peçam opinião que eu não vou dar. Esse é um problema dos partidos políticos, é um problema do Congresso. Eu quero que os partidos resolvam isso, que os candidatos em 2010 resolvam", disse Lula no programa “Café com o Presidente” produzido pela NBR.

"Todo mundo sabe o que eu pensava em 2006, eu sempre fui contra a reeleição. Acontece que tem o instituto da reeleição e eu sou um presidente reeleito, portanto, eu não posso agora dar palpite", esquivou-se.

“Ingenuidade”

Já em março de 2011, início do governo de Dilma, o ex-ministro José Dirceu, em um seminário do PT apontou o que chamou de “ingenuidade” do PT em relação ao fim da reeleição, tese defendida pelos tucanos. “Eles querem acabar com a reeleição porque esse é o momento do nosso ciclo histórico”, disse o deputado cassado, hoje preso por envolvimento no esquema conhecido como mensalão.

“Vamos deixar de ser ingênuos, nós é que temos iniciativa, hegemonia, ofensiva para poder nos reeleger”, defendeu Dirceu.

Dilma exibe comprovante de votação (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersDilma volta para Brasília depois de votar em Porto Alegre (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersAécio e Leticia na votação. Foto: Washington Alves/ReutersMarina Silva, candidata à Presidência pelo PSB, posa para fotos depois de votar em Rio Branco, no Acre (5/10). Foto: Sergio Moraes/ReutersMarina Silva dá beijo no pai, Pedro Augusto Silva, em seu colégio eleitoral em Rio Branco (5/10). Foto: Sergio Moraes/ReutersLuciana Genro, candidata à Presidência pelo PSOL, vota na Escola Estadual Apeles, no bairro Santana, em Porto Alegre (5/10). Foto: Jovanir Medeiros/Futura PressDilma Rousseff participa de carreata em Porto Alegre no último dia de campanha para o primeiro turno (4/10). Foto: Felipe Dana/APAécio Neves encerrou a campanha para o primeiro turno das eleições com caminhada em cidades mineiras (4/10). Foto: Paulo Tavares/Coligação Muda BrasilMarina Silva chega a Rio Branco, no Acre, para eleição deste domingo. Ela vota na cidade (4/10). Foto: Sergio Moraes/ReutersPedro Augusto Silva, pai da candidata Marina Silva, e Maria Lucia, irmã da socialista, esperam a chegada de Marina no aeroporto de Rio Branco (4/10). Foto: Sergio Moraes/ReutersÚltima manhã de campanha de Marina Silva antes do primeiro turno foi em São Paulo (4/10). Foto: Nelson Antoine/APDilma Rousseff faz carreata em São Paulo ao lado de Lula, Suplicy, Fernando Haddad e Alexandre Padilha (3/10). Foto: Ricardo Stuckert/PROs sete presidenciáveis posam antes de debate no complexo de estúdios da Globo no Rio, o Projac (2/10). Foto: APMarina Silva assiste à apresentação de dança na comunidade de Paraisópolis, em são Paulo (1/10). Foto: Vagner Campos / MSILVA OnlineAécio Neves faz caminhada em Mogi das Cruzes, em São Paulo (1/10). Foto: Marcos Fernandes/ Coligação Muda BrasilMultidão se reúne para caminhada de Aécio Neves e outros candidatos do PSDB em Juiz de Fora, em Minas Gerais (1/10). Foto: Nereu JR/Coligação Todos Por MinasFilho de Eduardo Campos participa de comício de Marina Silva em Recife (29/9). Foto: Vagner Campos / MSILVADebate entre candidatos à Presidência na Record (28/9). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13Dilma Rousseff (PT) faz campanha no bairro paulista do Campo Limpo com Alexandre Padilha, candidato petista ao governo de SP, e com o ex-presidente Lula (29/09). Foto: Divulgação/PTRonaldo ataca mais uma vez de cabo eleitoral de Aécio Neves em caminhada em Osasco ao lado de Geraldo Alckmin, candidato à reeleição ao governo de SP (27/9). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilAlexandre Frota também participa de campanha de Aécio Neves em Osasco, na Grande São Paulo (27/9). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilAo lado de Agnelo Queiroz, Dilma anda de BRT Expresso em Brasília e conversa com eleitores (27/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Ao lado do governador do Paraná e candidato à reeleição no Paraná, Beto Richa, Aécio Neves faz campanha em São José dos Pinhais (26/9). Foto: Igo Estrela/Coligação Muda BrasilMarina Silva acompanha apresentação de capoeira na a CUFA (Central Única de Favelas), no Rio (25/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineAécio Neves vira gaúcho em dia de campanha Caxias do Sul ao lada senadora Ana Amélia, candidata ao governo do Rio Grande do Sul pelo PP (25/9). Foto: Marcos Fernandes/ Coligação Muda BrasilMarina Silva faz selfie depois de agenda de campanha em Porto Alegre (24/9). Foto: Vagner Campos / MSILVA OnlineDilma Rousseff,  candidata à reeleição  pelo PT, durante dia de campanha em Ribeirão das Neves, em Minas Gerais (22/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Ao lado de Giovane, do vôlei, e outros candidatos, Aécio faz carreata em Betim (MG) (22/9). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilAécio veste chapéu e ganha imagem de Padre Cícero durante visita a Feira de São Cristóvão, que reúne tradições nordestinas, no Rio de Janeiro (21/9). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilDilma Rousseff faz campanha em São Paulo ao lado dos petistas Alexandre Padilha, candidato ao governo, e Eduardo Suplicy, candidato ao Senado (20/9). Foto: Paulo Pinto/AnaliticaAo lado de Paulo Souto, candidato ao governo na Bahia pelo PSDB, Aécio Neves faz corpo a corpo com eleitores em Itabuna (18/9). Foto: Valter Pontes/CoperphotoAtor Marcos Palmeira e cantor Gilberto Gil ao lado de Marina Silva em encontro com artistas na escola de cinema Darcy Ribeiro, no Rio (17/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineAtor Marcos Nanini também demonstra apoio à Marina Silva em evento com artistas no Rio de Janeiro (17/9). Foto: Vagner Campos / MSILVAOtávio Muller é mais um ator da Globo no encontro da candidata do PSB com artistas na escola de cinema Darcy Ribeiro, no Rio (17/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineDilma posa para fotos durante campanha em Campinas, em São Paulo (17/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Aécio Neves, Marina Silva e Dilma Rousseff participam de debate na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, na cidade paulista de Aparecida (16/09). Foto: DIVULGAção/PSBEncontro de artistas com Dilma Rousseff no Rio de Janeiro (15/9). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasMarina Silva fala com representantes do setor cultural e recebe apoio do cantor Gilberto Gil (15/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineDinho Ouro Preto, vocalista da banca de rock Capital Inicial, faz selfie com Marina Silva em evento em São Paulo (15/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineDilma vai ao lançamento do Livro “Um país chamado favela”, no Rio de Janeiro, e arrisca passos de funk com membros da comunidade (15/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Ao lado de Ronaldo, Aécio Neves dança no lançamento do livro 'Um país chamado favela', em Madureira, no Rio de Janeiro (14/9). Foto: Igo Estrela/Coligação Muda BrasilMarina recebe carinho de seu vice Beto Albuquerque durante discurso em Ceilândia, no Distrito Federal (14/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineMarina Silva faz discurso em João Pessoa, na Paraíba (14/9). Foto: Leo Cabral / PSBDilma tem encontro com juventude em Belo Horizonte, Minas Gerais (13/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff sai em carreata em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, ao lado de Lindgerb Farias, candidato ao governo do estado pelo PT (12/9). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasDilma é entrevistada pela RedeTV/iG no Palácio da Alvorada, em Brasília (11/09). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13Cartazes para Dilma Rousseff são exibidos durante comício em Belém, no Pará (10/9). Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaLula participa de comício de Dilma Rousseff em Belém, no Pará (10/9). Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaAécio Neves, presidenciável pelo PSDB, participa de um encontro com a juventude em Belo Horizonte (MG) (11/9). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilAécio faz carreata ao lado do candidato a governador, Pimenta da Veiga, e do candidato ao Senado, Antônio Anastasia, em Montes Claros (MG) (11/9). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilMarina Silva, candidata do PSB à Presidência, visita o Projeto Casa de Isabel, zona leste de São Paulo (11/09). Foto: Leo Cabral/ MSILVA OnlineMarina Silva chega para campanha nas ruas de Betim, em Minas Gerais (9/9). Foto: Leo Cabral/ MSILVA OnlineDilma posa para foto com estudantes durante cerimônia de lançamento da 2ª etapa do CsF. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR Dilma Rousseff fala com jornalistas nesta quarta-feira (10), em Brasília . Foto: Divulgação/PTMarina Silva sorri durante compromisso de campanha em Belo Horizonte (9/9). Foto: Leo Cabral/ MSILVA OnlineCandidata participa do lançamento da casa de Beto e Marina m Guarulhos (SP), um dos comitês de campanha (5/9). Foto: DivulgaçãoMarina Silva faz campanha em Vitória da Conquista, na Bahia (7/9). Foto: DivulgaçãoAo lado do candidato à releição pelo RS, Tarso Genro (PT), Dilma Rousseff Dilma Rousseff visita à 37ª EXPOINTER (05/09). Foto: Divulgação/PTOs candidatos à Presidência da República, durante o debate realizado pelo SBT (01/09). Foto: Alice Vergueiro / Futura PressAécio Neves joga futebol no evento "Futebol entre Amigos" promovido pelo ex-jogador Zico, no Rio de Janeiro (31/8). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilAécio toma café da manhã com operários em São Paulo (28/8). Foto: Marcus Fernandes/Coligação Muda BrasilAo lado de Alckmin, Aécio Neves visita à Estação Vila Prudente, da Linha 15 Prata do monotrilho, em São Paulo (29/8). Foto: Ana Flavia Oliveira/iGDebate da TV Band é o primeiro encontro entre os concorrentes à Presidência da República (26/8). Foto: Marcos Bezerra/Futura PressMarina posa para fotos ao lado de eleitores no Centro de Tradições Nordestinas, em São Paulo (25/8). Foto: DIVULGAção/PSBAécio visita o abrigo Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e dança com uma das moradoras do local (24/8). Foto: Igo Estrela/ObritoNewsAécio e ACM Neto, prefeito de Salvador, fazem parada em igreja durante campanha na capital da Bahia (23/8). Foto: Igo Estrela/PSDBDilma Rousseff, candidata à releição pelo PT, faz viagem de trem em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul (22/08). Foto: Divulgação/PTCandidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff visita vistoria obras da transposição do Rio São Francisco com ex-presidente Lula (21/08). Foto: Divulgação/PTDilma Rousseff aparece cozinhando na primeira semana de horário eleitoral (19/8). Foto: ReproduçãoBeto Albuquerque, Roberto Amaral, Marina Silva e  Rodrigo Rollemberg no lançamento oficial da nova chapa presidencial do PSB,em Brasília (20/08). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaAécio Neves (PSDB) visita Unidade da Polícia Pacificadora (UPP) da Comunidade de Santa Marta,no Rio de Janeiro (18/08). Foto: Divulgação/PSDBDilma Rousseff cumprimenta Marina Silva, que era candidata à vice na chapa de Eduardo Campos (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersComitiva do PT em carreata por Osasco. Na foto aparecem Dilma, Padilha, Marta e Eduardo Suplicy (9/8). Foto: Paulo Pinto/AnaliticaDilma almoça na Usina de Belo Monte (5/8). Foto: Ichiro Guerra/Fotos PúblicasA presidente Dilma Rousseff e o governador paulista Geraldo Alckmin participaram da inauguração do Templo de Salomão nesta quinta (31), em SP . Foto: Divulgação/Igreja Universal Dilma cumprimenta baiana em convenção do PT em Salvador (27/6). Foto: Heinrich Aikawa/Instituto LulaAécio Neves e a mulher, Leticia Weber, deixam hospital com o pequeno Bernardo no colo, no Rio de Janeiro (10/8). Foto: Reprodução/InstagramAécio Neves, presidenciável do PSDB, joga sinuca com eleitores na cidade de Botucatu, em São Paulo (08/07). Foto: Divulgação/PSDBAécio Neves dança com Ana Amélia, candidata do PP ao ao governo do Rio Grande do Sul em encontro em Porto Alegre (2/8). Foto: Igo Estrela/ObritoNewsCandidato faz uma oração no Memorial Padre Cícero, em Juazeiro do Norte, no Ceará (20/7). Foto: Igo Estrela/PSDBPastor Everaldo, candidato do PSC à Presidência (22/7). Foto: Divulgação/PSCPastor Everaldo participa de caminhada em Osasco e dá entrevistas para jornal local (23/7). Foto: Facebook/Pastor EveraldoCandidato do PSC à Presidência participa da Missão Carismática Brasileira (21/7). Foto: Facebook/Pastor EveraldoCandidata à presidente Luciana Genro (PSOL) grava programa eleitoral em Porto Alegre (22/7). Foto: Divulgação/PSOLLuciana Genro caminha por Santo André, região do Grande ABC de São Paulo (19/7). Foto: Facebook/Luciana GenroZé Maria, representante do PSTU na disputada pela Presidência, em agenda de campanha em Curitiba (22/7). Foto: Divulgação/PSTUEduardo Jorge, representante do PV, registra candidatura à Presidência no TSE (3/7). Foto: Divulgação/PVEymael é o candidato à Presidência da República pelo PSDC (29/6). Foto: PSDC Levy Fidelix, candidato à Presidência pelo PRTB, deve começar campanhas nas ruas em agosto. Foto: Facebook/Levy FidelixEduardo Campos era candidato e morreu em acidente aéreo em Santos no dia 13. Ele comemorou aniversário durante campanha em Alagoas (8/8). Foto: PSB

