Tucano rasgou elogios a Marina Silva, a quem já chamou de metamorfose ambulante, e diz que a encontrará nesta semana

Dilma está 'à beira de um ataque de nervos', diz Aécio durante ato político em Curitiba
Igo Estrela/PSDB - 13.10.2014
Dilma está 'à beira de um ataque de nervos', diz Aécio durante ato político em Curitiba

O candidato do PSDB à presidência da República, Aécio Neves , afirmou estar interessado nos votos de Dilma Rousseff (PT) nesse segundo turno. Um dia depois de obter o apoio da ex-candidata do PSB, Marina Silva , o tucano afirmou que irá atrás “daqueles que eventualmente votaram na atual candidata (Dilma)”. O senador mineiro não perdeu a chance de alfinetar a adversária ao dizer que a presidente “é uma candidata à beira de um ataque de nervos” ao responder sobre os três debates programados para esta semana.

“Estou aqui hoje no Paraná pedindo apoio de cada um e de cada uma que estiveram conosco no primeiro turno e também daqueles que tiveram e daqueles outros que não chegaram conosco no primeiro turno, mas que querem a mudança. E vou até além, quero também o voto daqueles que eventualmente votaram na atual candidata e estão vendo que eles não têm mais condições de governar. Venham todos para fazermos um Brasil honrado, digno e eficiente para todos os brasileiros”, provocou Aécio.

Poucos dias depois de ser alvo de críticas por não ter lançado um programa de governo, o que rendeu até uma saia justa com Eduardo Jorge (PV) , Aécio fez exatamente esta crítica a Dilma. “Construímos um projeto para o Brasil, o nosso programa foi divulgado. Agora sou eu que digo: a candidata oficial não tem sequer um programa para apresentar para o Brasil. É um grande salto no escuro. Qual será sua política econômica se vencer? A reedição dessa que fracassou? Uma nova que desminta tudo o que foi feito até agora? Que caminho ela vai?”, questionou ele, que lançou seu programa de governo na última semana antes do primeiro turno.

Tucano está em lua de mel com Marina
Os atritos de Marina com Aécio estão totalmente superados nos discursos depois do anúncio de apoio da ex-candidata do PSB. Enquanto os dois batiam boca durante o primeiro turno sobre questões como o mensalão, critérios adotados por Marina em nomeações para o Ministério do Meio Ambiente e suposta compra de votos da reeleição, hoje a relação é só carinho. O tucano, que no passado recente se referiu a Marina como “metamorfose ambulante que altera suas convicções ao sabor das circunstâncias” e declarou em referência à neoaliada que o “Brasil não é para amadores”, atualmente é só elogios.

Leia também: Marina declara apoio a Aécio Neves

“A forma como a Marina veio honra a boa política brasileira. Não pediu absolutamente nada, não se insinuou em absolutamente nada, em relação a cargos, ao espaço de governo. Algo muito maior que nós estamos fazendo. O nosso ponto de convergência é a compreensão que temos de que, para o Brasil, é absolutamente essencial encerrarmos esse ciclo de governo que aí está e introduzirmos o outro”, disse o senador mineiro.

Segundo Aécio, um encontro entre os dois deve ocorrer ainda essa semana. “Não definimos ainda o dia. Falei com ela por telefone mais uma vez depois do evento e liguei pessoalmente para ela pra agradecer a clareza da sua manifestação. Para mim, acreditem nisso, os que me conhecem mais de perto sabem o que eu estou dizendo, ela me tocou fundo no meu coração porque não é um apoio eleitoral, uma manifestação formal, é uma decisão dela, obviamente não era consenso absoluto no seu entorno, mas é uma decisão dela, corajosa, a favor do Brasil”, declarou ele.


Confronto direto: No 1º debate, Dilma comparará governos; Aécio fará proposta e apresentará apoios


Discreta: "Não sou uma pessoa pública", diz ex-modelo e mulher de Aécio


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.