Prisões triplicam nas eleições de 2014 em comparação com 2010

Por Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Dados do TSE tomam como base penúltima parcial de 2010, quando 390 pessoas foram presas

Mesmo com os dados parciais, o número de prisões triplicou nas eleições de 2014 em comparação com o pleito de 2010. Segundo a quarta parcial de ocorrências do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), divulgada no final da tarde deste domingo, 1,2 mil pessoas já haviam sido presas por ilícitos eleitorais em todo o Brasil. Em 2010, a mesma parcial, apontava 390 prisões.

O número de urnas com defeito nas eleições de 2014 também cresceu exponencialmente até o momento. Em 2010, foram substituídas 1.609 urnas. Esse ano, conforme os dados do TSE, já foram substituídas 4.416. Um crescimento de 170%.

LEIA MAIS: Candidato a senador agride eleitora em Alagoas e TRE determina prisão

O maior número de prisões registradas até o momento é do Rio de Janeiro, com 419 casos. O Estado que registrou o segundo maior número de detenções foi Minas Gerais, com 132. Apenas no Amapá não foi registrado de detenções por crimes eleitorais.

Veja como foi o dia de votação dos candidatos em todo o Brasil: 

Dilma Rousseff, presidente e candidata à reeleição pelo PT, vota na manhã deste domingo em Porto Alegre. Ela foi a primeira presidenciável a votar (5/10). Foto: Felipe Dana/APV da vitória de Dilma Rousseff na urna em Porto Alegre (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersDilma exibe comprovante de votação (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersTarso Genro, candidato do governo do Rio Grande do Sul pelo PT, acompanhou Dilma Rousseff na votação (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersDilma, na companhia do neto Gabriel, pega voo para Brasília depois de votar em Porto Alegre (5/10). Foto: Paulo Whitaker/ReutersAécio Neves, presidenciável pelo PSDB, acompanha Antonio Anastasia e Pimenta da Veiga, candidatos ao senado e ao governo de Minas o mesmo partido (5/10). Foto: Leo Lara/Coligação Todos por MinasAécio Neves, candidato à Presidência pelo PSDB, vota ao lado da mulher Letícia em Belo Horizonte (5/10). Foto: Washington Alves/ReutersAécio Neves, candidato à Presidência pelo PSDB, em votação em Belo Horizonte (5/10). Foto: Agência BrasilDepois de votar, Aécio Neves posa para fotos no Colégio Estadual Central, em Belo Horizonte (5/10). Foto: Alberto Wu/Futura PressMarina Silva posta foto em sua página no Facebook a caminho da votação em Rio Branco, no Acre (5/10). Foto: Facebook/Marina SilvaMarina Silva, candidata à Presidência pelo PSB, posa para fotos depois de votar em Rio Branco, no Acre (5/10). Foto: Sergio Moraes/ReutersMarina Silva dá beijo no pai, Pedro Augusto Silva, em seu colégio eleitoral em Rio Branco (5/10). Foto: Sergio Moraes/ReutersMarina Silva está acompanhada pelo pai e pelo marido Fabio Vaz na votação (5/10). Foto: Sergio Moraes/ReutersMarina Silva e seu já tradicional coraçãozinho depois de votação na sede do Incra, em Rio Branco, no Acre (5/10). Foto: Andre Penner/APNo dia da eleição, presidente e candidata à reeleição pelo PT Dilma Rousseff toma café da manhã com políticos em Porto Alegre (5/10). Foto: Fernando Teixeira/Futura PressEduardo Jorge vai de bicicleta até o seu colégio eleitoral. Ele concorre à Presidência pelo PV (5/10). Foto: Reprodução/TwitterLuciana Genro, candidata à Presidência pelo PSOL, vota na Escola Estadual Apeles, no bairro Santana, em Porto Alegre (5/10). Foto: Jovanir Medeiros/Futura PressLula chega ao seu colégio eleitoral para votação em São Bernardo do Campo, na Grande ABC, ao lado de Padilha, petista candidato ao governo do estado (5/10). Foto: Ana Flavia Oliveira/iGEx-presidente Lula faz sinal de positivo depois de votar em São Bernardo do Campo (5/10). Foto: Nelson Antoine/APFernando Pimentel, candidato ao governo de Minas Gerais pelo PT, faz tradicional V da vitória depois de votar nesta manhã (5/10). Foto: Facebook/Fernando PimentelPaulo Câmara, candidato do governo de Pernambuco pelo PSB, vota na companhia de família de Eduardo Campos (João, filho de Campos é visto ao fundo) (5/10). Foto: Agência BrasilAcompanhado pela mulher, familiares e partidários, Geraldo Alckmin chega para votar no colégio Santo Américo, em São Paulo (5/10). Foto: Vitor Sorano/iGJosé Serra, candidato do Senado pelo PSDB, vota em São Paulo (5/10). Foto: Carolina Garcia / iG Serra, candidato do senado pelo PSDB em São Paulo, com a neta Gabriela em seu local de votação (5/10). Foto: Carolina Garcia / iG Serra recebe o carinho de eleitora depois de votar na manhã deste domingo (5/10). Foto: Carolina Garcia / iG Alckmin e Serra posam para fotos depois de votação em São Paulo (5/10). Foto: Vanderlei Preite Sobrinho/iGFamília de Skaf reunida na votação do candidato do governo de São Paulo pelo PMDB (5/10). Foto: Vitor Sorano/iGSkaf oferece pipoca para garoto que declarou apoio ao candidato do PMDB e arrancou risos ao dizer que votaria nele (5/10). Foto: Vitor Sorano/iGAo lado da família, Skaf segue para a escola Britânica, no Jardim Paulistano, seu local de votação (5/10). Foto: Vitor Sorano/iGSkaf, candidato ao governo de São Paulo pelo PMDB, também tem a companhia do neto no dia de votação (5/10). Foto: Vitor Sorano/iGAlexandre Padilha, candidato do PT ao governo de São Paulo, vota no colégio Caetano de Campos, na praça Roosevelt, na capital paulista (5/10). Foto: Alex Falcão/Futura PressPadilha, que concorre ao governo de São Paulo pelo PT, faz pose para fotos depois da votação (5/10). Foto: Ana Flavia Oliveira/iGDepois de votar, Padilha faz uma pequena caminhada ao lado da esposa e de Suplicy, candidato ao Senado pelo PT (5/10). Foto: Ana Flavia Oliveira/iGPadilha, candidato ao governo de São Paulo pelo PT, se reúne com cúpula do partido para café da manhã no Hotel Braston antes da votação (5/10). Foto: Bruno Winckler/iGLuiz Fernando Pezão, governador e candidato à reeleição pelo PMDB no Rio de Janeiro, vota no bairro de Ribeirão das Lajes, em Piraí, no Sul Fluminense (5/10). Foto: Lucas Figueiredo/Pezao 15Lindberg Farias, candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PT, vota ao lado da família (5/10). Foto: Tasso Marcelo/Fotos PúblicasGarotinho, candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PR, vota na cidade de Campos por volta das 10h (5/10). Foto: Inácio Teixeira/ CoperphotoMarcelo Crviella, que concorre ao governo do Rio de Janeiro pelo PRB, vota no Clube Marimbás, junto ao Forte de Copacabana (5/10). Foto: Murilo Rezende/Futura PressPrefeito do Rio de Janeiro conversa com mesário antes de votar na capital fluminense (5/10). Foto: Thiago Mattos/AgNewsEduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, faz pose depois de votar (5/10). Foto: Thiago Mattos/AgNewsRomário, candidato ao senado no Rio de Janeiro pelo PSB, vota no Colégio Joseph Bloch, em Parada de Lucas (5/10). Foto: Jadson Marques/Futura PressSuplicy, candidato ao senado em São Paulo, em sua seção eleitoral no Jardim Paulistano, na capital paulista (5/10). Foto: Bruno Winckler/iGKassab, candidato do Senado em São Paulo pelo PSD, vota na capital paulista (5/10). Foto: André Lucas Almeida/Futura PressPaulo Skaf, candidato ao governo de SP pelo PMDB, e Michel Temmer, vice presidente, acompanham Kassab, que concorre ao Senado, em seu local de votação (5/10). Foto: Vitor Sorano/iGVice-presidente Michel Temmer vota em São Paulo (5/10). Foto: Vitor Sorano/iGCandidato do PMDB ao governo de Goiás,  Iris Rezende vota às 10h10 deste domingo no Colégio Marista, no Setor Marista, em Goiânia (5/10). Foto: Leandro Vieira/Coligação Amor Por GoiásGleisi  Hoffmann, candidata do governo do Paraná pelo PT, vota em Curitiba na manhã deste domingo (5/10). Foto: Wilson Pedrosa/Fotos PúblicasCesar Maia, candidato ao senado no Rio de Janeiro, em seu local de votação (5/10). Foto: Carlos Monteiro/Futura PressPaulo Souto, candidato a governador da Bahia pelo DEM, esquece documento na hora da votação. Ele buscou o documento e votou meia hora depois (5/10). Foto: Romildo de Jesus/iG Bahia

