Sétima eleição presidencial direta é a mais incerta de todas elas

Por Vitor Sorano - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Pela primeira vez, dois candidatos disputam lugar em um segundo turno que pode sequer não ocorrer

O Brasil realiza neste domingo (5) sua sétima eleição presidencial direta desde a redemocratização e, possivelmente, a mais imprevisível de todas, com Dilma Rousseff (PT), a atual presidente, a ex-senadora Marina Silva (PSB) e o senador Aécio Neves (PSDB) como os três candidatos mais bem colocados.

Desde 1989, a eleição presidencial não chega à véspera da votação com dois candidatos embolados na 2ª posição, disputando um segundo turno que sequer está  garantido. Segundo levantamento do iG em pesquisas de véspera de votação realizadas pelo Instituto Datafolha, esse cenário é inédito.

Divulgação
Marina, Aécio e Dilma: eleição deste ano tem três nomes com chances de chegar ao 2º turno

Dúvidas? Confira o Guia do Eleitor 2014

Com isso, três cenários podem sair das urnas hoje: vitória de Dilma no primeiro turno, algo que não ocorre desde 1998 com a reeleição de Fernando Henrique Cardoso (PSDB); segundo turno entre Dilma e Aécio, que já chegou a estar 20 pontos atrás das duas adversárias; e segundo turno entre Dilma e Marina, que já esteve empatada tecnicamente com a petista na liderança, mas desidratou em ritmo acelerado nas últimas semanas.

Segundo o último Datafolha, divulgado neste sábado (4), Dilma lidera com uma margem de 16 pontos sobre Aécio nas inteções de voto totais (incluídos brancos e nulos). A vantagem é a mais apertada desde 2006, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) levava 11 pontos à frente do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), contra quem disputou e venceu o segundo turno.

Aécio, entretanto, está apenas dois pontos à frente de Marina neste ano - Alckmin tinha 27 pontos sobre Heloísa Helena (PSOL). A vantagem do senador, neste ano, configura empate técnico entre o segundo e o terceiro colocados da disputa, algo que não ocorria desde 1989, quando Lula tinha 15% dos votos válidos contra 14% do ex-governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola (PDT), enquanto Fernando Collor (PRN) registrava 26%.

Essa competitividade quase inédita é explicada, em parte, por um acontecimento inédito: a morte de um candidato à Presidência durante o período de campanha. Em 13 de agosto, o avião que levava o ex-governador Eduardo Campos, o então presidenciável do PSB, caiu em Santos, no litoral paulista. Ele e outras seis pessoas morreram

Tragédia na eleição: Cobertura completa da morte de Eduardo Campos

Campos foi substituído por Marina, então candidata a vice. Apresentando-se como terceira via entre PT e PSDB e representante do movimento que tomou as ruas do País em junho de 2013 - numa ocupação política dos espaços públicos comparável à que exigia o impeachment de Fernando Collor em em 1992 e à campanha pelas Diretas Já em 1984 - a ex-senadora fez a chapa do PSB disparar do terceiro lugar a um empate numérico na liderança da corrida presidencial com Dilma, que até então parecia inalcançável.

A nova configuração do cenário jogou o PSDB para o terceiro lugar na disputa presidencial, posição que o partido ainda pode estar ocupando - já que está em empate técnico com o PSB - e que é uma novidade para o partido. Os tucanos nunca ficaram em terceiro lugar às vésperas da eleição desde que começaram a disputar a presidência em 1994, com Fernando Henrique Cardoso.

Eleições 2014: Acompanhe no iG

Duas semanas depois de alcançar a liderança compartilhada, entretanto, Marina começou a perder apoio. O fenômeno é atribuído por ela aos ataques de ambos adversários, mas a própria ex-senadora ofereceu armas contra si ao voltar atrás em pontos de seu programa de governo, como o combate à homofobia.

A queda foi rápida. Da pesquisa de 28 e 29 de agosto, que apontou a ex-senadora com os mesmos 34% de Dilma, até a de 3 e 4 de outubro, passou-se pouco mais de um mês. O intervalo foi suficiente para Marina perder 12 pontos e chegar à véspera da eleição com 22% das intenções de voto.

