Dez mil homens do Exército trabalham nas eleições de 2014

Por Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

No total, 297 pedidos de envio de tropas chegaram ao TSE, mas 18 foram indeferidos pelo Tribunal Superior Eleitoral

Agência Brasil

Leo Correa/AP
Segurança no domingo de eleições na Favela da Maré, no Rio de Janeiro (5/10)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou o envio de forças federais para 279 cidades brasileiras para garantir a ordem no pleito deste domingo (5). O pedido foi aprovado no sábado (4) pela Justiça Eleitoral. 

Aproximadamente 10 mil homens do Exército foram deslocados. Eles são responsáveis também por prestar apoio logístico e “executar ações de garantia da lei e da ordem, durante a votação e apuração das eleições”. O efetivo destinado às eleições deste ano é semelhante ao destinado por todas as Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) nas eleições de 2010.

LEIA MAIS: Paula Lavigne descumpre a lei e posta foto da urna eletrônica no Rio

Nos últimos dias, a situação da segurança pública se agravou em Santa Catarina, que recebeu 25 tropas neste domingo, sobretudo em decorrência dos ataques ocorridos nos últimos dias no estado.

Outras cidades de 11 estados também receberam reforço: quatro no Tocantins; 56 no Pará; 37 no Rio Grande do Norte; 12 em Mato Grosso; uma no Rio de Janeiro; 18 no Amazonas; 26 no Maranhão; 75 no Piauí; 12 em Rondônia; 12 em Sergipe e uma na Paraíba.

Saiba tudo sobre as eleições 2014

No total, 297 pedidos chegaram ao TSE, mas 18 foram indeferidos pela Corte. Os ministros negaram por unanimidade, por exemplo, a solicitação feita pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) para o envio de tropas para 18 municípios fluminenses.

VEJA TAMBÉM: Três pessoas são detidas no Distrito Federal fazendo boca de urna

A Corte acompanhou o relator da requisição, ministro Henrique Neves. Segundo ele, a própria Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro, disse que no momento, não há situação que leve à necessidade do uso de força federal tanto na capital quanto em cidades do interior do estado.

Os requerimentos são analisados pelo Plenário do TSE e também podem ser concedidos, em caráter de urgência, pelo presidente da Corte em decisão que deve ser levada posteriormente à apreciação do Plenário do Tribunal.

Nas últimas eleições gerais, também destinados 10 mil homens das Forças Armadas deslocados para 386 municípios em 23 Estados. Apesar de um volume maior de municípios atendidos em 2010, o quantitativo destinado a cada cidade foi bem inferior que nas eleições deste ano.

Efetivo está nas rias desde o início da semana

Os comandantes das sete unidades do exército são os responsáveis pelo deslocamento e quantitativo ideal destinado a cada município que solicitou reforço federal. Em todas as cidades que pediram reforço do Exército, o efetivo começou a chegar no início desta semana.

Entre os locais com reforço do Exército, está o Conjunto de Favelas da Maré que já conta com efetivo das Forças Armadas desde março deste ano. Na prática, os homens do Exército agora trabalharão sob responsabilidade da Justiça Eleitoral.

Uma capital que conta com o auxílio do Exército é São Luís, no Maranhão. A cidade vive um clima tenso em função da disputa entre ex-presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), Flávio Dino (PCdoB) e o Lobão Filho (PMDB), filho do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Além da disputa política acirrada entre os dois, desde o dia 20 de setembro 17 ônibus foram queimados por integrantes de facções criminosas que comandam o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no Estado.

Outra cidade maranhense que conta com reforço do Exército é Benedito Leite. Em 2008, eleitores queimaram todas as 16 urnas eletrônicas da cidade, atearam fogo em um colégio onde deveria acontecer a votação e em um carro da polícia.

*Com informaçõs da Agência Brasil.

Leia tudo sobre: eleições 2014

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas