Presidente reagiu à fala do ex-presidente de que o eleitor do PT é menos informado

A presidente Dilma Rousseff criticou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso dizendo que ele demonstra uma “visão elitista” do Brasil quando diz que os que votam no PT são eleitores mal informados.

“Eu fico estarrecida e eu escuto esta história há muitos anos. Sabe o que acontecia no Brasil quando diziam que o povo não sabia votar? Não tinha eleição”, disse a presidente se referindo ao período da ditadura militar. “Eu acho lamentável porque é uma visão elitista do país”, reagiu a presidente.

A consideração de Dilma se deu em reação à afirmação feita pelo ex-presidente de que “o PT está fincado nos menos informados, que coincide de ser os mais pobres”.

Leia mais: ‘Menos informados’ votam no PT, diz Fernando Henrique

A presidente Dilma se reuniu nesta terça-feira com senadores e governadores eleitos da base aliada
Alan Sampaio / iG Brasília
A presidente Dilma se reuniu nesta terça-feira com senadores e governadores eleitos da base aliada


“A visão mais atrasada do mundo é não perceber que cada um dos 202 milhões é importante”, retrucou Dilma, após participar de um encontro em Brasília com governadores e senadores eleitos, além de candidatos aliados que disputam o segundo turno em seus estados.

“Eu fico estarrecida quando eu escuto esta história que o povo não sabe votar. Eu escutei muito que o povo não sabia votar. E quando o povo não sabia votar, vocês sabem o que é que acontecia no Brasil né? Não tinha eleição”, disse. “Essa história que o povo não sabe votar porque não se formou em uma universidade é uma falácia, uma mentira”.

Durante o encontro, Dilma, falou da necessidade de fazer a comparação de projetos com o PT com o PSDB. Sua campanha resgatará a estratégia do início do primeiro turno de comparar o governo tucano com o período do PT.

“Na medida em que os dois candidatos tem governos que os respaldam, ele, o do Fernando Henrique e eu, os oito anos do presidente Lula e os quatro anos meus, devemos debater em alto nível projetos para o país baseado também naquilo que já fizemos”, disse Dilma.

A presidente destacou alguns projetos que considera fundamentais para a campanha de segundo turno. Na lista, afirmou, estão o Pronatec e o Mais Especialidades.

A presidente disse que sua campanha tem um plano específico para São Paulo, inclusive com propostas pensadas especialmente para o maior colégio eleitoral o país, onde Aécio Neves a venceu. “Eu pretendo dar toda atenção a São Paulo, olhar com muito cuidado, inclusive com propostas específicas para São Paulo e abrir o máximo possível o debate, a discussão e a comunicação com todos os setores em São Paulo, sem exceção”, disse Dilma.

Em São Paulo, Aécio obteve 44,22% dos votos, enquanto Dilma obteve 25,82%. Ela evitou falar sobre os motivos de ter ficado bem abaixo do tucano no Estado. “Meu diagnóstico é assim simples, eu não tive voto né. Não tem diagnóstico mais simples e mais humilde. Diagnostico que não tive voto. Voto, a gente pode fazer todas as suposições, mas tem que partir deste principio”, disse a presidente que aproveitou para alfinetar seu adversário, que perdeu para ela em Minas Gerais, estado natal dos dois.

Leia também: Disputa presidencial gera surto de preconceito contra nordestinos

“Fiquei muito feliz por ter ganhado em meu estado natal. Quem me conhece votou em mim”, disse Dilma.

Ao se referir ao apoio que a candidata do PSB, Marina Silva, derrotada no primeiro turno, que deverá anunciar na próxima quinta-feira (9), sua posição, a presidente Dilma disse que “ninguém é dono do eleitor”.

“Ninguém pode abrir mão de apoio de ninguém, principalmente em uma eleição, mas também sei, pela experiência política que ninguém e dono do eleitor”, rebateu Dilma.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.