Aécio fez o caminho inverso e, do fundo do poço de 14% a que caiu em 28 a 29 de agosto, disparou dez pontos e chega à véspera do pleito com 24% das intenções de voto.

Veja imagens dos candidatos à Presidência durante a campanha:

Dilma Rousseff faz carreata em São Paulo ao lado de Lula, Suplicy, Fernando Haddad e Alexandre Padilha (3/10). Foto: Ricardo Stuckert/PROs sete presidenciáveis posam antes de debate no complexo de estúdios da Globo no Rio, o Projac (2/10). Foto: APMarina Silva assiste à apresentação de dança na comunidade de Paraisópolis, em são Paulo (1/10). Foto: Vagner Campos / MSILVA OnlineAécio Neves faz caminhada em Mogi das Cruzes, em São Paulo (1/10). Foto: Marcos Fernandes/ Coligação Muda BrasilMultidão se reúne para caminhada de Aécio Neves e outros candidatos do PSDB em Juiz de Fora, em Minas Gerais (1/10). Foto: Nereu JR/Coligação Todos Por MinasFilho de Eduardo Campos participa de comício de Marina Silva em Recife (29/9). Foto: Vagner Campos / MSILVADebate entre candidatos à Presidência na Record (28/9). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13Dilma Rousseff (PT) faz campanha no bairro paulista do Campo Limpo com Alexandre Padilha, candidato petista ao governo de SP, e com o ex-presidente Lula (29/09). Foto: Divulgação/PTRonaldo ataca mais uma vez de cabo eleitoral de Aécio Neves em caminhada em Osasco ao lado de Geraldo Alckmin, candidato à reeleição ao governo de SP (27/9). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilAlexandre Frota também participa de campanha de Aécio Neves em Osasco, na Grande São Paulo (27/9). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilAo lado de Agnelo Queiroz, Dilma anda de BRT Expresso em Brasília e conversa com eleitores (27/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Ao lado do governador do Paraná e candidato à reeleição no Paraná, Beto Richa, Aécio Neves faz campanha em São José dos Pinhais (26/9). Foto: Igo Estrela/Coligação Muda BrasilMarina Silva acompanha apresentação de capoeira na a CUFA (Central Única de Favelas), no Rio (25/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineAécio Neves vira gaúcho em dia de campanha Caxias do Sul ao lada senadora Ana Amélia, candidata ao governo do Rio Grande do Sul pelo PP (25/9). Foto: Marcos Fernandes/ Coligação Muda BrasilMarina Silva faz selfie depois de agenda de campanha em Porto Alegre (24/9). Foto: Vagner Campos / MSILVA OnlineDilma Rousseff,  candidata à reeleição  pelo PT, durante dia de campanha em Ribeirão das Neves, em Minas Gerais (22/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Ao lado de Giovane, do vôlei, e outros candidatos, Aécio faz carreata em Betim (MG) (22/9). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilAécio veste chapéu e ganha imagem de Padre Cícero durante visita a Feira de São Cristóvão, que reúne tradições nordestinas, no Rio de Janeiro (21/9). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilDilma Rousseff faz campanha em São Paulo ao lado dos petistas Alexandre Padilha, candidato ao governo, e Eduardo Suplicy, candidato ao Senado (20/9). Foto: Paulo Pinto/AnaliticaAo lado de Paulo Souto, candidato ao governo na Bahia pelo PSDB, Aécio Neves faz corpo a corpo com eleitores em Itabuna (18/9). Foto: Valter Pontes/CoperphotoAtor Marcos Palmeira e cantor Gilberto Gil ao lado de Marina Silva em encontro com artistas na escola de cinema Darcy Ribeiro, no Rio (17/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineAtor Marcos Nanini também demonstra apoio à Marina Silva em evento com artistas no Rio de Janeiro (17/9). Foto: Vagner Campos / MSILVAOtávio Muller é mais um ator da Globo no encontro da candidata do PSB com artistas na escola de cinema Darcy Ribeiro, no Rio (17/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineDilma posa para fotos durante campanha em Campinas, em São Paulo (17/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Aécio Neves, Marina Silva e Dilma Rousseff participam de debate na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, na cidade paulista de Aparecida (16/09). Foto: DIVULGAção/PSBEncontro de artistas com Dilma Rousseff no Rio de Janeiro (15/9). