Apesar de o número de adolescentes que pode votar ter diminuído em comparação a 2010, mais de 10,4 milhões de jovens entre 16 e 20 anos estão aptos a participar este ano

Agência Brasil

Muitos dos jovens que vão neste domingo (5) às urnas pela primeira vez acreditam que o voto é a melhor forma de se manifestar na tentativa de mudar os rumos do País. Mais de 10,4 milhões de brasileiros entre 16 e 20 anos estão aptos a votar nestas eleições.

Veja a cobertura completa das eleições 2014

A estudante Fernanda da Rocha, 19 anos, votou pela primeira vez e diz que assistiu a vários debates e leu as propostas para decidir em quem votar. Ela também procurou escolher candidatos que não poluíram as ruas da cidade. “É muito bom participar para dar nossa opinião. Em vez de ir em manifestações, destruir tudo que é público, você vai fazer um ato silencioso e que vai mudar realmente alguma coisa”, disse Fernanda.

LEIA MAIS:  Selfie na urna pode dar até dois anos de prisão

Apesar de o eleitorado brasileiro ter crescido 5,17% nos últimos quatro anos, a participação dos adolescentes aptos a votar em 2014 será menor do que em 2010, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O tribunal associa a redução do eleitorado nesta faixa etária ao envelhecimento da população e também a uma mudança na metodologia de contagem.

VEJA TAMBÉM:  Paula Lavigne descumpre a lei e posta foto da urna

Enquanto no último pleito geral os eleitores com 16 anos eram 900.807, neste ano serão 480.044. Na faixa etária até 17 anos também houve redução do número de pessoas aptas a votar. Em 2010, 1.490.545 estavam aptas a participar das eleições. Este ano, 1.158.707 poderão votar.

E AINDA:  Eleições têm 1.869 urnas substituídas

O estudante Ricardo Caetano, 18 anos, diz que procurou selecionar os candidatos pela honestidade. “Tinha 14 anos na eleição anterior [em 2010]. Agora mesmo que eu não fosse obrigado a votar, exerceria, com certeza, meu direito a voto”, disse.

Sites com informações sobre reputação de candidatos serviram de base de consulta para a estudante Gisele Lourinho, de 18 anos, escolher seus candidatos. “Para o Legislativo, procurei quem tinha melhor reputação, quem elaborava melhores leis; para presidente, utilizei critérios mais pessoais”, disse Gisele.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.