Candidata do PT disse que rival tucano não está acostumado a receber críticas sobre sua atuação como governador no Estado

A presidente Dilma Rousseff (PT) disse nesta tarde de quarta-feira (15), em São Paulo, que seu adversário Aécio Neves (PSDB) precisa se acostumar com as críticas do seu governo em Minas Gerais. “O candidato, de fato, não está acostumado a receber críticas porque, como vocês [jornalistas] divulgam, ele tinha uma certa blindagem quando foi governador de Minas. Eu não vou considerar que seja um certo desespero do candidato”, ironizou a candidata à reeleição.

Pesquisa de voto: Em empate técnico, Aécio tem 45 % e Dilma, 43%, aponta Datafolha

Dilma Rousseff durante o ato de apoio dos professores nesta quarta-feira (15) em São Paulo
Ichiro Guerra/ Dilma 13
Dilma Rousseff durante o ato de apoio dos professores nesta quarta-feira (15) em São Paulo

A declaração foi dada pela presidente em coletiva no evento do PT em homenagem ao Dia do Professor, na região central da capital. Na ocasião, a petista foi questionada se não havia feito ataques muito duros ao adversário no debate da Band, realizado na terça (14). Ela justificou: “Acho engraçado essa história porque eu posso receber todas as críticas durante todo o tempo. Escutar barbaridades a respeito de várias áreas da minha campanha e até da minha atividade governamental. Eu posso passar por isso e ter que achar que isso faz parte da democracia.”

Leia mais sobre as eleições:

- 'Queremos gente linda': o novo (e triste) meme das eleições 2014
Aécio promete auxiliar estados e municípios no pagamento de professores
Marina vai participar de ato com Aécio em breve, admite Beto Albuquerque

Dilma sublinhou ainda que todos os números sobre a educação e saúde pública de Minas Gerais, usados contra o tucano em debate da Band, foram extraídos de órgãos oficiais do Estado. Em relação aos aeroportos das cidades de Cláudio e Montezuma, que teriam sido construídos em terrenos da família de Aécio, as informações foram amplamente divulgadas pela imprensa.

Em coletiva com os jornalistas, Dilma aproveitou citar sua satisfação com o índice de geração de empregos no Brasil no mês de setembro. Segundo a petista, foram geradas 123.785 vagas com carteira assinada naquele mês. “Isso diante de uma grave crise internacional”, observou a candidata, acrescentando ainda que “a situação volta a se apertar na União Européia, em especial na Alemanha, com recessão de emprego e queda na produção”.

Veja imagens da candidata Dilma Rousseff na disputa presidencial:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.