Dos 419 casos de prisões em todo o Brasil, a maioria é por realização de boca de urna. Das 1,2 mil pessoas presas, 790 foram pegas em flagrante tentando promover algum candidato na porta das sessões eleitorais. Outro número que chama a atenção é o volume de pessoas presas por tentativa de compra de votos: 79 pessoas.

VEJA TAMBÉM: Dona de casa se surpreende com voto já computado antes de votar

Dos 1,2 mil pessoas detidas até o momento, 80 são candidatas a cargos eletivos. Quarenta e um deles, foram pegos em flagrante tentando fazer boca de urna e nove acusados de tentar comprar votos dos eleitores. Houve também 12 prisões por transporte ilegal de passageiros

Pelos dados do TSE, o volume de urnas substituídas chegou a 4.416 conforme o quatro boletim parcial. Somente no Rio de Janeiro, houve a substituição de 638 urnas. Em São Paulo, houve a troca de 491. O menor número de substituições ocorreu no Acre. Apenas 11 urnas deram defeito.

Em termos globais, o volume de urnas substituídas até o momento já é três vezes maior do que em 2010. No entanto, em 2010, o volume global de urnas era de 400 mil, o que significava, na época, um índice de substituição de 0,4%. Em 2014, o índice de substituição chegou a 1,02% das 428 mil urnas destinadas ao processo eleitoral.

Leia tudo sobre: Eleições 2014TSE

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas