Na dança das cadeiras, tucanos e petistas ficam com saldo negativo enquanto outros partidos aumentam representantes; cinco candidatos se reelegem

O resultado das eleições deste ano mostra que tucanos e petistas perderam espaço no Senado
Gustavo Lima / Câmara dos Deputados
O resultado das eleições deste ano mostra que tucanos e petistas perderam espaço no Senado

A partir da eleição deste domingo (5), 27 políticos eleitos mudam a configuração do Senado e renovam a formação da casa. Na dança das cadeiras, destacam-se os saldos negativos de partidos como PSDB e PT, que perderam dois e um representantes, respectivamente.

Nesse cenário, conquistam espaço legendas como PSB e PMDB, que ganharam duas e uma cadeira, respectivamente. 

Renovado em um terço nestas eleições, o Senado assume uma nova formação com os 27 parlamentares eleitos neste domingo (5).

Destaque para o fim do ciclo de 24 anos do senador Eduardo Suplicy (PT-SP ), que deixa um importante espaço na bancada do Partido dos Trabalhadores. Nos últimos 12 anos, o político conseguiu manter-se "acima do bem e do mal", distante dos escândalos de corrupção que povoaram os governos petistas, mas a boa reputação tão enfatizada durante a campanha eleitoral não foi o bastante para garantir sua permanência.

Na cadeira de Suplicy, entra José Serra (PSDB-SP). O tucano retorna com o mesmo feito de 20 atrás, em seu primeiro mandato de senador: assim como em 1994, foi o candidato mais votado nestas eleições, com mais de 11 milhões de votos.

Figurões de volta

Ao lado de Serra, figurões como Álvaro Dias (PSDB-PR) e Tasso Jereissati (PSDB-CE) também estão de volta à Casa para reforçar a bancada tucana.

Novatos supervotados

Dois novatos no Senado, porém famosos personagens fora da Casa, roubaram a cena registrando números expressivos nas urnas: Romário (PSB-RJ) teve quase 4,7 milhões de votos, pouco menos que o estreante Antonio Anastasia (PSDB-MG ), que obteve 5,1 milhões de votos após renunciar ao governo de Minas Gerais para se dedicar à campanha.


Veja quem entra e quem deixa o Senado:

Acre, entra Gladson Cameli (PP) e sai Aníbal Diniz (PT)
Alagoas, Fernando Collor (PTB) se reelege*
Amapá, entra Davi Alcolumbre (DEM) e sai José Sarney (PMDB)
Amazonas, entra Omar Aziz (PSD) e sai Alfredo Nascimento (PR)
Bahia, entra Otto Alencar (PSD) e sai João Durval (PDT)
Ceará, entra Tasso Jereissati (PSDB) e sai Inacio Arruda (PC do B)
Distrito Federal, entra Antônio Reguffe (PDT) e sai Gim (PTB)
Espírito Santo, entra Rose de Freitas (PMDB) e sai Ana Rita (PT)
Goiás, entra Ronaldo Caiado (DEM) e sai Ciro Miranda (PSDB)
Maranhão, entra Roberto Rocha (PSB) e sai Epitácio Cafeteira (PTB)
Mato Grosso, entra Wellington Fagundes (PR) e sai Jaime Campos (DEM)
Mato Grosso do Sul, entra Simone Tebet (PMDB) e sai Rubem Figueiró (PSDB)
Minas Gerais, entra Antonio Anastasia (PSDB) e sai Antonio Aureliano (PSDB)
Pará, entra Paulo Rocha (PT) e sai Mario Couto (PSDB)
Paraíba, entra José Maranhão ( PMDB) e sai Cícero Lucena (PSDB)
Paraná, Álvaro Dias (PSDB) se reelege*
Pernambuco, entra Fernando Bezerra (PSB) PE e sai Jarbas Vasconcellos (PMDB)
Piauí, entra Elmano (PTB) e sai João Vicente Claudino (PTB)
Rio de Janeiro, entra Romário (PSB) e sai Francisco Dornelles (PP)
Rio Grande do Norte, entra Fátima (PT) e sai Ivonete Dantas (PMDB)
Rio Grande do Sul, entra Lasier Martins (PDT) e sai Pedro Simon (PMDB)
Rondônia, Acir Gurgacz (PDT) se reelege*
Roraima, entra Telmário Mota (PDT) e sai Mozarildo Cavalcanti (PTB)
Santa Catarina, entra Dário (PMDB) e sair Casildo (PMDB)
São Paulo, entra José Serra (PSDB) e sai Eduardo Suplicy (PT)
Sergipe, Maria do Carmo (DEM) se reelege*
Tocantins, Katia Abreu (PMDB) se reelege*

*cinco candidatos reeleitos

Os senadores eleitos – em imagens:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.