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasMarina Silva fala com representantes do setor cultural e recebe apoio do cantor Gilberto Gil (15/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineDinho Ouro Preto, vocalista da banca de rock Capital Inicial, faz selfie com Marina Silva em evento em São Paulo (15/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineDilma vai ao lançamento do Livro “Um país chamado favela”, no Rio de Janeiro, e arrisca passos de funk com membros da comunidade (15/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Ao lado de Ronaldo, Aécio Neves dança no lançamento do livro 'Um país chamado favela', em Madureira, no Rio de Janeiro (14/9). Foto: Igo Estrela/Coligação Muda BrasilMarina recebe carinho de seu vice Beto Albuquerque durante discurso em Ceilândia, no Distrito Federal (14/9). Foto: Vagner Campos/MSilva onlineMarina Silva faz discurso em João Pessoa, na Paraíba (14/9). Foto: Leo Cabral / PSBDilma tem encontro com juventude em Belo Horizonte, Minas Gerais (13/9). Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma Rousseff sai em carreata em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, ao lado de Lindgerb Farias, candidato ao governo do estado pelo PT (12/9). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasDilma é entrevistada pela RedeTV/iG no Palácio da Alvorada, em Brasília (11/09). Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13Cartazes para Dilma Rousseff são exibidos durante comício em Belém, no Pará (10/9). Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaLula participa de comício de Dilma Rousseff em Belém, no Pará (10/9). Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaAécio Neves, presidenciável pelo PSDB, participa de um encontro com a juventude em Belo Horizonte (MG) (11/9). Foto: Marcos Fernandes/Coligação Muda BrasilAécio faz carreata ao lado do candidato a governador, Pimenta da Veiga, e do candidato ao Senado, Antônio Anastasia, em Montes Claros (MG) (11/9). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilMarina Silva, candidata do PSB à Presidência, visita o Projeto Casa de Isabel, zona leste de São Paulo (11/09). Foto: Leo Cabral/ MSILVA OnlineMarina Silva chega para campanha nas ruas de Betim, em Minas Gerais (9/9). Foto: Leo Cabral/ MSILVA OnlineDilma posa para foto com estudantes durante cerimônia de lançamento da 2ª etapa do CsF. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR Dilma Rousseff fala com jornalistas nesta quarta-feira (10), em Brasília . Foto: Divulgação/PTMarina Silva sorri durante compromisso de campanha em Belo Horizonte (9/9). Foto: Leo Cabral/ MSILVA OnlineCandidata participa do lançamento da casa de Beto e Marina m Guarulhos (SP), um dos comitês de campanha (5/9). Foto: DivulgaçãoMarina Silva faz campanha em Vitória da Conquista, na Bahia (7/9). Foto: DivulgaçãoAo lado do candidato à releição pelo RS, Tarso Genro (PT), Dilma Rousseff Dilma Rousseff visita à 37ª EXPOINTER (05/09). Foto: Divulgação/PTOs candidatos à Presidência da República, durante o debate realizado pelo SBT (01/09). Foto: Alice Vergueiro / Futura PressAécio Neves joga futebol no evento "Futebol entre Amigos" promovido pelo ex-jogador Zico, no Rio de Janeiro (31/8). Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilAécio toma café da manhã com operários em São Paulo (28/8). Foto: Marcus Fernandes/Coligação Muda BrasilAo lado de Alckmin, Aécio Neves visita à Estação Vila Prudente, da Linha 15 Prata do monotrilho, em São Paulo (29/8). Foto: Ana Flavia Oliveira/iGDebate da TV Band é o primeiro encontro entre os concorrentes à Presidência da República (26/8). Foto: Marcos Bezerra/Futura PressMarina posa para fotos ao lado de eleitores no Centro de Tradições Nordestinas, em São Paulo (25/8). Foto: DIVULGAção/PSBAécio visita o abrigo Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e dança com uma das moradoras do local (24/8). Foto: Igo Estrela/ObritoNewsAécio e ACM Neto, prefeito de Salvador, fazem parada em igreja durante campanha na capital da Bahia (23/8). Foto: Igo Estrela/PSDBDilma Rousseff, candidata à releição pelo PT, faz viagem de trem em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul (22/08). Foto: Divulgação/PTCandidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff visita vistoria obras da transposição do Rio São Francisco com ex-presidente Lula (21/08). Foto: Divulgação/PTDilma Rousseff aparece cozinhando na primeira semana de horário eleitoral (19/8). Foto: ReproduçãoBeto Albuquerque, Roberto Amaral, Marina Silva e  Rodrigo Rollemberg no lançamento oficial da nova chapa presidencial do PSB,em Brasília (20/08). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaAécio Neves (PSDB) visita Unidade da Polícia Pacificadora (UPP) da Comunidade de Santa Marta,no Rio de Janeiro (18/08). Foto: Divulgação/PSDBDilma Rousseff cumprimenta Marina Silva, que era candidata à vice na chapa de Eduardo Campos (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersComitiva do PT em carreata por Osasco. Na foto aparecem Dilma, Padilha, Marta e Eduardo Suplicy (9/8). Foto: Paulo Pinto/AnaliticaDilma almoça na Usina de Belo Monte (5/8). Foto: Ichiro Guerra/Fotos PúblicasA presidente Dilma Rousseff e o governador paulista Geraldo Alckmin participaram da inauguração do Templo de Salomão nesta quinta (31), em SP . Foto: Divulgação/Igreja Universal Dilma cumprimenta baiana em convenção do PT em Salvador (27/6). Foto: Heinrich Aikawa/Instituto LulaAécio Neves e a mulher, Leticia Weber, deixam hospital com o pequeno Bernardo no colo, no Rio de Janeiro (10/8). Foto: Reprodução/InstagramAécio Neves, presidenciável do PSDB, joga sinuca com eleitores na cidade de Botucatu, em São Paulo (08/07). Foto: Divulgação/PSDBAécio Neves dança com Ana Amélia, candidata do PP ao ao governo do Rio Grande do Sul em encontro em Porto Alegre (2/8). Foto: Igo Estrela/ObritoNewsCandidato faz uma oração no Memorial Padre Cícero, em Juazeiro do Norte, no Ceará (20/7). Foto: Igo Estrela/PSDBPastor Everaldo, candidato do PSC à Presidência (22/7). Foto: Divulgação/PSCPastor Everaldo participa de caminhada em Osasco e dá entrevistas para jornal local (23/7). Foto: Facebook/Pastor EveraldoCandidato do PSC à Presidência participa da Missão Carismática Brasileira (21/7). Foto: Facebook/Pastor EveraldoCandidata à presidente Luciana Genro (PSOL) grava programa eleitoral em Porto Alegre (22/7). Foto: Divulgação/PSOLLuciana Genro caminha por Santo André, região do Grande ABC de São Paulo (19/7). Foto: Facebook/Luciana GenroZé Maria, representante do PSTU na disputada pela Presidência, em agenda de campanha em Curitiba (22/7). Foto: Divulgação/PSTUEduardo Jorge, representante do PV, registra candidatura à Presidência no TSE (3/7). Foto: Divulgação/PVEymael é o candidato à Presidência da República pelo PSDC (29/6). Foto: PSDC Levy Fidelix, candidato à Presidência pelo PRTB, deve começar campanhas nas ruas em agosto. Foto: Facebook/Levy FidelixEduardo Campos era candidato e morreu em acidente aéreo em Santos no dia 13. Ele comemorou aniversário durante campanha em Alagoas (8/8). Foto: PSB

Caso, de fato, ultrapasse Marina nas urnas, Aécio manterá a tradição que vigora há duas décadas de segundos turnos presidenciais entre PSDB e PT, que a ex-senadora ainda está apta a quebrar, embora com chances muito menores.

Dilma, entretanto, pode garantir uma vitória em primeiro turno da eleição presidencial - algo inédito para o PT - e quatro mandatos consecutivos para sua legenda - algo inédito para qualquer partido.

Marcelo Ribeiro/ Alckmin 45
Alckmin: chance de vitória no 1º turno em SP

Dois maiores colégios eleitorais devem ter só primeiro turno

Em dois dos três maiores colégios eleitorais brasileiros, a disputa, por outro lado, é bem menos concorrida, e pode acabar ainda em primeiro turno.

Em São Paulo, que concentra 22% dos eleitores do País, Geraldo Alckmin (PSDB), que já venceu duas eleições para o Palácio dos Bandeirantes, tem 51% das intenções de votos ante 21% do presidente licenciado da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf (PMDB).

Willian Volcov/ Skaf 15
Skaf: risco de ficar de fora do 2º turno em SP

Durante a campanha, Skaf evitou qualquer identificação de sua candidatura com a de Dilma, apesar da aliança do PMDB com a pestita no plano nacional. A estratégia, que visava evitar contágio pela rejeição à presidente no Estado, tirou do empresário a oportunidade de subir no palanque de uma candidata que tem a intenção de voto de aproximadamente 1/4 dos eleitores do Estado.

Site oficial/Fernando Pimentel
Pimentel: liderança folgada em Minas Gerais

O cenário também tem seu ineditismo: com 11% das intenções de voto, o candidato do PT, Alexandre Padilha, chega às vésperas da eleição em terceiro lugar, algo que não ocorria desde 2002 com o partido. Caso o prognóstico se confirme, o petismo terá tido, desde então, o seu pior desempenho numa disputa pelo governo do Estado em que nasceu, mas que nunca comandou. O PSDB, por sua vez, poderá chegar a também inéditos 24 anos consecutivos à frente do Estado.

Facebook/Pimenta da Veiga
Pimenta da Veiga: 18 pontos atrás em Minas

Em Minas Gerais, por outro lado, a hegemonia tucana está perto do fim. No Estado de origem de Aécio, onde PSDB venceu as quatro últimas eleições, Fernando Pimentel (PT) tem 43% das intenções de voto - 54% dos válidos (excluídos brancos e nulos) - contra 30% do tucano Pimenta da Veiga, o que indica fim da disputa em primeiro turno.

O resultado é uma ameaça a mais para a carreira de Aécio como liderança do PSDB, que terá a legitimidade questionada se sair desta eleição derrotado duplamente  - no País e no Estado, que é o segundo maior colégio eleitoral do Brasil (11% do eleitorado), e que esteve sob o comando da legenda ao longo da última década.

Instagram/lfpezao
Pezão lidera no RJ apesar de críticas a Cabral

No Rio de Janeiro, terceiro maior colégio (8,5% das intenções de voto) as pesquisas indicam uma disputa de segundo turno entre o atual governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB), que tem 31% das intenções de voto, e o ex-governador Anthony Garotinho (PR), que comandou o Estado entre 1999 e 2002, e tem 21%.

Tentativa do PMDB de manter o comando do Palácio da Guanabara após dois mandatos de Sergio Cabral - que renunciou em abril deste ano para dar visibilidade ao atual candidato -, Pezão conseguiu a liderança da disputa apesar da impopularidade do ex-governador, alvo de protestos intensos desde junho de 2013 até a saída.

Inácio Teixeira/Coperphoto
Garotinho: tentativa de voltar ao poder no RJ

Entre o início da campanha, quando tinha 14% das intenções de voto, e o início de outubro, Pezão conseguiu subir 16 pontos, deixando para trás Garotinho e Marcelo Crivella (PRB) - hoje 19%, que inicialmente despontaram como os candidatos mais bem posicionados.

O PT, que com Lindbergh Farias está com 9% das intenções de voto, segue fora das duas primeiras posições da disputa fluminense, o que ocorre desde 2002, quando Benedita da Silva foi derrotada por Rosinha Garotinho (PSB).


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas