Com pouca chance de renovação, eleição no Norte é dominada por antigos clãs

Por Anderson Passos - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Famílias famosas na política local, como os Barbalho e os Viana, confirmam força e devem se manter no poder na região

A maior região do País tem suas eleições dominadas por antigos clãs políticos, com poucas chances de renovação em seus sete estados. O maior colégio eleitoral local, o Pará, é um exemplo disso. Lá, a disputa se dá entre o herdeiro do senador e ex-governador Jader Barbalho, o candidato Helder Barbalho (PMDB), e o atual governador, Simão Jatene (PSDB), que tenta seu terceiro mandato no governo paraense.  

Pesquisa Ibope divulgada na noite do último sábado (04) mostrou um disputa acirrada entre os dois. De acordo com o instituto, o filho de Jader tinha 48% dos votos válidos contra 46% do governador Jatene. Outros quatro candidatos não passavam de 2% cada.  Como mais de 40 anos na vida política do Estado, ocupando diferentes cargos, Jader tenta agora emplacar o filho como governador. Além de vereador e deputado estadual, Helder já foi duas vezes prefeito de Ananindeua, a segunda maior cidade do Pará.  A mãe dele, Elcione Barbalho, é deputada federal.  

Infográfico: veja como é o mapa eleitoral do Brasil 

Divulgação
Apoiado pelo pai senador e ex-governador e pela mãe deputada federal, Helder Barbalho deve governar o Pará pelos próximos quatro anos


De outro lado, o atual governador tucano tenta obter o seu terceiro mandato não consecutivo no Pará. Além do atual, ele governou o Estado entre 2003 e 2006. Curiosamente, ele começou sua carreira no clã adversário, sendo Secretário de Estado de Planejamento entre 1983 e 1985 no governo de Jader. 

Mais: Seis candidatos concorrem ao governo do Pará

Amazonas

Governador do Estado por dois mandatos, o senador Eduardo Braga (PMDB) tem chances de garantir sua volta ao governo do Amazonas já no primeiro turno. Pesquisa Ibope da última sexta-feira (03)  colocava o peemedebista na liderança com 51% das intenções de voto. José Melo, do Pros, tem 35% da preferência do eleitorado local.

Braga faz dobradinha na eleição com o atual governador Omar Aziz (PSD), que disputa uma cadeira ao Senado e tem 58% dos votos válidos.

O peemedebista pautou sua campanha prometendo levar o desenvolvimento industrial da capital, que tem como maior expoente a Zona Franca de Manaus, para novos polos no interior do estado, ao mesmo tempo em que promete melhorias nas rodovias do estado para melhorar o escoamento da produção. Na capital, ele promete instalar ainda um monotrilho para garantir maior qualidade de transporte à população.

Mais: Maior Estado em extensão, Amazonas tem sete candidatos a governador

Acre

No Acre, a família Viana deve continuar no poder. Tião Viana (PT) tenta a reeleição e tem chances de obtê-la ainda no primeiro turno. Na terra natal da presidenciável Marina Silva, o petista também ganhou uma declaração de voto da neosocialista, além do apoio da presidente e candidata á reeleição Dilma Rousseff (PT), obviamente. 

Segundo pesquisa Ibope do último dia 2 de outubro, o petista tem 47% das intenções de voto seguido de Tião Bocalom (DEM) e de Márcio Bittar (PSDB), que dividem o segundo lugar com 23%.

Tentando o segundo mandato, Tião já teve um irmão no comando do Estado. Jorge Viana comandou o Acre entre 1999 e 2007. 

Mais: Com economia baseada no extrativismo vegetal, Acre tem quatro candidatos

Futura Press
Com apoio de Dilma Rousseff, Tiana Viana deve garantir mais um mandato para sua família no Acre


Amapá

O Estado também tem chance de resolver a eleição no primeiro turno. O ex-governador Waldez Góes (PDT) lidera as intenções de voto, segundo a mais recente pesquisa Ibope, da última sexta. O pedetista tem 45% das intenções de voto contra 23% de Camilo Capibaribe (PSB) e 17% de Lucas Barreto (PSD).

Para garantir o bom andamento da eleição, homens do Exército ajudarão nos deslocamentos das urnas às populações ribeirinhas e todo e o transporte público da capital Rio Branco estará atuando com 100% da capacidade.

Góes chegou a ser preso em 2010 durante a Operação Mãos Limpas da Polícia Federal, que investigava uma organização criminosa acusada de desviar R$ 300 milhões do Estado e da União. O pedetista, que na época tentava uma vaga ao Senado, sempre negou as acusações. O caso tramita em segredo no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Mais: No Amapá, sete candidatos disputam voto de quase meio milhão de eleitores

Roraima

Em Roraima, pesquisa Ibope do dia 2 de outubro aponta que o atual governador Chico Rodrigues (PSB) lidera com 38% das intenções de voto. Suely Campos (PP) vem a seguir com 31%. Ela é esposa do ex-governador Neudo Campos,  que renunciou à candidatura porque foi enquadrado na Lei de Ficha Limpa pela Justiça Eleitoral local. A seguir figuram Ângela Portela (PT), com 19% e Hamilton (PSOL), com 3%.

Chico Rodrigues é apoiado pelo tucano e ex-governador Anchieta Júnior, que é candidato da chapa ao Senado. Já a vice de Rodrigues na chapa é Rodrigo Jucá (PMDB), filho do senador Romero Jucá.

Mais: Desafio dos 4 candidatos de Roraima é tirar PIB do Estado da última colocação

Rondônia

O PMDB e o PSDB medem forças em Rondônia com a disputa entre o governador Confúcio Moura e o senador Expedito Júnior, respectivamente. O peemedebista, que concorre à reeleição, saltou de 28% para 39% na mais recente pesquisa Ibope, de sábado (03)

Já Expedito Júnior, começou a campanha com 27%, atingiu o pico de 35% em 16 de setembro - quando chegou a ultrapassar o adversário - e agora está no patamar de 31%.

Mais: Com agricultura forte e carne bovina para exportação, Rondônia tem 5 candidatos

Tocantins

Em Tocantins, quem caminha para a vitória é o peemedebista Marcelo Miranda. Segundo pesquisa do instituto Serpes de sábado (04), ele tem 50,4% das intenções de voto. Seguido de Sandoval Cardoso (SD), que obteve 37,2%.

Miranda já governou Tocantins entre 2003 e 2009. O pai dele, José Edmar Brito Miranda, foi presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, sendo um dos grandes defensores da criação do Estado de Tocantins.

Veja: Mais novo Estado brasileiro, Tocantins tem seis candidatos a governador

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas