Dados do TSE tomam como base penúltima parcial de 2010, quando 390 pessoas foram presas

Mesmo com os dados parciais, o número de prisões triplicou nas eleições de 2014 em comparação com o pleito de 2010. Segundo a quarta parcial de ocorrências do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), divulgada no final da tarde deste domingo, 1,2 mil pessoas já haviam sido presas por ilícitos eleitorais em todo o Brasil. Em 2010, a mesma parcial, apontava 390 prisões.

O número de urnas com defeito nas eleições de 2014 também cresceu exponencialmente até o momento. Em 2010, foram substituídas 1.609 urnas. Esse ano, conforme os dados do TSE, já foram substituídas 4.416. Um crescimento de 170%.

LEIA MAIS:  Candidato a senador agride eleitora em Alagoas e TRE determina prisão

O maior número de prisões registradas até o momento é do Rio de Janeiro, com 419 casos. O Estado que registrou o segundo maior número de detenções foi Minas Gerais, com 132. Apenas no Amapá não foi registrado de detenções por crimes eleitorais.

Veja como foi o dia de votação dos candidatos em todo o Brasil: 

Dos 419 casos de prisões em todo o Brasil, a maioria é por realização de boca de urna. Das 1,2 mil pessoas presas, 790 foram pegas em flagrante tentando promover algum candidato na porta das sessões eleitorais. Outro número que chama a atenção é o volume de pessoas presas por tentativa de compra de votos: 79 pessoas.

VEJA TAMBÉM:  Dona de casa se surpreende com voto já computado antes de votar

Dos 1,2 mil pessoas detidas até o momento, 80 são candidatas a cargos eletivos. Quarenta e um deles, foram pegos em flagrante tentando fazer boca de urna e nove acusados de tentar comprar votos dos eleitores. Houve também 12 prisões por transporte ilegal de passageiros

Pelos dados do TSE, o volume de urnas substituídas chegou a 4.416 conforme o quatro boletim parcial. Somente no Rio de Janeiro, houve a substituição de 638 urnas. Em São Paulo, houve a troca de 491. O menor número de substituições ocorreu no Acre. Apenas 11 urnas deram defeito.

Em termos globais, o volume de urnas substituídas até o momento já é três vezes maior do que em 2010. No entanto, em 2010, o volume global de urnas era de 400 mil, o que significava, na época, um índice de substituição de 0,4%. Em 2014, o índice de substituição chegou a 1,02% das 428 mil urnas destinadas ao processo eleitoral.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.