Maior diferença pró tucano se dá no centro oeste: 55% contra 33%; No Nordeste, petista tem 60% ante 31% do tucano

O instituto Datafolha divulgou nesta sexta-feira (10) mais detalhes da primeira pesquisa à sucessão presidencial no segundo turno. Segundo o levantamento, o tucano Aécio Neves está a frente da petista Dilma Rousseff em três das cinco regiões do País. 

Dilma Rousseff e Aécio Neves disputam o segundo turno das eleições presidenciais
Reprodução
Dilma Rousseff e Aécio Neves disputam o segundo turno das eleições presidenciais

Leia mais:  Datafolha: PSDB está à frente do PT em início de 2º turno pela 1ª vez desde 2002

Ibope: Aécio e Dilma estão em empate técnico, mas tucano tem liderança numérica

Aécio admite mudar programa sem "abdicar do que acreditamos"

Na contramão de países desenvolvidos, Dilma e Aécio negam legalização do aborto

Na região Sudeste, que concentra os maiores colégios eleitorais (São Paulo, Minas e Rio de Janeiro) o tucano alcança 55% da preferência do eleitorado contra 31% da adversária. Brancos e nulos somam 5% e os indecisos 6%.

No Centro Oeste, o tucano impóe sua maior diferença percentual contra a petista: 55% contra 33%. O tucano também tem vantagem no Sul: 50% ante 41% da candidata à reeleição. A região apresenta o maior índice do País de eleitores que ainda não sabem em quem votar: 8%. Brancos e nulos somam 3%. 

Tradicional reduto eleitoral do PT, a região Nordeste dá ampla vantagem para a presidente: são 60% das intenções de voto contra 31% do tucano. Brancos e nulos somam 3% e indecisos atingem 5% dos entrevistados.

No Norte, Dilma impõe 56% ante 37% de Aécio. Na região, brancos, nulos e indecisos somam 6%.  

Veja a galeria de imagens da disputa presidencial no 2º turno: 


A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo. O instituto Datafolha ouviu 2.879 eleitores nos dias 8 e 9 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01068/2014.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.