Uso da máquina

O principal argumento entre os contrários à reeleição é a tese de que a máquina pública influencia de forma quase determinante nas eleições. O autor da emenda que instituiu a reeleição, o deputado federal Mendonça Filho (DEM-PE), diz que sua própria experiência política demonstrou que nem sempre estar no poder é garantia de se manter.

Mendonça Filho foi governador de Pernambuco durante nove meses, entre abril e dezembro de 2006, dando continuidade à gestão de Jarbas Vasconcelos, de quem era vice. Ele tentou sua reeleição, no entanto, perdeu no segundo turno para o então deputado federal e ex-ministro da Ciência e Tecnologia Eduardo Campos. Sua eleição como vice de Jarbas tirou o mandato do avô de Campos, Miguel Arraes, do campo político oposto ao seu. “Houve a alternância de poder, por decisão de sua excelência: o povo”, argumentou Mendonça, que hoje é líder da bancada do DEM na Câmara e apoiador de Aécio.

“Costumo dizer que experimentei o lado bom e o lado ruim da reeleição. O lado bom foi quando tiramos o governo de Miguel Arraes, eu como vice. O lado ruim foi quando perdi para Eduardo Campos. Mesmo assim, ninguém ainda me convenceu que a reeleição é ruim. É quase um referendo. É uma forma de o povo dizer se tal governo foi bom ou ruim”, defendeu o deputado, que hoje lidera o DEM na Câmara e é aliado de Aécio.

Dilma x Aécio: Veja diferenças e semelhanças nas propostas dos dois candidatos

Para Mendonça Filho, a reeleição permitiu aos governos terem uma visão de médio e longo prazo, que não existia antes. Ele cita como exemplo a primeira reforma da Previdência feita por FHC e depois, a feita por Lula.

“Se FHC ou Lula soubessem que só ficariam quatro anos, não fariam. Eles fizeram porque sabiam que poderiam usufruir das mudanças depois. Senão, deixariam sempre para o próximo governante”, considerou o líder que está preparando uma proposta para, segundo ele, aperfeiçoar a reeleição e, de quebra, impedir uma possível candidatura de Lula em 2018.

A nova proposta tem o objetivo de impedir que ex-presidentes, inclusive os que foram reeleitos, possam se candidatar novamente. “É como funciona hoje nos Estados Unidos. Os presidentes podem se reeleger, mas depois, nunca mais, voltarão a se candidatar para aquele cargo”, explicou. “O que é o governo da Dilma senão um terceiro mandato de Lula”, argumentou o deputado.

Leia tudo sobre: Eleições 2014Dilma RousseffAécio NevesLulaFHCPTPSDB

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas